Dados sobre países utilizadores:


Listar veículos do tipo
Carro de combate leve

 

Whippet Mk A
Carro de combate leve (Varios)
Whippet Mk A

Projeto: Varios
Nenhum
Dimensões
Comprimento
Comprimento máximo
Largura
Altura
Altura máxima
6.1
n/disponivel
2.62m
2.74M
Peso vazio
Peso / combate
Cap. Carga
Reboque
13.5t
14.3t
N/disponivel
N/disponivel
Motor / potência / capacidades
Motor
Potência
Vel. maxima
Terr. Irregular
2 x Rolls Royce Tylor 4cyl.
90cv
13 Km/h
4 Km/h
Tração
Tanque combustivel
Autonomia
Tripulação
Lagartas
N/disponível
257Km
3/4
N/disponivel
0M
0M

Sistema de radar auxiliar:

País: Reino Unido
Designação Local:Whippet Mk A
Qtd: Máx:200 - Qtd. em serviço:0
Situação: Retirado
Operacionalidade:
O Whippet só foi utilizado operacionalmente em Março de 1918, e curiosamente foi utilizado como arma defensiva na ofensiva alemã da Primavera de 1918 «ver operação Michael», em que os alemães abriram grandes brechas nas linhas britânicas.

Os Whipets foram nessa altura utilizados para voltar a ligar a frente aliada, ao mesmo tempo que atacavam o ponto fraco das unidades alemãs, a sua deficiente capacidade logística.

Os Whippet atacaram as retaguardas alemãs, criando o caos nas linhas de abastecimento, o que acabou por condicionar a ofensiva Michael, e ajudou a contê-la em 5 de Abril de 1918.

Após a primeira guerra
Depois da guerra, os britânicos deslocaram parte destes veículos para a Irlanda, onde combateram contra as forças irlandesas, na guerra que ocorreu entre Janeiro de 1919 e Julho de 1921, da qual resultou a independência da Irlanda.


Forum de discussão

O Whippet, surgiu da necessidade identificada pelos britânicos de possuir no campo de batalha da Europa, um carro de combate mais leve que os grandes «tanques romboides» Mark.I. Era um carro «rápido», que por isso recebeu o nome de Whippet, um Galgo de corrida inglês.

Quando os britânicos efectuaram os seus principais ataques com tanques em 1917, a reduzida velocidade dos seus tanques Mk.I tornou-se no principal problema, pois os tanques eram tão lentos que embora compessem a frente, não podiam aproveitar o rompimento das trincheiras inimigas, não conseguindo sequer acompanhar a infantaria.

Nasceu assim o conceito britânico de «tanque de infantaria», ou seja um tanque leve, destinado unicamente a acompanhar as forças apeadas e a avançar no terreno a velocidade elevada sempre que possível.

O Whippet recebeu dois motores Rolls Royce, colocados à frente do veículo, motores que eram iguais aos que eram utilizados nos veículos de transporte colectivo (autocarros/ónibus) de Londres.
Estava armado com quatro metralhadoras de calibre 7.7mm.
Embora o protótipo tenha sido construido em Fevereiro de 1917, apenas no fim do ano os primeiros modelos de produção foram entregues.


O primeiro combate de tanques da história
Aquele que se pode considerar o primeiro recontro de carros de combate da história, ocorreu no dia 24 de Abril de 1918. O confronto ocorre na área de Amiens, na sequência de um contra-ataque alemão sobre as localidades de Cachy e Villiers Bretonneux. Nesse contra-ataque, os alemães utilizaram a maior concentração de carros que conseguiram ao longo da guerra, juntando 15 tanques pesados A7V. O combate não foi conclusivo, embora os tanques pesados britânicos tenham conseguido inutilizar um dos carros alemães. Nos recontros os Whippets, um deles foi destruido por um A7V alemão, outro foi atingido e os restantes escaparam ilesos, mercê da sua velocidade.

O confronto demonstrou a pouca utilidade de veículos ligeiros contra carros mais pesados ainda que mais lentos.

Informação genérica:
-