Dados sobre países utilizadores:


Listar veículos do tipo
Veículo de Combate de Infantaria



Veículos idênticos ou relacionados:


M548
Viatura táctica média

M-113 A1/A2
Veículo Blindado Transporte Pessoal

M-730 / M48A3 «Chaparral»
Sistema defesa antiaérea Curto/Médio alc.

M901 ITV
Caça-tanques

AIFV
Veículo de Combate de Infantaria

M577 A2
Viatura de comando

M-113B / BR
Veículo Blindado Transporte Pessoal

M1064 (M-113)
Morteiro autopropulsado

M-113 A3
Veículo Blindado Transporte Pessoal

 

AIFV
Veículo de Combate de Infantaria (FMC-United Defense / BAE Systems)
AIFV

Projeto: FMC-United Defense / BAE Systems
Estados Unidos da América
Dimensões
Comprimento
Comprimento máximo
Largura
Altura
Altura máxima
5.258
n/disponivel
2.819m
2.794M
Peso vazio
Peso / combate
Cap. Carga
Reboque
11.405t
13.687t
N/disponivel
N/disponivel
Motor / potência / capacidades
Motor
Potência
Vel. maxima
Terr. Irregular
Detroit 6V-53T Diesel
264cv
61 Km/h
20 Km/h
Tração
Tanque combustivel
Autonomia
Tripulação
Lagartas
416 Litros
490Km
3+7
60º
30º
Anfíbio
1.625M
0.635M

Armamento básico
- 1 x 12.7mm Browning M2 (Calibre: 12.7mm - Alcance estimado de 1.5Km a 2.4Km)
Sistema de radar auxiliar:


Forum de discussão

O AIFV foi inicialmente desenvolvido por iniciativa do fabricante e sem qualquer pedido de qualquer força armada, no final dos anos 60.
O modelo recebeu inicialmente a designação M-110A1, mas como os melhoramentos e modificações foram consideráveis o fabricante decidiu designar o veículo com o novo nome de AIFV «Armoured Infantry Fighting Vehicle».

Ao contrário do M-113, que se destinava apenas a transportar forças de infantaria, que deveriam combater fora do veículo, o AIFV aproveitava o M-113 e adaptava-o para o conceito de veículo de combate d einfantaria, onde os infantes poderiam combater desde o interior do veículo e caso tivessem que sair poderiam ser apoiados por um canhão instalado numa torre no topo do veículo.

O primeiro cliente do novo veículo foi o exército da Holanda. A Bélgica também adquiriu algumas centenas e vários outros países também adoptaram o veículo.

O poder de fogo do veículo é superior ao do M-113, mercê da instalação de uma torre armada com um canhão de 25mm. Este armamento pode ser alterado e diversos tipos de torre podem ser adaptadas.

A protecção também é superior, tendo sido acrescentada blindagem adicional ao M-113 que na sua versão original é fracamente blindado.
A superior blindagem do AIFV eas suas características superiores ao M-113 levaram a que fosse também adaptado para várias outras funções.

Entre as versões mais comuns está o veículo de comando, ambulância, porta-morteiro, viatura anti-tanques «TOW». Algumas versões foram equipadas apenas com uma metralhadora 12.7mm o que as transfornmou em equivalentes ao M-113, beneficiando no entando da maior blindagem.

A empresa turca FNSS produziu sob licença a sua versão do AIFV, com quase dois milhares de veículos encomendados pelo exército turco.

Informação genérica:
O M113 é um veículo blindado de transporte de pessoal de origem americana, e é provavelmente o mais reconhecido veículo do tipo.

Com mais de 50.000 exemplares produzidos e disponível em mais de 150 versões é o veículo blindado mais produzido no ocidente depois do carro de combate Sherman.

O desenvolvimento do M113 começou na década de 1950, nomeadamente 1956, quando o exército dos Estados Unidos solicitou à industria uma viatura mais barata e mais leve que o M75 que estava na altura em consideração.

A baixa no preço do alumínio e a necessidade de uma viatura leve que pudesse ser aerotransportada influiram de forma decisiva na escolha do modelo.

Ainda que a espessuara da blindagem seja de 35mm, e em alguns casos de 45mm, a espessura real, é de 12 a 15mm quando comparada com o aço.

Depois de várias encomendas de modelos de pré-produção, a versão definitiva do M113 entrou em produção em 1964.

O M-113 é uma espécie de carrinha (perua) blindada com lagartas (muitas vezes referida como Taxi de combate), que tem por objectivo proteger a infantaria que deve seguir junto com os carros de combate. Adicionalmente, foram crescendo as versões, existindo versões que em substituição da peça de 12.7mm têm peças desde 20mm até 105mm.

Presentemente o M-113 não é um veículo suficientemente capaz para resistir ao "calor da batalha" num teatro de guerra moderno. A sua principal deficiência é a pouca protecção balistica, que decorre da fraca blindagem, mas também da existência de laterais direitas, que facilitam a perfuração por projecteis hoje em dia muito comuns, como as Granada-foguete RPG.
Muitos exércitos modernizaram os seus M-113 acrescentando-lhes blindagem adicional, de forma a reduzir este problema.

Este tipo de veículo, está no entanto a ser preterido pelo conceito do VCI (Veículo de combate de infantaria), que tem menor capacidade de transporte mas ao mesmo tempo dispõe de uma canhão de tiro rápido, de 20 ou 30mm instalado no topo.

Existem alguns exércitos que adaptaram o M-113 a esta nova realidade, adicionando-lhe este tipo de canhão e utilizando-o como VCI.




Uma derivação do M-113 que teve uma utilização e classificação distinta foi o AIFV, uma versão melhorada, com melhor blindagem e armada com um canhão, para permitir o apoio à infantaria embarcada.



M-548
Baseado do M-113, foi desenvolvido o M-548, que é basicamente um chassis sobre lagartas sobre o qual podem ser aplicados vários sistemas.