Dados sobre países utilizadores:


Listar veículos do tipo
Carro de combate médio



Veículos idênticos ou relacionados:


Ti-67S «Tiran 5»
Carro de combate médio

Type-80 / 88
Carro de combate médio

T-55 AM-2
Carro de combate médio

Type-59 «Al Zarrar»
Carro de combate médio

M-55 S1
Carro de combate médio

T-55 M8A2 «Typhoon-2»
Carro de combate médio

 

Notícias relacionadas
Peru estuda opção de segundo carro de combate

T-55 M8A2 «Typhoon-2»
Carro de combate médio (Casanave)
T-55 M8A2 «Typhoon-2»

Projeto: Casanave
Peru
Dimensões
Comprimento
Comprimento máximo
Largura
Altura
Altura máxima
6.86
n/disponivel
0m
0M
Peso vazio
Peso / combate
Cap. Carga
Reboque
43.5t
45t
N/disponivel
N/disponivel
Motor / potência / capacidades
Motor
Potência
Vel. maxima
Terr. Irregular
5TDFMA
1050cv
78 Km/h
38 Km/h
Tração
Tanque combustivel
Autonomia
Tripulação
Lagartas
110 Litros
500Km
3
1.8M
0M
0M

Armamento básico
- 1 x 125mm KBM1 L/48 (Calibre: 125mm - Alcance estimado de 2.5Km a 3.4Km)
Sistema de radar auxiliar:


Forum de discussão

O T-55M8, também conhecido como Typhoon-II, baseia-se nos estudos desenvolvidos na Ucrânia para a criação de um programa de modernização «AGM» que pudesse ser aplicado a carros de combate T-55 ou T-62.

O T-55M8, é uma derivação da modernização AGM ucraniana, feita propositadamente para o Peru, país sul americano que conta com um parque considerável de viaturas do tipo.

O mais recente desenvolvimento encontra-se na versão T-55M8A2, e como a anterior, recebeu a nova arma de 125mm, modelo KBM1, a versão ucraniana do armamento standard dos carros de combate soviéticos a partir do T-62.
A arma tem municiamento automático, que levou à redução do numero de tripulantes de 4 para 3 .
Outra modificação curiosa, é a escolha de um motor mais potente, o 5TDFMA de 1050cv (em vez do 5TDFM de 850cv proposto na modernização original). Este aumento de potência, destina-se a precaver a perda de potência em situações de combate em áreas com altas temperaturas, como as do deserto do sul do Peru.
O peso pronto para combate indicado pela CASANAVE, é 45 tonelada, o que considerando que a modificação original viatura aponta para um peso de 48 toneladas, isto implica que foi tomada uma opção táctica por aumentar a velocidade do veículo, reduzindo a blindagem.
Esta opção estará relacionada com questões tácticas, uma vez que o principal teatro de operações é o deserto, onde os combates ocorrem a distâncias consideraveis.

Além da colocação do novo armamento principal a modernização também passa pela instalação de um novo sistema de controlo de tiro, sistema de telemetria a laser.


A substituição do sistema motriz e a modificação AGM

O principal problema no que concerne a modernização dos carros de combate T-55 é a necessidade de aumentar a sua débil blindagem. Para aumentar a blindagem é necessário um motor mais potente, para o qual não há espaço disponível. Por essa razão os carros T-55 modernizados em vários países apresentam sistemas de motorização revistos, em alguns casos modernizados, mas a substituição não é possível por causa do espaço.

A KMDB, no estudo para a modernização do T-55 optou por uma solução que não sendo inovadora é relativamente radical. O kit de modernização implica uma modificação considerável na traseira do veículo, e em vez de substituir o motor, todo o compartimento é cortado, e aplicado um modulo novo que é soldado ao resto do tanque. Deste forma o T-55AGM passa a dispor de um motor «multifuel» relativamente moderno e com uma potência que permite suportar a carga adicional de blindagem passiva e reactiva que foi adaptada à viatura.
O motor permite ao veículo atingir velocidades equivalentes às de viaturas blindadas mais modernas, mas a modificação só se torna eficiente conjuntamente com as modificações no sistema de transmissão e suspensão.

Blindagem

A blindagem base do T-55 não é alterada, mas a viatura recebe blindagem adicional na torre, aumentando a sua eficácia à frente, sendo igualmente incluidos módulos de blindagem reactiva. As modificações são aproximadas das que a KMDB efectua em viaturas do tipo T-64 e T-62 mais antigas, dado também existirem kits de modernização para viaturas daquele tipo.

O T-55AGM é um carro de combate adequado para países que não têm os recursos necessário para possuir viaturas blindadas mais modernas mas que pretendem manter alguma capacidade militar e dissuasória, possuindo carros de combate que são capazes dependendo das circunstâncias de enfrentar ameaças mais poderosas.

Informação genérica:
Carros de combate T-55 modernizados
O carro de combate T-55 foi o mais produzido tanque da União Soviética depois do mítico T-34 da II Guerra Mundial.

Relativamente fácil de produzir, o T-55 (e o quase gémeo T-54) transformou-se no tanque padrão de muitos dos países aliados da União Soviética e do Pacto de Varsóvia.

Esta situação levou a que o carro de combate se tornasse num dos mais disseminados em todo o mundo, dado existirem viaturas blindadas deste tipo em todos os continentes.

Tendo isto em consideração, várias industrias de vários países conceberam «kits» de repotenciamento e modernização dos tanques T-55, destinados a manter este carro de combate operacional e com alguma capacidade militar.

As várias modificações incluem desde novos módulos de blindagem a telemetria a laser, equipamento de visão nocturna e sistema computadorizado de disparo.

As primeiras modificações dos T-55 foram feitas por Israel, que capturou muitos veículos deste tipo.
Neste caso a alteração mais significativa foi a substituição do canhão de 100mm por um canhão de 105mm L/7 padrão nos países da NATO.

Depois da queda da URSS, vários países produziram as suas próprias adaptaçoes e modificações do T-55.

Entre as modificações mais conhecidas estão as que foram desenvolvidas na Eslováquia e na Eslovénia.
Outras modificações mais radicais ainda foram desenvolvidas pela Ucrania e pela China (ver abaixo).


Além das versões modificadas do T-55, também houve empresas que utilizaram a plataforma para produzir derivados, transformando o T-55 num veículo pesado de combate de infantaria, como é o caso do Achzarit , em serviço em Israel e do BTR-T que foi concebido pela fábrica russa Transmash de Omsk, embora não tenha sido colocado ao serviço de nenhum exército.

T-55 Jaguar
O T-55 «Jaguar» uma proposta norte-americana para a modernização do tanque russo. Ele recebeu uma peça de 105mm NATO, idêntica à dos tanques M-60, e uma torre completamente redesenhada. Um sistema de tiro Marconi foi adicionado juntamente com um sistema de estabilização da arma principal. O motor foi substituido por um Detroit Diesel 8V-92TA
Um T-55 americano
Entre as transformações mais exóticas, ainda que tecnicam,ente eficiente, foi a conversão fo T-55 apresentada no final dos anos 80 pela empresa norte-americana Cadillac-Gage:

O projecto chegou a ser proposto à China, que possuia um grande numero de veículos derivados do T-54/ T-55, mas não teve continuidade.

Outra empresa norte-americana, a General Dynamics, concebeu um kit de modernização que teve mais sucesso e qu eresultou na modificação conhecida como «Ramses-II» ao serviço no Egipto.

Programas de reconstrução

As mais poderosas adaptações do carro de combate T-55, são aquelas que incluiram a modificação do armamento principal de 100mm e o aumento da potência do motor.

As duas opções mais viáveis para a reconstrução do T-55 são a opção chinesa, que foi feita a partir do carro Type-59 (a versão chinesa to T-55) e a opção ucraniana, desenvolvida pela fábrica Kharkiv Morozov.

Esta última parece ser a mais radical de todas e é conhecida como AGM. Este kit, ou programa de modernização pode ser aplicado também a carros T-62.

A modificação AGM, implica substituição do armamento principal, motor, parte da transmissão, aumento da blindagem e modernização dos sistemas de tiro de forma a permitir ao T-55 contar com tecnologias mais modernas que lhe podem dar maior possibilidade de sobrevivência no campo de batalha.