Dados sobre países utilizadores:


Listar veículos do tipo
Sistema defesa antiaérea Curto/Médio alc.

Veículos idênticos ou relacionados:


SA-6 «Gainful»
Sistema defesa antiaérea Curto/Médio alc.

Akash System (SA-6)
Sistema defesa antiaérea Curto/Médio alc.

 

SA-6 «Gainful»
Sistema defesa antiaérea Curto/Médio alc. (Soviet State Factories)
SA-6 «Gainful»

Projeto: Soviet State Factories
União Soviética
Dimensões
Comprimento
Comprimento máximo
Largura
Altura
Altura máxima
7.6
n/disponivel
2.85m
3.1M
Peso vazio
Peso / combate
Cap. Carga
Reboque
24t
28t
N/disponivel
N/disponivel
Motor / potência / capacidades
Motor
Potência
Vel. maxima
Terr. Irregular
Diesel multifuel
710cv
60 Km/h
30 Km/h
Tração
Tanque combustivel
Autonomia
Tripulação
Lagartas
N/disponível
500Km
6
N/disponivel
0M
0M

Misseis / foguetes de artilharia
Sistema de radar auxiliar:

País: Egipto
Designação Local:SA-6
Qtd: Máx:12 - Qtd. em serviço:0
Situação: Retirado
Operacionalidade:
A mais conhecida, ainda que não determinante, utilização do sistema SA-6, ocorreu na primeira fase da guerra do Yom Kipur, entre Israel e o Egipto em Outrubro de 1973.
Nesse conflito foram utilizados todos os 12 sistemas disponíveis. Os SA-6 tinham a grande vantagem da mobilidade. Os mísseis mais antigos estavam instalados em plataformas fixas que demoravam muitas horas para desmontar transportar para novo local e montar novamente. As tropas egipcias, avançando no terreno, rapidamente ficariam sem qualquer protecção anti-aérea.

Sistemas como o SA-6, que podiam avançar juntamente com a infantaria e os blindados, davam protecção às forças que de outra forma seria impossível. O SA-6 e o seu sistema de controlo de tiro também parecia ser completamente imune a contra-medidas electrónicas.
A chegada de técnicos norte-americanos que analisaram as ondas de rádio e entenderam o tipo de comunicação entre radar e míssil finalmente tornaram possível a utilização de medidas electrónicas contra o míssil.

Além disso, descobriu-se que na fase de lançamento os mísseis 3M9 descreviam uma trajectória muito baixa, pelo que os aviões de Israel tinham possibilidade de destruir as baterias efectuando ataques de voo picado, ao estilo dos Stuka da II Guerra Mundial. Várias baterias foram destruidas até que foi assinado o cessar-fogo.


Forum de discussão

O sistema de defesa SA-6 (2K12-KUB na designação russa) começou a ser concebido a partir de 1958 com o objectivo de conceder protecção a forças russas em movimento, conforme estava estabelecido pelas tácticas e estratégia da Unhião Soviética, no caso de um avanço contra os países da NATO.

Os mísseis estavam instalados num sistema de lançamento que acomodava três unidades, precisando de um sistema de controlo com um radar do tipo «Straight Flush» com um alcance de 75km destinado a pesquisar potênciais alvos.

Também estava disponível um director de tiro (iluminador utilizando uma onda continua) ou uma mira óptica para guiar os mísseis.

O sistema foi declarado operacional em 1970 e foi fornecido ao Egipto a tempo de em 1973 estar disponível durante a guerra do Yom Kipur, a sua mais conhecida utilização operacional.

Sucesso

Durante o conflito do Yom kippur, a força aérea de Israel foi surpreendida com a facilidade com que as suas aeronaves conseguiam ser abatidas pelas defesas aéreas egipcias.
Se vários sistems egipcios eram fixos e Israel ganhava o controlo do ar quando estava ora do alcance dos mísseis mais antigos, os mísseis do sistema SA-6 apresentavam a particularidade de estarem montados em plataformas moveis, que podiam acompanhar a progressão das forças em terra.

Reverso da medalha

No entanto, poucos dias depois do inicio do conflito, Israel percebeu que o sistema SA-6 tinha uma debilidade. Ao destruir o radar principal que controlava o sistema, todos os lançadores se tornavam inuteis.

Estes dados, em conjunto com a análise dos sistemas de controlo dos mísseis que permitiram reduzir a capacidade de controlar os mísseis, permitiram a Israel reconquistar por completo o dominio dos ceus, o que garantiu a sua vitória no conflito.

Informação genérica:
Designado na Rússia como 2K12, o sistema de defesa anti-aérea SA-6 foi inicialmente concebido na União Soviética como sistema de médio alcance, com mobilidade suficiente para acompanhar unidades blindadas, protegendo-as contra ameaças aéreas.

Existe igualmente uma versão naval deste sistema conhecida como SA-N-3 e instalada a bordo de fragatas e contra-torpedeiros.

Além das versões russas, o sistema foi adaptado na Índia, onde com novo propelente e um novo sistema de radar, se transformou no sistema conhecido como AKASH.

A principal debilidade deste sistema, reside no facto de possuir apenas um radar de controlo para todos os lançadores. A destruição do radar, torna a bataria inutil.

Essa é a principal razão que explica a substituição do SA-6 pelo SA-11 «Gadfly» ou BUK-M1, no qual cada lançador possui o seu próprio radar.