Dados sobre países utilizadores:


Listar veículos do tipo
Veículo de Combate de Infantaria

Veículos idênticos ou relacionados:


Piranha / «Grizzly»
Veículo de Combate de Infantaria

LAV-25 / Piranha
Veículo de Combate de Infantaria

Piranha «Bison»
Veículo Blindado Transporte Pessoal

Piranha III-C
Veículo Blindado Transporte Pessoal

Piranha IV / IFV
Veículo de Combate de Infantaria

Stryker AGS / M1128
Caça-tanques

Piranha V
Veículo Blindado Transporte Pessoal

 

Piranha IV / IFV
Veículo de Combate de Infantaria (Mowag / General Dynamics)
Piranha IV / IFV

Projeto: Mowag / General Dynamics
Suiça
Dimensões
Comprimento
Comprimento máximo
Largura
Altura
Altura máxima
7.3
n/disponivel
2.8m
2.25M
Peso vazio
Peso / combate
Cap. Carga
Reboque
21t
25t
1000Kg
N/disponivel
Motor / potência / capacidades
Motor
Potência
Vel. maxima
Terr. Irregular
MTU
544cv
100 Km/h
35 Km/h
Tração
Tanque combustivel
Autonomia
Tripulação
Oito rodas motrizes
N/disponível
750Km
2+10
60º
30º
1.5M
0M
0M

Armamento básico
- 1 x 30mm UT-30 ORCWS (Calibre: 30mm - Alcance estimado de 0.5Km a 3Km)
Sistema de radar auxiliar:


Forum de discussão

O Piranha IV foi apresentado pela primeira vez em 2001 e é a mais recente das derivações do veículo de combate Piranha produzida pela Mowag, que foi adquirida pela General Dynamics em 2002.

A versão VCI (Veículo de combate de infantaria) é apenas uma das muitas variações do veículo.

Ele foi apresentado como um complemento do Piranha-III e as dimensões são mais generosas, o que permite assim ao fabricante dispor de um veículo com capacidades de que as versões anteriores não dispunham, perdendo porém a sua capacidade anfíbia, quando utilizado como plataforma com maior peso.

O Piranha IV permite a colocação de blindagem modular e sendo um sistema desenhado recentemente, também beneficiou de todos os mais recentes desenvolvimentos tecnológicos. Ele é portanto equipado com sistemas de gestão de dados de combate, tem maior blindagem inferior para resistir a minas uma assinatura térmica reduzida, mercê do tipo de blindagem e da dissipação melhorada do calor.

O Piranha IV foi apresentado na Grã Bretanha para responder ao requesito britânico «FRES» que pretende substituir veículos mais antigos ao serviço nas forças armadas britânicas. Uma versão especificamente concebida para esse programa foi designada Piranha V.

Informação genérica:
Desenhada nos anos 70, a familia de veículos Piranha, é a mais profíqua e numerosa família de veículos blindados sobre rodas dos países ocidentais, e tem sido a referência pela qual se medem os veículos que posteriormente apareceram no mercado.

O sucesso do Piranha, foi impulsionado com a adaptação de um modelo apresentado para corresponder às necessidades norte-americanas, que ficou conhecido como LAV-25 e que entrou ao serviço entre 1983 e 1987.
Os LAV-25 foram fabricados pela General Motors do Canadá.

Os primeiros modelo foram apresentados em versão 6x6 e inicialmente conhecida como Piranha e LAV resultou numa série de versões e séries fabricadas em vários países no mundo, no que resultou num dos mais numerosos tipos de veículo 8x8 em serviço nos países da NATO.

O numero de designações existentes para as suas diferentes versões, levam a alguma confusão.

Stryker
Os veículos conhecidos como Stryker, constituem mais uma das variações do Piranha e foram utilizados como base para um sistema que monta uma torre equipada com um canhão de 105mm idêntico ao dos carros de combate M-60.

Piranha III
Para continuar a par com os desenvolvimentos da concorrência foi desenvolvido o Piranha III durante os anos 90.

Piranha IV
Já depois do anos 2000 com a aquisição da Mowag pela General Dynamics, foi apresentada uma versão maior do Piranha, conhecida como Piranha IV.


Comparação entre o LAV-25 à esquerda, derivado da primeira versão do Piranha e o Piranha-III mais recente à direita.

Piranha V
Em 2008 foi anunciado que a viatura escolhida para o programa FRES do exército tinha sido o Piranha V, uma versão «aumentada» do Piranha IV.

Blindagem modular
Este veículo pode utilizar blindagem modular.
Este tipo de blindagem consiste na possibilidade de adaptar - consoante as necessidades - módulos adicionais de blindagem ao veículo, que podem ser aplicados conforme seja considerado necessário pelas condições no terreno.
Os módulos de blindagem adicional podem ser aplicados mesmo no campo de batalha ou local onde os veículos estiverem em operação, sem necessidade de o remover para uma oficina. A blindagem é aplicada aparafusando os modulos adicionais à bindagem base.
Este tipo de blindagem, tanto pode ser adaptado a veículos blindados ligeiros sobre rodas, como a veículos blindados pesados.
As características da blindagem modular mudam consoante as técnologias utilizadas no seu fabrico, mas o conceito de blindagem modular é sempre o mesmo e a sua aplicação aos veículos também é idêntica.