Dados sobre países utilizadores:


Listar veículos do tipo
Caça-tanques

Veículos idênticos ou relacionados:


Valentine Mk.I / Mk.IV
Carro de combate médio

Valentine Mk.VIII
Carro de combate médio

Bishop
Artilharia Auto propulsada

Archer
Caça-tanques

 

Archer
Caça-tanques (Vickers Defence)
Archer

Projeto: Vickers Defence
Reino Unido
Dimensões
Comprimento
Comprimento máximo
Largura
Altura
Altura máxima
6.68
n/disponivel
2.76m
2.25M
Peso vazio
Peso / combate
Cap. Carga
Reboque
15t
16.257t
N/disponivel
N/disponivel
Motor / potência / capacidades
Motor
Potência
Vel. maxima
Terr. Irregular
General Motors 9-71 Diesel
192cv
32 Km/h
0 Km/h
Tração
Tanque combustivel
Autonomia
Tripulação
Lagartas
N/disponível
225Km
4
25º
30º
0.91M
2.36M
0.84M

Armamento básico
- 1 x 76mm / Mk.2 HV (17 pounder) (Calibre: 76.2mm - Alcance estimado de 0.5Km a 1.2Km)
Sistema de radar auxiliar:


Forum de discussão

O caça-tanques Archer, que entrou ao serviço a partir de Março de 1944, foi uma das adaptações do tanque «Valentine», cuja utilidade efectiva no campo de batalha como tanque foi sendo reduzida à medida que novos veículos íam sendo colocados em produção.

O tanque médio «Valentine» foi sendo modificado com novos armamentos, passando de 40mm para 57mm e depois para 75mm, mas o desenho e peso do veículo tornavam impossível adaptar o canhão anti-tanque britânico de 76mm (17 libras) que era a mais eficiente arma anti-tanque britânica.

A solução encontrada pelos britânicos, foi idêntica à que tinha sido encontrada pelos alemães e pelos soviéticos quando queriam aproveitar um chassis mais pequeno para colocar uma arma mais potente que o que tinha sido inicialmente previsto no projecto.

Foi removida a torre do Valentine e modificado o chassis, para colocar o canhão de 76mm (17 libras) no casco.

No entanto, ao contrário dos seus congéneres soviéticos e alemães, o «Archer» tinha uma distintiva característica.
O seu canhão, estava voltado para trás e não para a frente.

Esta característica algo estranha levantou inicialmente dúvidas quanto à sua utilização, mas rapidamente se percebeu que a utilização do «Archer» como arma anti-tanque, atacando normalmente tanques alemães muito mais poderosos, de posições defensivas, levava a que a colocação da arma principal «ao contrário» acabasse por ser uma vantagem e não uma desvantagem.

O Archer poderia disparar contra o alvo, a uma distância relativamente segura, mercê da potência da sua arma principal, mas caso este não fosse destruido, e existisse possibilidade de resposta, rapidamente o condutor podia avançar para trás, escapando rapidamente do perigo, não permitindo que um eventual atacante se aproximasse.


Acima, vista traseira do «Archer»: A arma principal está apontada para trás.

A arma era especialmente indicada e adequada para as tácticas utilizadas por Montgomery na Europa, que contava sempre com um contra-ataque alemão de cada vez que os britânicos avançavam.
Após cada avançada, unidades blindadas equipadas com o Arhcer, tomavam posições defensivas aguardando a eventual resposta dos alemães.

O «Archer», mercê de estar equipado com aquele que foi considerado o melhor canhão anti-tanque dos aliados ocidentais durante a guerra, continuou ao serviço até meados dos anos 50 e várias unidades chegaram a ser utilizadas por países do Médio Oriente aos quais foram vendidos.

Durante a guerra de 1956, pelo controlo do canal do Suez, unidades egipcias estavam equipadas com caça-tanques Archer, que chegaram a destruir veículos blindados britânicos.

Informação genérica:
Os veículos do tipo Valentine e derivados apareceram em 1938 inicialmente como um empreendimento privado, sem qualquer apoio do Estado, mas respondendo ao conceito britânico de «tanque de infantaria».

Armado com um canhão de 40mm nas suas versões iniciais, o Valentine tinha inicialmente capacidde para enfrentar os tanques alemães Panzer-II e Panzer-III, mas com o evoluir do conflito a deficiência tornou-se evidente.

O Valentine foi produzido em 11 versões distintas de carros de combate, que foram sucessivamente armados com diferentes armamentos principais:

Até à versão Mk.VII :
Canhão de 40mm (2 libras).

A partir da versão Mk. VIII
Canhão de 57mm (6 libras)

Versão Mk.XI :
Canhão de 75mm

A motorização inicial também foi evoluindo, embora sempre limitada pelo espaço disponível para a colocação do motor. O AEC-A190 de 131cv, foi substituido por um motor da General Motors de 192cv nas últimas versões.

Caça-tanques «Archer» e óbus auto propulsado «Bishop»

Ele também serviu de base para um dos mais eficientes veículos caça-tanques produzido pelos aliados ocidentais, que ficou conhecido como «Archer» (mais de 600 produzidos), armado com o poderoso canhão anti-tanque britânico de 76mm (17 libras).

Além da versão caça-tanques também foi desenvolvido um óbus auto propulsado que ficou conhecido como «Bishop»(mais de 100 unidades fabricadas), equipado com um óbus de 88mm (25 libras) utilizado pelos britânicos ao longo de todo o conflito.