Dados sobre países utilizadores:


Listar veículos do tipo
Veículo Blindado Transporte Pessoal



Veículos idênticos ou relacionados:


AML-60
Morteiro autopropulsado

AML-90
Veículo ligeiro de reconhecimento

M3 - VTT
Veículo Blindado Transporte Pessoal

 

M3 - VTT
Veículo Blindado Transporte Pessoal (Panhard-Auverland)
M3 - VTT

Projeto: Panhard-Auverland
França
Dimensões
Comprimento
Comprimento máximo
Largura
Altura
Altura máxima
4.45
n/disponivel
2.4m
2.48M
Peso vazio
Peso / combate
Cap. Carga
Reboque
5.3t
6.1t
N/disponivel
N/disponivel
Motor / potência / capacidades
Motor
Potência
Vel. maxima
Terr. Irregular
Panhard-4HD
90cv
90 Km/h
15 Km/h
Tração
Tanque combustivel
Autonomia
Tripulação
Quatro rodas motrizes
165 Litros
600Km
2+10
60º
30º
Anfíbio
0.8M
0.3M

Sistema de radar auxiliar:

País: Libano
Designação Local:Panhard VTT
Qtd: Máx:30 - Qtd. em serviço:12
Situação: Reserva
Operacionalidade:
As viaturas Panhard VTT foram recebidas entre 1971 e 1973. Ainda se encontram ao serviço algumas unidades. Utilizados essencialmente para missões de segurança interna.


Forum de discussão

Como outras viaturas da Panhard & Levassor o modelo M3 não foi resultado de nenhum pedido das forças armadas francesas, tendo sido uma iniciativa da própria empresa no sentido de complemttar a sua gama de viaturas blindadas ligeiras com base no veículo blindado ligeiro AML, que tinha sido um sucesso, com a venda de cerca de 4,000 unidades.

O desenvolvimento do M3 teve inicio na segunda metade dos anos 60 e o primeiro protótipo foi apresentado em 1969. As primeiras viaturas de série foram entregues logo em 1961 e o M3 acabou sendo um sucesso comercial, com cerca de 1200 unidades vendidas para 35 países.

Trata-se de uma viatura de transporte de pessoal que também foi adaptada para várias outras utilizações, o que justifica o seu sucesso em vários países africanos, onde se mostrou adequado para funções de contra-insurgência e conflitos de baixa intensidade. A sua fraca blindagem não permite a sua utilização em outro tipo de cenários.

O M3, aproveitou parte da estrutura do AML. O condutor está na frente, ao centro, tendo o motor sido colocado numa posição central logo atrás do condutor. O espaço traseiro é ocupado pelo compartimento onde são transportados até 10 militares, que saem do veículo pelas portas traseiras ou por uma porta lateral.

O veículo foi dotado de escotilhas laterais de grandes dimensões que permitem aos militares disparar de dentro do veículo.

Informação genérica:
Familia de viaturas ultra ligeiras (Auto Metralhadora Ligeira) de origem francesa, ao serviço em muitos países africanos, na França, na África do Sul e igualmente em Portugal nos anos 60 a 80.

Existem várias derivações deste veículo, entre as quais se contam:

AML-60 - Autometralhadora equipada com um morteiro de 60mm.

AML-90 - Autometralhadora equipada com uma torre armada com uma peça de 90mm de baixa pressão.

ELAND / 90 - A viatura AML foi igualmente fabricada na África do Sul onde o modelo mais conhecido é o ELAND, um AML-90 com uma torre de concepção belga, equipada com um canhão de baixa pressão que permite a sua utilização contra veículos blindados mais antigos e contra outro tipo de alvos menos blindados.

A última versão directamente derivada do AML foi a versão M3 que foi estudada na segunda metade dos anos 60, como viatura blindada de transporte de pessoal.

Muitos dos AML foram entregues pelos franceses a unidades militares de alguns países francofonos após terem sido retirados de serviço em França.



A capacidade da sua peça principal de 90mm parece um pouco estranha quando comparada com o peso do veículo que vazio se fica pelas 5 toneladas.

Na verdade o AML destinava-se à utilização nas colonias francesas de África, onde não deveria defrontar qualquer tipo de ameaça blindada e onde nos anos 50 e inicio dos anos 60 ainda não tinham chegado os sistemas do tipo LGF (Lança-Granada-Fioguete) de fabrico soviético como o RPG-2 e RPG-7.

O AML deveria ser utilizado para apoiar unidades ligeiras de infantaria motorizada em operações de contra-insurgência.

A capacidade do seu armamento, que podia defrontar em caso de necesidade mesmo a blindagem de carros de combate médios, desde que utilizando munição adequado do tipo «HESH» leva a que algumas vezes se considere a possibilidade de esta viatura poder ser utilizada contra carros pesados.

A sua pouca utilidade neste caso ficou provada por exemplo nos confrontos no sul de Angola, em que as viaturas ELAND sul africanas (versão fabricada sob licença) tivessem ordens para utilizar a sua alta mobilidade e velocidade para fugir caso tivessem que encontrar carros de combate como o T-54 o T-62.