Dados sobre países utilizadores:


Listar veículos do tipo
Carro de combate médio

Veículos idênticos ou relacionados:


Tank Mk I «male»
Carro de combate médio

Tank Mk V «Male»
Carro de combate médio

 

Tank Mk V «Male»
Carro de combate médio (Varios)
Tank Mk V «Male»

Projeto: Varios
Nenhum
Dimensões
Comprimento
Comprimento máximo
Largura
Altura
Altura máxima
8.05
n/disponivel
4.19m
2.64M
Peso vazio
Peso / combate
Cap. Carga
Reboque
28t
31t
N/disponivel
N/disponivel
Motor / potência / capacidades
Motor
Potência
Vel. maxima
Terr. Irregular
1 x Ricardo
150cv
8 Km/h
0 Km/h
Tração
Tanque combustivel
Autonomia
Tripulação
Lagartas
N/disponível
72Km
8
N/disponivel
2.5M
1.5M

Armamento básico
- 2 x 57mm Mk.2 L/40 (QF-6 pdr) (Calibre: 57mm - Alcance estimado de 0.5Km a 6.75Km)
Sistema de radar auxiliar:


Forum de discussão

Esta foi a última série do tanque do tipo «romboide» de fabrico britânico. Embora posteriormente tenham sido desenvolvidas outras versões, elas não viram serviço durante a guerra e não tiveram desenvolvimento prático.

O tanque Mk V também foi produzido na versão «male» e «female». Neste caso porém, houve uma versão «macho» especial, com um comprimento aumentado em 1.83M, através da inclusão de uma secção central, que resultou do facto de os alemães terem aumentado a largura das suas trincheiras, para tornarem impossível aos tanques britânicos atravessar as trincheiras alemãs.
Esta versão era conhecida como Mk. V* (Mark five star).


Inicialmente o novo tanque deveria ter um novo design e um sistema de suspensão mais eficiente, mas por ser mais rápido, foi decidido continuar com o casco do Mk.IV, adaptando-lhe a nova suspensão que tinha sido preparada para o protótipo do Mk.V.

Mark V star
Tanque britânico Mk.V «Star» alongado, especialmente produzido para permitir ultrapassar as trincheiras alemãs de maiores dimensões.


A blindagem do tanque Mk. V também foi modificada, pois os modelos das séries Mk.I até Mk.IV tinham uma blindagem lateral de 12mm, enquanto que o Mk.V tinha uma blindagem máxima de 14mm. Já a blindagem frontal, que no Mk.IV era de 16mm, foi reduzida para 14mm.

O Mk. V também tinha uma cúpola para o comandante do veículo e lugar para quatro metralhadoras Hotchkiss de 7.7 mm.

Informação genérica:
Os tanques Mark.I a Mark V, fazem parte de uma família de veículos que viria a revolucionar a guerra, e a condicionar a decisão da vitória no campo de batalha a partir do final da primeira guerra mundial até aos nossos dias.

Quando em 1914 a I guerra mundial treve o seu inicio, não se esperava que rapidamente ela se transformasse numa guerra de posições praticamente fixas, baseadas em extensas linhas de fortificações, praticamente impermeáveis ao avanço da infantaria.

As tácticas utilizadas, correspondiam às utilizadas durante as guerras napoleónicas, com uma preparação de artilharia destinada a destruir as linhas inimigas, e depois com um avanço da infantaria para aproveitar a desorganização gerada pelo bombardeamento.

No entanto, na guerra de 1914-1918, essa táctica falhou, quando os desenvolvimentos das armas modernas e dos materiais de construção tornaram aquelas tácticas obsoletas.

Por uma lado, muitas das construções defensivas alemãs utilizaram o cimento armado (concreto) para reforçar os abrigos contra a preparação de artilharia, e por outro lado as novas armas especialmente a metralhadora, colocadas em ninhos estratégicamente colocados, permitiam resistir ao bombardeamento de artilharia e posteriormente ceifar o avanço da infantaria inimiga com facilidade.
Criou-se assim um impasse. Os blindados existentes na altura, baseavam-se em veículos sobre rodas, os quais não tinham possibilidade de atravessar os enlameados terrenos do norte de França e muito menos as trincheiras.

Esta coisa
Inicialmente o primeiro veículo, foi conhecido como «This thing», ou em inglês «esta coisa» e foi apresentado em 6 de Setembro de 1915, altura em que ninguém havia ainda dado um nome à «coisa» .

Como o veículo inicialmente não tinha cobertura superior e parecia um tanque de água, o nome utilizado acabou por ser o de tanque, nome que acabou por se tornar sinónimo de carro de combate blindado armado. Posteriormente foi-lhe dado o nome de «Mother» (Mãe em inglês).

Esta primeira solução baseava-se num tractor agricola, ao qual tinha sido acrescentada blindagem lateral, e que se destinava a transportar infantaria. Porém, esse veículo não era suficientemente longo para atravessar as trincheiras, o que levou a que fosse abandonado.

A versão definitiva apresentada pelos britânicos em 1916, foi o tanque rombóide, cuja configuração das lagartas era tal, que permitia atravessar as trincheiras.

O veículo poderia assim avançar sobre as linhas inimigas depois da preparação de artilharia, e sob a protecção da blindagem atacar os ninhos de metralhadoras inimigas, permitindo o avanço da infantaria.

Os primeiros tanques Mark I foram pela primeira vez utilizados em 1917

Tanque macho e tanque femea
Os veículos deste tipo, desde o Mark.I ao MarkV (os mais significativos) foram fabricados em duas derivações.

O tanque chamado de «femea» (female em inglês) estava equipado apenas com metralhadoras que seriam utilizadas contra fortificações ligeiras, enquanto que o tanque chamado de «macho» (male em inglês) estaria equipado com dois canhões de 57mm instalados nas laterais do veículo, um de cada lado.