Dados sobre países utilizadores:


Listar veículos do tipo
Carro de combate pesado

Veículos idênticos ou relacionados:


IS-2
Carro de combate pesado

IS-3
Carro de combate pesado

T-10M
Carro de combate pesado

 

IS-2
Carro de combate pesado (Soviet State Factories)
IS-2

Projeto: Soviet State Factories
União Soviética
Dimensões
Comprimento
Comprimento máximo
Largura
Altura
Altura máxima
7.4
10.74m
3.44m
2.93M
Peso vazio
Peso / combate
Cap. Carga
Reboque
43t
46.25t
N/disponivel
N/disponivel
Motor / potência / capacidades
Motor
Potência
Vel. maxima
Terr. Irregular
V-12 IS 12cyl Diesel
520cv
37 Km/h
20 Km/h
Tração
Tanque combustivel
Autonomia
Tripulação
Lagartas
N/disponível
150Km
4
35º
20º
1.29M
3M
0M

Armamento básico
- 1 x 122mm D25T (Calibre: 122mm - Alcance estimado de 0.8Km a 1.6Km)
Sistema de radar auxiliar:


Forum de discussão

Imediatamente derivado do IS-85 ou IS-1, que pouco mais era que um tanque KV-85 adaptado para o transporte de uma arma principal de maior calibre, o IS-2 foi a versão que foi aceite para produção efectiva. O IS-2 o resultado da necessidade de desenvolver um carro de combate que se pudesse opor aos tanques pesados alemães que se esperava começassem a aparecer em 1943. O IS-2 possuia uma nova torre de maiores dimensões e um canhão de 122mm D-25T de 122mm que foi escolhido quando se tornou evidente que o canhão de 85mm não era suficiente para arma principal de um tanque pesado.

Os estudos, desenho e concepção do tanque «Stalin» começaram no final de 1942, os primeiros protótipos foram apresentados no inicio de 1943, a versão IS-2 só começou a saír das fábricas no final de 1943, e esteve em produção durante um ano, até ao final de 1944, altura em que foi lançado o IS-3.

No total, foram produzidos produzidos 2250 tanques IS-2 que foram entregues ao Exército Vermelho.
Eles entraram em combates em 1944 e estiveram presentes na queda de Berlim, participando em combates de rua, onde foram utilizados para apoio de infantaria.

Informação genérica:
As origens mais remotas dos carros de combate da família IS (Iosef Stalin) encontram-se em Agosto de 1942, quando o Alto Comando soviético recebeu informações de que a Alemanha estava a desenvolver uma nova família de tanques pesados.

A primeira solução encontrada, foi utilizar o carro de combate pesado KV-1, que entretanto estava em estudos para a introdução de um novo canhão de 85mm. O primeiro protótipo do «novo» tanque Stalin, lançado no inicio de 1943 estava armado com um canhão de 85mm (ficou conhecido como IS-1 ou IS-85).
O IS-1, teria a mesma função do tnaque alemão Tiger-1, ou seja: Dominar o campo de batalha.

A principal diferença do tanques Stalin era a sua blindagem mais pesada. Rapidamente os militares concluiram que o canhão de 85mm não era suficiente para as necessidades e isso levou à instalação de uma arma principal de 122mm a qual não cabia na torre. A solução foi introduzir uma nova torre, com a nova arma.

Stalin Tank
O tanque «Stalin» é normalmente considerado um derivado do KV-1, no entanto as diferenças entre os dois veículos são consideráveis e claramente visíveis nesta comparação à escala entre o KV-1 à esquerda e o Stalin IS-2 à direita.


Surge assim o IS-2, que foi aceite para produção em Outubro de 1943. Até ao fim desse ano já tinham sido produzidos 102 exemplares.

Os IS-2 esteve em produção de Outubro de 1943 até ao final de 1944, altura em que foi lançado o IS-3, com uma blindagem inspirada nos principios do T-34, laterais inclinadas e muito melhor perfil balistico.

O melhor perfil balístico permitiu manter um peso idêntico ao IS-2.

A última derivação da família de tanques «Stalin» foi o tanque IS-8 e IS-9, que posteriormente mudou de nome para T-10 e T-10M depois da morte de Stalin.

O T-10 subdivide-se em:
T-10 original (idêntico ao IS-3)
T-10A (canhão estabilizado)
T-10B (modernização ao estabilizador do canhão)
T-10M Versão modernizada com canhão de 43 calibres

Embora a partir de 1967 os tanques passassem a ter capacidade para disparar munição APDS e HEAT, o melhoramento da qualidade dos tanques ocidentais e a standardização do canhão de 105mm, que podia perfurar com alguma facilidade a blindagem do T-10 tornou o conceito do tanque pesado completamente obsoleto.