Dados sobre países utilizadores:


Listar veículos do tipo
Sistema defesa antiaérea Médio/Longo Alc.

Veículos idênticos ou relacionados:


S-300V «SA-12A Gladiator»
Sistema defesa antiaérea Médio/Longo Alc.

S-300 PMU1/ PMU2 «Favorit» / SA-10E
Sistema defesa antiaérea Médio/Longo Alc.

S-400 «Triumf» / SA-21A
Sistema defesa antiaérea Médio/Longo Alc.

 

S-400 «Triumf» / SA-21A
Sistema defesa antiaérea Médio/Longo Alc. (Almaz)
S-400 «Triumf» /  SA-21A

Projeto: Almaz
Russia
Dimensões
Comprimento
Comprimento máximo
Largura
Altura
Altura máxima
14.25
n/disponivel
3.03m
3.06M
Peso vazio
Peso / combate
Cap. Carga
Reboque
N/disponivel
N/disponivel
N/disponivel
N/disponivel
Motor / potência / capacidades
Motor
Potência
Vel. maxima
Terr. Irregular
AM-849 V12
368cv
75 Km/h
30 Km/h
Tração
Tanque combustivel
Autonomia
Tripulação
Tractor com reboque
N/disponível
1000Km
2
0.8M
0M
0M

Misseis / foguetes de artilharia
Sistema de radar auxiliar:

País: Russia
Designação Local:S-400 «Triumf»
Qtd: Máx:32 - Qtd. em serviço:32
Situação: Em serviço
Operacionalidade:
A Rússia é o único país a dispor deste sistema e existe pelo menos uma unidade operacional no país que o recebeu. Essa unidade situa-se na região de Moscovo.

A unidades de S-400 estão organizadas em batalhões, cada um com oito lançadores.
A primeira unidade foi declarada operacional em 2007 e até ao fim de 2008 deverão estar operacionais dois regimentos de defesa aérea, equipados com lançadores S-400.

Até 2022 todos os 35 regimentos russos de defesa aérea deverão ser equipados com o sistema S-400.


Forum de discussão

Inicialmente chamado de S-300PMU-3, o S-400 «Triunf», é conhecido no ocidente como Sa-20 Growler, e é o mais recente sistema de defesa antiaérea da Russia. Ele é um desenvolvimento da família S-300 «Favorit». Os primeiros testes do novo sistema começaram em 1999.

S-400 não é um míssil, como algumas vezes a comunicação social indica, mas sim um sistema completo de armas, que inclui radares de vigilância, sistemas de aquisição de alvos e três tipos distintos de mísseis, com diferentes objetivos.

Entre as várias características distintivas do sistema S-400, está o facto de ele ter alegadamente capacidade para destruir ameaças que podem ser detectadas a 400km de distância dos radares.

Foram desenhados pela ALMAZ, dois novos típos de míssil para fazer parte do sistema:
O 9M96 mais pequeno de médio alcance, que pode ser utilizado contra aeronaves tripuladas ou não tripuladas e que pode atingir 35km de altitude.
O 40N6, de muito longo alcance, com capacidade para atingir alvos para lá do alcance visual, e que permitirá atingir alvos a distâncias de até 400km. Este míssil foi desenhado propositadamente para atingir aeronaves do tipo AWAC ou aeronaves de comando e controlo de forças terrestres como os JSTARS norte-americanos.
Existe ainda um terceiro míssil intermédio, que é resultado de uma adaptação de um missil utilizado no sistema S-300.

O sistema S-400 é constituido por um veículo radar, um veículo de comando e três veículos lançadores.
Os lançadores, conforme as informações mais recentes, estão instalados num camião do tipo BAZ-6910, na versão 64022 - tractor com reboque - que transporta quatro tubos, que são directamente derivados dos sistemas S-300.
Os lançadores também podem ser instalados em veículos 8x8, aumentando bastante a capacidade de movimentar o sistema de um ponto para o outro sem recorrer às estradas.

O principal radar do sistema, é instalado num camião MZKT de fabrico bielorusso do tipo MAS-543A, enquanto o posto de comando pode utilizar um camião do tipo URAL-5323.

Mas quando utilizado para atacar alvos a grande distância, o sistema utiliza o radar do próprio míssil para detectar os alvos. Os dados do radar do próprio missil são enviados para o sistema de controlo que os interpreta e dirige o míssil.
Os mísseis do sistema S-400 podem igualmente ser guiados por aeronaves de comando e controlo do sipo A-50 «Mainstay», que utilizam uma aeronave do tipo Ilyushin-76 como base.

O S-400 e os aviões «Stealth»
O S-400 é considerado um dos sistemas de defesa aérea mais sofisticados do mundo, mas o seu enorme alcance de 400km só se aplica a aeronaves que estejam no ar a grande altitude como as aeronaves de vigilância e de comando e controlo. Aeronaves de ataque como aviões F-35 ou F-22, voando a baixa altitude não podem ser detectados pelos radares do sistena, antes de atingirem um ponto de onde podem disparar as suas armas.
Este problema, é alias resultado da curvatura do planeta e das irregularidades do terreno, pois embora os mísseis e os sistemas de radar sejam extremamente precisos, não podem ultrapassar um problema da física. Além disso, um radar movel necessita de ser extremamente potente para detectar uma aeronave do tipo Stealth como F-22 ou F-35, que embora sejam classificados como «aviões invisíveis» podem de facto ser detectados por radares, desde que esteja disponível suficiente potência e antenas que permitam aumentar a precisão do sistema. Mas a dimensão dos sistemas, embora bastante grande, não é considerada suficiente para permitir detectar com eficácia uma aeronave daquele tipo.

Este debilidade, é uma das razões que levam a Rússia a opter por sistemas tão móveis quanto possível.

Informação genérica:
Os sistemas S-300 e S-400 são sistemas de mísseis de defesa anti-aérea de longo alcance.

Eles são conhecidos no ocidente por várias designações e têm em comum o alcance e a grande velocidade, resultado da análise soviética das suas necessidades, que passava pela utilização de mísseis contra aeronaves de combate ocidentais.

Os S-300 substituiram na União Soviética os sistemas SA-2 e SA-5 que não mostraram ser muito eficientes.

O primeiro destes sistemas foi o S-300PT (SA-10A) que começou a ser substituido no final dos anos 70 pelo mais sofisticado S-300PS(SA-10B), especialmente desenhado para combater os novos sistemas aerotransportados norte-americanos de contra medidas electrónicas como o F-4G «Wild Weasel» e EF-111A «Raven».
É este sistema que é proposto pela primeira vez para exportação, em 1989 e recebe a referência SA-10C.

Já nos anos 90, a partir de 1993 aparece o S-300PMU (SA-10D), instalado num semi-reboque, que tinha a vantagem de se poder deslocar muito mais rapidamente, embora não tivesse as mesmas capacidades de todo o terreno do sistema anterior.
O S-300PMU era assim mais adequado a países com uma rede de estradas mais desenvolvida, que pudessem beneficiar desse facto para movimentar livremente os sistemas.

Este novo sistema utilizava mísseis com maior precisão e alcance e novos radares.

A continuação do desenvolvimento destes sistemas, mesmo durante os conturbados anos 90 na Russia, levou ao desenvolvimento do S-300PMU-2 (SA-10E)

Além do S-300 (designação NATO «SA-10») foi lançado no inicio dos anos 90 o S-300V, aparentemente destinado a funcionar como sistema de defesa anti-míssil para conter a ameaça dos mísseis Pershing-II, instalados na Europa no final dos anos 80.

Os vários sistemas S-300 e S-300V foram igualmente disponibilizados para exportação.

A Almaz iniciou mais tarde o desenvolvimento de uma versão mais sofisticada, que passou a ser conhecida como S-400 «Triumf» ou (SA-20) na designação NATO.

O sistema S-400 poderá juntar características dos dois tipos de sistemas anteriores (S-300 e S-300V). A principal característica do sistema S-400 são os mísseis 9M96E e 9M96E2 de longo alcance, que são considerados equivalentes aos mísseis norte-americanos utilizados no sistema Patriot.

Os sistemas S-400 utilizam distintos tipos de mísseis, com distintas funções, e incluem mísseis de longo alcance e mísseis de dimensões menores mas de muito maior velocidade transportando quatro mísseis em cada tubo de lançamento.

Está em estudo o S-500, que segundo informações dispersas publicadas pela imprensa russa, terá capacidade para atingir mísseis balísticos a distâncias de 3500km.