Dados sobre países utilizadores:


Listar veículos do tipo
Carro de combate leve



Veículos idênticos ou relacionados:


R-35
Carro de combate leve

FCM-36
Carro de combate leve

H-35
Carro de combate leve

 

Acontecimentos relacionados
Blitzkrieg a ocidente
Queda da França

R-35
Carro de combate leve (Renault)
R-35

Projeto: Renault
França
Dimensões
Comprimento
Comprimento máximo
Largura
Altura
Altura máxima
4.2
n/disponivel
1.85m
2.37M
Peso vazio
Peso / combate
Cap. Carga
Reboque
9.5t
10.6t
N/disponivel
N/disponivel
Motor / potência / capacidades
Motor
Potência
Vel. maxima
Terr. Irregular
Renault 4cyl
82cv
20 Km/h
12 Km/h
Tração
Tanque combustivel
Autonomia
Tripulação
Lagartas
N/disponível
140Km
2
31º
30º
0.6M
1.6M
0.5M

Armamento básico
- 1 x 37mm SA-18 L/21 (Calibre: 37mm - Alcance estimado de 0.1Km a 0.5Km)
Sistema de radar auxiliar:

País: França
Designação Local:R-35
Qtd: Máx:945 - Qtd. em serviço:0
Situação: Retirado
Operacionalidade:
O exército francês tinha ao serviço um grande numero unidades do tanque R-35, que era o mais numeroso blindado nas forças francesas.

A principal função do R-35 era o apoio às unidades de infantaria, segundo um conceito aceite na época tanto na França como na Grã Bretanha e que considerava a necessidade de pequenos veículos blindados que pudessem atacar ninhos de metralhadora ou canhões inimigos que impedissem a progressão da infantaria.

Quando em 1940 a Alemanha invadiu a França, verificou-se que as tácticas francesas não eram adequadas, porque ainda se baseava em principios da I guerra mundial. Os R-35 deveriam ser utilizados contra infantaria, mas os avanços alemães eram avanços blindados. Para isso era necessário atacar ou cortar as linhas de abastecimento alemães.
Porém, a velocidade máxima do R-35, de apenas 20km/h era adequada para acompanhar a infantaria, mas tornava a deslocação das unidades muito complicada perante um inimigo muito mais movel.

R-35
O modelo R-35 equipado com o canhão SA-38. Equipado com este canhão o R-35 tinha capacidade para enfrentar tanques leves.


Ocorria muitas vezes os carros franceses ficarem sem combustível, e não terem possibilidade de reabastecimento porque os alemães, mais rápidos, já haviam cortado as linhas de abastecimento. O R-35 é comparável ao tanque leve alemão Panzer-II, mas estava muito melhor armado. Aliás, o R-35, quando equipado com canhão longo SA-38 de 37mm tinha mesmo vantagem sobre o tanque alemão Panzer-III, embora esse carro alemão tivesse quase 20 toneladas. Mas em ambos os casos, a superioridade dos alemães em velocidade e na qualidade dos motores era total.


Forum de discussão

Resultado da necessidade da infantaria francesa de substituir os vetustos Renault FT-17 da I guerra que ainda estavam ao serviço nos anos 30, o R-35 foi o resultado de uma especificação criada pelo exército francês, que pedia um tanque leve, capaz de atingir 20km/h, armado com duas metralhadoras de 7.5mm ou com um canhão de 37mm. O conjunto deveria ser protegido por uma blindagem de no máximo 40mm.

O R-35 foi o projecto apresentado pela Renault e foi o escolhido após comparação dos quatro modelos apresentados pelos concorrentes, recebendo a Renault uma encomenda de urgência para 300 unidades em Maio de 1935, depois de a Alemanha ter reocupado a Renânia.
Além da França outros países também encomendaram este modelo, do qual tinham sido produzidas 1600 unidades até 1940.

R-35
O modelo R-40, algumas vezes referido como R-39: Notar o diferente sistema de suspensão. Foram produzidas 120 unidades pela AMX
Além do R-35 fabricado pela Renault, equipado com o canhão curto de 37mm também entrou ao serviço o R-40, com um sistema de suspensão completamente diferente. O R-40 estava equipado com o canhão SA-38 de 37mm, mais longo e mais eficiente como arma anti-tanque. Este canhão mais longo também foi posteriormente adoptado para instalação nos R-35 .

Tanque de infantaria
É importante realçar que o R-35 é o que na altura se chamava de tanque de infantaria. Ou seja:
Ele estava preparado para apoiar as forças que se moviam a pé. Por isso, não foi considerado importante ter mais potência e maior velocidade. Os R-35 utilizaram por isso inicialmente o canhão de baixa pressão 37mm SA-18 de cano curto, eficiente contra infantaria, mas de pouca utilidade contra carros de combate de maior blindagem.

Estes veículos franceses estavam limitados a apenas dois tripulantes. O comandante do carro tinha que carregar o canhão, apontar, disparar, dar ordens ao condutor e ainda tinha que operar o rádio.
Isto tornava muito complicada a operação do veículo.

O R-35, sem torre e sem motor custava 190.000 francos, mas completo o seu preço subia para 1.400.000 francos franceses a preços de 1939, equivalente a 32.000 dolares americanos.

Informação genérica:
Os carros de combate leves produzidos na França antes da II guerra mundial, foram fabricados por empresas diferentes mas possuem várias características comuns.

Renault R-35
O mais conhecido dos veículos franceses deste periodo é o Renault R-35. Trata-se de um tanque leve, adequado para apoiar a infantaria e sem capacidade para combates contra outros tanques. Essa falta de capacidade é consequência da sua deficiente mobilidade e não do seu armamento principal de 37mm.

Renault/AMX R-40
Foi produzida uma pequena quantidade de carros que ficaram conhecidos como R-40. A sua principal diferença consiste no sistema de propulsão inspirado no do carro pesado B1B. Foram produzidos cerca de 120 exemplares.

Hotchkiss H-35 / H-39
Embora a infantaria francesa tenha escolhido o R-35, os franceses também consideravam a necessidade de escolher um tanque leve, mas que em vez de servir para apoio de infantaria, estivesse ao serviço nas unidades blindadas francesas.
O Renault R-35 foi rejeitado pelos especialistas franceses em blindados e por isso é escolhido o carro de combate leve Hotchkiss modelos H-35 e H-39

Embora com um peso pouco superior ao carro R-35, o H-35 tinha um motor mais potente e por isso podia atingir velocidades mais elevadas. SE o canhão curto de 37mm era inutil contra blindados, já o canhão SA-38 de 37mm era considerado mais potente e mais capaz que os seus congéneres alemães.

AMC-35
Embora se tratasse de uma viatura destinada a combater contra blindados, armada com um canhão de 47mm, o modelo AMC-35 da Renault pode também ser incluido na família dos tanques leves, já que ele foi na prática uma versão melhor armada de uma viatura leve.