Dados sobre países utilizadores:


Listar veículos do tipo
Viatura táctica Ligeira



Veículos idênticos ou relacionados:


Carden-Lloyd Mk.VI
Viatura táctica Ligeira

T-27
Viatura táctica Ligeira

CV-35
Viatura táctica Ligeira

L6/40
Carro de combate leve

 

T-27
Viatura táctica Ligeira (GAZ)
T-27

Projeto: GAZ
Russia
Dimensões
Comprimento
Comprimento máximo
Largura
Altura
Altura máxima
2.6
n/disponivel
1.83m
1.45M
Peso vazio
Peso / combate
Cap. Carga
Reboque
2.4t
2.7t
N/disponivel
N/disponivel
Motor / potência / capacidades
Motor
Potência
Vel. maxima
Terr. Irregular
GAZ-AA
40cv
40 Km/h
25 Km/h
Tração
Tanque combustivel
Autonomia
Tripulação
Lagartas
46 Litros
84Km
1+1
N/disponivel
1.22M
0.41M

Sistema de radar auxiliar:


Forum de discussão

A União Soviética adquiriu várias viaturas blindadas a países ocidentais, tanto na Europa como nos Estados Unidos, para facilitar o desenvolvimento da sua industria de blindados.
Como ocorreu com outros países, a URSS também adquiriu a viatura Vickers / Carden-Lloyd Mark VI, que no final da década de 1920 aparecia como uma opção para a criação de unidades motorizadas.

Os soviéticos estudaram as viaturas britânicas, enviando-as para a fábrica nr.37 na capital do país onde uma equipa chefiada pelo engenheiro N.Kozyrev iniciou os trabalhos destinados a criar uma linha de montagem para rapidamente produzir uma versão soviética.

Para corresponder às necessidades do exército vermelho, os soviéticos introduziram várias modificações. As proteções de cabeça dos dois tripulantes foram modificadas de forma a que fosse possivel comunicarem um com o outro. Foram introduzidas ligeiras modificações nas rodas, nos roletes e foi adaptado um motor mais potente, uma versão soviética de um motor Ford.

A produção da versão russa, que recebeu a designação T-27 começou no Outono de 1931 e em três meses, até ao final do ano, 348 exemplares tinham sido produzidos.
Os soviéticos consideraram várias hipóteses para desenvolver variantes do veículo, de entre as quais se salienta a instalação de um canhão de 37mm, mas a dimensão reduzida da viatura desaconselhava a sua utilização para várias funções.

Com todas as modificações introduzidas, a viatura passou a ser designada T-27A. Exteriormente apenas se nota uma roda adicional de cada lado.

O plano de produção militar de 1932 considerava a construção de 5,000 exemplares do T-27A. Logo nesse ano, com a linha de montagem já pronta, um total de 1,693 foram produzidos, mas no ano seguinte (1933) apenas foram produzidos mais 500.

Nesta altura os militares soviéticos já tinham percebido que a viatura era demasiado pequena e desadequada para as necessidades das forças. Como plataforma de armas era pouco útil e a proteção era mínima.
No entanto o T-27 foi escolhido para o primeiro pelotão aerotransportado do exército vermelho, que estava em formação na altura.

Ainda foi desenvolvida uma versão muito melhorada do T-27, com capacidade anfíbia, conhecida como T-37.

Para o final da década de 1930 os T-27 passaram a ser utilizados como carros de instrução e muitos deles foram modificados para operar como tractor de artilharia, rebocando peças anti-tanque de 37mm e 45mm.

Informação genérica:
As viaturas ligeiras desenhadas pela Carden-Lloyd e produzidas pela Vickers na Grã Bretanha, estiveram entre os primeiros veículos blindados de lagartas de muitos exércitos do mundo.
São ainda hoje designados como «Tankettes». Em português a tradução mais simples seria «Tanqueta». A designação implica uma viatura levemente blindada para transportar apenas um ou dois homens.

Produção pela Carden Loyd
A Carden-Loyd fabricou este tipo de veículos entre 1925 e 1928, altura em que a empresa foi comprada pelo conglomerado Vickers-Armstrong, que passou a responsabilizar-se pelo fabrico.
Por esta razão a viatura é também conhecida como «Vickers Carden-Loyd».

Além da produção britânica para consumo próprio e exportação, o modelo também foi produzido por vários países que adquiriram licenças para fabricar localmente a viatura.


O primeiro desenvolvimento destas viaturas ficou conhecido como Vickers/Carden-Lloyd Mk.I e apareceu em 1926. Na realidade ele era já uma derivação de um protótipo que foi pela primeira vez mostrado em 1924.

Mark I
Tratava-se de uma viatura levemente blindada, com 1600kg que transportava apenas o condutor.
Movido por um motor de 14cv o veículo dispunha de uma metralhadora que era também operada pelo condutor do veículo.

Mark II
Idêntico ao Mark I mas com uma suspensão diferente, com quatro rodas de cada lado em vez de sete.

Mark III
Idêntico ao Mark II mas com pneus de borracha a substituir as rodas metálicas.

Mark IV
O primeiro veículo do tipo com dois lugares. O condutor e o chefe da viatura que era também o operador da metralhadora pesada de meia polegada (12.7mm). Além disso havia cinco roletes de retorno.

Mark V
Um hibrido de motocicleta e viatura de lagartas. Apenas oito exemplares foram produzidos.

Mark VI
De longe o mais produzido dos veículos deste tipo, com mais de 400 exemplares fabricados.
Uma campanha publicitária a nivel internacional também ajudou a divulgar o conceito.
Bélgica, Checoslováquia, Itália, Holanda e União Soviética adquiriram licenças de fabrico desta viatura. A França, a Polónia, a URSS e a Checoslováquia também adaptaram a viatura e lançaram as suas próprias versões derivadas.