Dados sobre países utilizadores:


Listar veículos do tipo
Caça-tanques

 

M18 «Helcat»
Caça-tanques (Detroit Tank Factory)
M18 «Helcat»

Projeto: Detroit Tank Factory
Estados Unidos da América
Dimensões
Comprimento
Comprimento máximo
Largura
Altura
Altura máxima
5.28
6.68m
2.87m
2.58M
Peso vazio
Peso / combate
Cap. Carga
Reboque
15.5t
17.036t
N/disponivel
N/disponivel
Motor / potência / capacidades
Motor
Potência
Vel. maxima
Terr. Irregular
1 x Continental R-975 C1
340cv
88 Km/h
40 Km/h
Tração
Tanque combustivel
Autonomia
Tripulação
Lagartas
N/disponível
168Km
5
1.22M
1.88M
0.91M

Armamento básico
- 1 x 76.2mm M1A1 L/55 (Calibre: 75mm - Alcance estimado de 1.2Km a 2Km)
Sistema de radar auxiliar:

País: Estados Unidos da América
Designação Local:M18 Helcat
Qtd: Máx:2500 - Qtd. em serviço:0
Situação: Retirado
Operacionalidade:
O Helcat entrou ao serviço do exército norte-americano em 1944 e ele mostrou ser um veículo bastante popular entre os militares americanos. A sua principal vantagem não era porem o seu armamento principal, que ainda que melhor que aquele que tinha inicialmente sido previsto para o carros de combate Sherman, também se mostrava insuficiente.

A principal vantagem do «Helcat» era a sua extraordinária mobilidade, que permitia utilizar tácticas a que os americanos chamavam de «Hit and Run». O Helcat podia atingir velocidades que tornavam muito dificil atingi-lo, podendo em caso de confronto com outros veículos alemães mais poderosos procurar refigio atrás de elevações ou construções.

Considerava-se que ao contrário do M10, o M18 podia «aguentar-se» sozinho e sem apoio adicional, mercê da sua muito alta velocidade.

No entanto, os conceitos norte-americanos quanto à utilização de viaturas anti-tanque levaram a que a produção do Helcat tivesse sido encerrada logo em 1944, com mais atenção dada à construção de carros de combate pesados.


Forum de discussão

Sendo um caça-tanques norte-americano, construido para obedecer às doitrinas que foram desenvolvidas naquele país para a utilização deste tipo de viatura, o M18 é diferente dos outros dois modelos «caça-tanques» na medida em que ele tem um chassis e um sistema de suspensão construidos propositadamente, não sendo uma derivação do M4 «Sherman».

O «Helcat», como viatura caça-tanques segundo o conceito norte-americano, deveria depender não da blindagem (era fracamente blindado, com uma blindagem de 9 a 25mm) mas sim na sua alta velocidade.
De facto o M18 «Hellcat», foi o mais rápido veículo sobre lagartas a entrar ao serviço durante a II guerra mundial, em qualquer país. A sua velocidade máxima aproximava-se dos 90km/h, ou seja, uma velocidade que conseguia ser superior à velocidade máxima da maioria dos veículos sobre rodas.

O desenvolvimento do M18 «Helcat» começou em 1942, ainda o M10 estava a entrar em produção. Os M18 começaram a sair das fábricas em 1943 e até Outubro de 1944 já tinham sido produzidos 2500 exemplares.

O M18 era considerado superior ao M10, pois possuia uma peça de 76mm M1A1 mais poderosa e além disso tinha a vantagem de ser muito mais rápido

Informação genérica:
-

US Tank Destroyers

O conceito norte-americano de viaturas anti-tanque evolui de forma diferente da alemã e da soviética.
Antes do inicio da II guerra, nos Estados Unidos estavam em estudo várias possíveis tácticas sobre a utilização de blindados, e os Estados Unidos estavam a desenvolver as suas próprias divisões blindadas, que eram vistas como um armamento ofensivo, rápido.

Mas em 1940, a rápida queda da França que coincidiu com a derrota das forças biritânicos na Bélgica e norte de França foi completamente inesperada para os estrategas norte-americanos.
Essa derrota, levou os especialistas daquele país a desenvolver um conceito de emergência, que permitisse derrotar aquilo que parecia ser uma enorme superioridade numérica dos carrros de combate alemães.

As teses americanas partiam do principio de que a vitória alemã tinha sido possível por causa do rápido avanço dos blindados, e da impossibilidade de deter ou cortar as pinças blindadas do avanço alemão. A solução mais óbvia para os militares americanos pareceu ser a de utilizar maciçamente unidades de caça-tanques, que deveriam atacar os carros de combate alemães. A função deveria ser desempenhada por uma viatura que utilizasse o mais poderoso canhão anti-carro disponível e que fosse ao mesmo tempo suficientemente rápida, para poder ter a vantagem táctica da iniciativa do seu lado, dado que para os americanos, um dos problemas dos franceses tinha sido o facto de os contra-ataques franceses não terem sido suficientemente rápidos e concentrados.

Ao contrário do que viria a ser tradicional nos veículos caça-tanques europeus, os norte-americanos consideravam que os seus caça-tanques deveriam dispor de uma torre com deriva total (rodando 360º).
Isso fazia com que os caça-tanques fossem muito parecidos com os tanques, com a diferença principal a residir no facto de aqueles disporem de uma blindagem inferior e de uma torre aberta.
A redução da blindagem levaria a um peso menor e isto a uma maior mobilidade do ponto de vista táctico, que era exigência da doutrina.

Os caça tanques norte-americanos podem dividir-se em três grupos:

Os primeiros veículos desenvolvidos de emergência para a guerra no norte de África, não correspondiam exactamente ao conceito inicial. Tratava-se de peças de 75mm instaladas numa viatura do tipo M-2 «Halftrack», que só podia disparar para a frente, não possuindo torre.

Posteriormente, foi desenvolvido um caça-tanques com base no chassis do M4 «Sherman» armado com uma peça de 75mm. Essa arma principal foi considerada pouco eficiente, o que despoletou o desenvolvimento do M36, que é basicamente o mesmo veículo, mas armado com uma peça de 90mm muito mais poderosa.

Não relacionado directamente com nenhum dos dois anteriores veículos foi desenvolvido o M18 «Helcat», que não foi baseado em nenhum chassis já existente e que foi desenhado propositadamente para a função, sendo considerado o mais eficiente de todos os caça-tanques norte-americanos.