Dados sobre países utilizadores:


Listar veículos do tipo
Viatura táctica média



Veículos idênticos ou relacionados:


Leopardo Mk.III / M10
Viatura táctica média

Pantera 6x6
Viatura táctica média

 

Pantera 6x6
Viatura táctica média (BRAVIA)
Pantera 6x6

Projeto: BRAVIA
Portugal
Dimensões
Comprimento
Comprimento máximo
Largura
Altura
Altura máxima
7.52
n/disponivel
2.464m
2.95M
Peso vazio
Peso / combate
Cap. Carga
Reboque
9.733t
18.987t
6000Kg
13620Kg
Motor / potência / capacidades
Motor
Potência
Vel. maxima
Terr. Irregular
Perkins V8-510 Diesel
170cv
80 Km/h
30 Km/h
Tração
Tanque combustivel
Autonomia
Tripulação
Seis rodas motrizes
500 Litros
746Km
1+2
60º
30º
0.76M
0M
0M

Sistema de radar auxiliar:


Forum de discussão

Grosso modo, o Pantera 6x6 aparenta ser um derivado do veículo norte-americano M809 da AM-General, especificamente o modelo M813.

Sabemos que a Bravia desenvolveu relações com industrias norte-americanas, que permitiram o desenvolvimento e construção em Portugal da viatura Chaimite, que era um derivado do V100 da Cadilac-Gage.

A informação sobre esta viatura é mínima, ao que não será estranho o facto de se tratar de um modelo que não chegou à fase de produção.
O Pantera, pelas suas dimensões, aparentava ser um possível concorrente do veículo médio/pesado da Berliet, fabricado no Tramagal pela industria MDF.

Foi produzido pelo menos um protótipo, mas não se sabe se se tratou na realidade de um M809 modificado.

Notar que exteriormente o Pantera, é extremamente parecido com o Leopardo Mk.III. A distância entre eixos é idêntica. O que realmente distinguia o Pantera do Leopardo é que este último tinha rodado simples (6 rodas), enquanto o Pantera tinha rodado duplo (10 rodas)

Informação genérica:
A empresa portuguesa BRAVIA, ficou conhecida por ter desenvolvido uma versão portuguesa da viatura 4x4 da Cadilac-Gage, que ficou conhecida como Chaimite, mas a empresa também tentou entrar no mercado das viaturas de transporte táctico.

Três modelos foram desenvolvidos com esse objectivo, com um quarto a não atingir a fase de protótipo:

Bravia «Gazela»
Viatura 4x4 para transporte de 500kg, destinada a substituir viaturas como os jiopes de origem americana

Bravia «Leopardo»
Viatura de seis eixos baseada no «Gazela», da qual foram projectadas várias sub-séries.

Bravia «Pantera»
Versão média pesada, também com tração 6x6, mas capacidade de transporte na ordem das 6 t em todo o terreno e 12t em estrada.
O Pantera é idêntico ao Leopardo 6x6, mas é mais resistente, tem mais capacidade de carga e os dois eixos traseiros têm rodado duplo.

Bravia «Elefante»
Este veículo ficou apenas no estágio de projecto e nunca foi construido um protótipo. Com um peso vazio de 13,6t e capacidade para transportar 15,8t em estrada.

Blindados com base neste chassis :

Bravia «Tigre»
Com base no modelo Pantera 6x6, chegou a ser projectada uma viatura blindada de transporte de pessoal, que seria conhecida como «Tigre Mk.II». Tratava-se basicamente de um camião blindado que nunca passou da fase de ideia projecto.

Aparentemente existiram planos para um Tigre Mk.III.
Esta viatura poderia ser produzido a partir do Bravia «Leopardo Mk.III» ou do «Pantera». Tratava-se no entanto de um projecto mais sofisticado e mais próximo do que seria um Chaimite 6x6.

Problemas
Resultado de uma iniciativa privada e do empreendedorismo de uma pessoa, a BRAVIA foi olhada com alguma desconfiança pelos responsáveis do governo português nos anos 60 e até 25 de Abril de 1974.

O projecto da viatura Chaimite, do mesmo fabricante foi visto inicialmente com alguma desconfiança, dado a viatura ser mais barata que outros produtos importados mas não dar garantias absolutas aos militares que, envolvidos num conflito não podiam dar-se ao luxo de adquirir viaturas que resultassem inviáveis.

O desenvolvimento da familia de viaturas tácticas seguiu a mesma filosofia, dadas as dificuldades em meios de transportes que o exército português teve na fase inicial e intermédia do conflito africano.

A linha de viaturas pesadas da BRAVIA também entraria em conflito com as viaturas montadas em Portugal pela MDF [1], com consideravel percentagem de incorporação nacional.
Apenas as viaturas mais ligeiras «Leopardo» na configuração 6x6 chegaram a ser construidas, tendo um pequeno lote de pré-produção chegado a ser avaliado pelos militares.
Aparentemente, parte das viaturas foram posteriormente devolvidas pelo exército, tendo recebido uma carroçaria nova para utilização por unidades de bombeiros.
O aspecto exterior das viaturas Leopardo após receberem a nova carroçaria era no entanto muito diferente do aspecto exterior da versão militar.



MDF - Metalurgica Duarte Ferreira (Tramagal, Abrantes). Fabricante da viatura táctica BERLIET-Tramagal