Dados sobre países utilizadores:


Listar veículos do tipo
Canhão de assalto

Veículos idênticos ou relacionados:


T-60
Carro de combate leve

T-70
Carro de combate leve

SU-76M
Canhão de assalto

ZSU-37
Sistema defesa antiaérea Curto/Médio alc.

M-60P APC
Veículo Blindado Transporte Pessoal

 

SU-76M
Canhão de assalto (GAZ)
SU-76M

Projeto: GAZ
Russia
Dimensões
Comprimento
Comprimento máximo
Largura
Altura
Altura máxima
4.88
n/disponivel
2.73m
2.17M
Peso vazio
Peso / combate
Cap. Carga
Reboque
9.5t
10.6t
N/disponivel
N/disponivel
Motor / potência / capacidades
Motor
Potência
Vel. maxima
Terr. Irregular
2 x GAZ 203
170cv
45 Km/h
20 Km/h
Tração
Tanque combustivel
Autonomia
Tripulação
Lagartas
N/disponível
450Km
4
30º
30º
0.89M
3.12M
0.7M

Armamento básico
- 1 x 76mm ZiS-3 L/51 (Calibre: 76.2mm - Alcance estimado de 1.5Km a 13.3Km)
Sistema de radar auxiliar:

País: União Soviética
Designação Local:SU-76
Qtd: Máx:14292 - Qtd. em serviço:0
Situação: Retirado
Operacionalidade:
Perante a falta de tanques, e enquanto as fábricas da Sibéria não começaram a produzir carros de combate médio, o SU-76 era visto pelo Exército Vermelho como um caça-tanques, utilizando o seu canhão de 76mm para destruir tanques inimigos.

Ele foi utilizado na batalha de Kursk, onde normalmente o canhão ZiS-3 de 76.2mm conseguia destruir os veículos blindados alemães de menor blindagem, como os Panzer-III e embora não conseguisse perfurar a blindagem dos tanques mais pesados (especialmente o Tiger), podia deixa-los fora de acção, disparando contra as lagartas.

À medida que novos tanques T-34 e KV-1 foram sendo produzidos em quantidades cada vez maiores, o SU-76 passou a ter no exército soviético a função que mais sentido fazia, ou seja, a função de camnhão de assalto, apoiando os avanços da infantaria.

O SU-76 foi um dos veículos de maior sucesso no exército soviético e continuou ao serviço depois do fim do conflito.


Forum de discussão

Um dos mais curiosos veículos utilizados pela União Soviética durante a II guerra mundial foi o SU-76.
Não tendo possibilidade de utilizar o chassis do T-70 para a colocação de armamento mais pesado, os soviéticos optaram por uma solução que os alemães também utilizaram com grande sucesso, ao converter os seus tanques leves em caça-carros ou canhões de assalto, armados com um canhão de casco sem torre.

Quando a guerra começou, o Exército Vermelho não tinha nenhum tipo de canhão autopropulsado e os soviéticos ficaram impressionados com o conceito do canhão autopropulsado que poderia ser utilizado também para a função anti tanque.
Copiando o conceito alemão, os soviéticos aproveitam o chassis do tanque T-70, o carro de combate mais numeroso em serviço, e cuja produção não tinha sido afectada pelo avanço alemão [1] para produzir a sua própria versão de caça-tanques, ou canhão de assalto.

Prescindindo da torre, um canhão de 76mm idêntico ao instalado no tanque médio T-34 e no tanque pesado KV-1 foi adaptado ao chassis do T-70. O veículo era aberto e a tripulação apenas tinha protecção lateral e frontal. Os SU-76 entraram ao serviço entre o final de 1942 e o inicio de 1943.


Modificação extensa
O projecto do SU-76 implicou modificações consideraveis no tanque leve T-70. A posição do motor, a posição do condutor e os tanques de combustível tiveram que sofrer alteraçõs, para permitir criar o espaço na retaguarda para o pessoal que municiava a peça de 76mm e que podia efectuar até 20 disparos por minuto.
O sistema de suspensão também foi modificado, recebendo uma sexta roda. O armamento secundário, bem como os sistemas ópticos e de pontaria eram idênticos aos utilizados no tanque T-34.

O veículo era um expediente de emergêcia e não tinha nenhum tipo de conforto. Era aliás tão desconfortavel que os soldados soviéticos lhe deram o nome de «cachorra». A urgência que foi imprimida ao projecto levou a que os primeitos veículos fossem produzidos com dois motores GAZ-202 que se mostraram inadequados, forçando a suspensão da produção, até que ficou disponível o motor GAZ-203 e foi introduzido o novo modelo SU-76M.

Com a entrada ao serviço de canhões de assalto muito mais poderosos, na fase final da guerra muitos SU-76 foram transformados em transportadores de munições, no entanto algumas unidades ainda participaram na guerra da Coreia.


Acima, visão traseira do Su-76: Topo aberto e falta de proteção para a guarnição da arma.



[1] - A fábrica Gorky de Nizhny Novgorod, montada pela Ford Motor Company em 1929 encontrava-se a leste de Moscovo, enquanto que as fábricas de tanques médios se encontravam próximo da fronteira, tendo sido desmontadas e reconstruidas na Sibéria. Durante esse processo, a produção de tanques foi tremendamente afectada. Por esta razão, durante o periodo crucial de 1941-1943 os tanques leves assumem especial importância para os soviéticos.

Informação genérica:
A União Soviética desenvolveu varios carros de combate leves, como o fizeram vários países europeus, entre os quais a Alemanha com os seus Panzer-I.

Os veículos ligeiros que pudessem chegar a qualquer ponto do extenso país eram vistos como uma importante arma para a segurança interna e para garantir a unidade do país, afectado por uma guerra civil nos anos que se seguiram ao fim da I guerra mundial.

Os veículos blindados leves, com lagartas começaram a ser estudados na União Soviética depois que o país adquiriu alguns veículos Carden Lloyd à Grã Bretanha.

Os engenheiros soviéticos começaram a desenvolver as suas próprias versões e entre as versoes desenvolvidas encontram-se:

T-40, um veículo anfíbio que foi utilizado na guerra da Finlandia com resultados decepcionantes.

T-60, uma modernização e melhoramento do T-40 inicialmente conhecida como T-40S, sem capacidade anfíbia que a industria soviética começou a produzir de emergência em fábricas de camiões civis.

T-70, uma versão melhorada e aprimorada do T-60, com motor mais potente e canhão de 45mm.

SU-76, resultado da reconversão das linhas de montagem, aproveitadas a partir de 1943 para a produção de um veículo do tipo canhao de assalto / caça tanques

O mais importante membro da família de tanques leves soviéticos

Os soviéticos aproveitaram a ideia alemã de adaptar um canhão fixo, sem torre aos tanques leves e as linhas de produção do T-70 foram sendo convertidas para produzir o SU-76 um canhão de assalto que também podia ser utilizado como caça-tanques, mercê da capacidade da arma de 76mm instalada, e que se transformou no segundo veículo mais fabricado pela União Soviética durante a guerra.

ZSU-37 - Embora pouco significativo pelo reduzido numero de unidades produzidas e por não ter chegado a ser utilizado durante a II guerra, há que referir também o sistema auto-propulsado ZSU-37 que utilizou a mesma plataforma base.

M-60P - Versão de transporte de infantaria
Bastante depois do final da II guerra, a antiga Jugoslávia utilizou como base o chassis e a suspensão do carro ligeiro soviético T-70 para desenvolver uma viatura blindada de transporte de pessoal conhecida como M-60.