Dados sobre países utilizadores:


Listar veículos do tipo
Viatura de transporte VIP



Veículos idênticos ou relacionados:


Hong Qi 770
Viatura de transporte VIP

Hong Qi CA770 - 2009
Viatura de transporte VIP

 

Hong Qi CA770 - 2009
Viatura de transporte VIP (FAW)
Hong Qi CA770 - 2009

Projeto: FAW
China popular
Dimensões
Comprimento
Comprimento máximo
Largura
Altura
Altura máxima
6.4
n/disponivel
2.05m
1.72M
Peso vazio
Peso / combate
Cap. Carga
Reboque
N/disponivel
N/disponivel
N/disponivel
N/disponivel
Motor / potência / capacidades
Motor
Potência
Vel. maxima
Terr. Irregular
V12
400cv
0 Km/h
0 Km/h
Tração
Tanque combustivel
Autonomia
Tripulação
Duas rodas motrizes
N/disponível
0Km
1
N/disponivel
0M
0M

Sistema de radar auxiliar:


Forum de discussão

A viatura Hong Qi foi concebida ainda nos anos 50 como viatura oficial de representação, utilizada pelos altos dignitários comunistas chineses. O modelo foi submetido a várias modernizações ou actualizações desde os anos 50, mas em 2009 o modelo de viatura oficial do Partido Comunista da China foi submetido a uma operação de «restyling» com o objectivo de trazer de volta a imagem tradicional da viatura chinesa que transportava Mao Tse Tung.

O modelo foi produzido pela empresa estatal FAW, com o objectivo de aparecer pela primeira vez nas cerimonias de comemoração dos 60 anos da proclamação do governo comunista da China e o Hong Qi (bandeira vermelha) é um simbolo desse mesmo regime.
As autoridades chinesas quiseram com o novo modelo transmitir uma mensagem de continuidade, evitando que a viatura de prestigio mais iconica do regime, não seja uma mera cópia de modelos utilizados em outros países.

O modelo da F.A.W (First Automotive Works) apresentado em 2006: Plataforma base para o Hong Qi (bandeira vermelha) utilizado como viatura VIP.
O Hong Qi 770 conforme foi apresentado em 2009 lembra o modelo original dos anos 50 e 60, mas não se trata de um «rejuvenescimento» da mesma plataforma, pois o modelo utilizou a plataforma de uma outra viatura de luxo apresentada em 2006 pela empresa FAW. A grelha frontal é muito parecida com a original, mas o resto do veículo é basicamente o modelo de luxo da FAW apresentado três anos antes.

A viatura é à prova de bala e e a sua blindagem é suficiente para deter projecteis de armas ligeiras.
As características do regime chinês não fazem prever a necessidade de viaturas com blindagem e protecção especiais.

O modelo Hong Qi de 2009, é o que normalmente se denomina de modelo «retro», pois embora se trate de uma viatura com uma plataforma completamente nova, ele pretende reviver as linhas do modelo original do Hong Qi que por sua vez se inspirou no «Tchaika-13» soviético. Em 1999, dez anos antes, o presidente chinês era transportado a bordo de um modelo Hong Qi, com uma grelha inspirada nos modelos norte-americanos e construido sob a plataforma de uma viatura de origem norte-americana.

O custo do modelo deverá rondar os 300,000 Euros e espera-se que venha a ser comercializada uma versão «civil» para o mercado chinês e eventualmente para exportação.

Informação genérica:
O modelo Hong Qi (bandeira vermelha): O primeiro protótipo, o modelo mais comum até aos anos 80 e em baixo uma das modernizações durante os anos 80/90.
País eminentemente rural, a China não possuia qualquer industria que permitisse a criação de uma viatura de representação.
Uma vez que este tipo de viatura era também uma forma de afirmação do regime e do país, cedo os chineses procuraram desenvolver a sua industria automóvel e com ela a capacidade para produzir os seus proprios veículos de luxo, ainda que produzidos em pequenas quantidades.

Os pilares da industria automóvel chinesa foram lançados com o plano quinquenal de 1950 1955. Esse plano inicialmente previa a construção de viaturas de carga ligeiras.
A primeira viatura de luxo chinesa inspirou-se na plataforma das limousines soviéticas do inicio dos anos 60, o ZIL-111 / Tchaika-13.

A viatura, que era utilizada por Mao Tsé Tung, era relativamente sóbria ainda que com um interior luxuoso, convenientemente tapado por cortinas para evitar que a população pudesse ver o interior.

A viatura de representação chinesa, foi submetida a um processo de rejuvenescimento com a modificação das suas linhas clássicas, seguindo o que os soviéticos tinham feito com a mesma plataforma no final dos anos 70, com a apresentação do Tchaika-14. O numero de viaturas produzido foi no entanto muito reduzido.

Uma aproximação radical à questão, ocorreu quando em 2009 foi apresentada a última edição da limousine de prestigio chinesa.

Ao contrário dos soviéticos, que utilizaram a mesma plataforma antiga, para tentar criar modelos que aparentam ser modernos, os chineses utilizaram uma plataforma moderna e deram à viatura um ar «retro», com o qual pretendem passar uma imagem de modernidade e ao mesmo tempo de continuidade da linha do partido comunista da China.