Dados sobre países utilizadores:


Listar veículos do tipo
Viatura táctica média



Veículos idênticos ou relacionados:


Leopardo Mk.III / M10
Viatura táctica média

Pantera 6x6
Viatura táctica média

 

Leopardo Mk.III / M10
Viatura táctica média (BRAVIA)
Leopardo Mk.III / M10

Projeto: BRAVIA
Portugal
Dimensões
Comprimento
Comprimento máximo
Largura
Altura
Altura máxima
6.7
n/disponivel
2.4m
3.2M
Peso vazio
Peso / combate
Cap. Carga
Reboque
5.9t
10.4t
6000Kg
N/disponivel
Motor / potência / capacidades
Motor
Potência
Vel. maxima
Terr. Irregular
V-8 8L Diesel
180cv
100 Km/h
0 Km/h
Tração
Tanque combustivel
Autonomia
Tripulação
Seis rodas (quatro motrizes)
189 Litros
480Km
1+2
60º
45º
0.78M
0M
0M

Sistema de radar auxiliar:


Forum de discussão

Resultado da guerra em África e da necessidade de viaturas de transporte táctico para os vários cenários, empresas portuguesas desenvolveram soluções autoctones para responder aos requisitos das forças armadas.

De entre os vários veículos desenvolvidos, o Leopardo ocupa a gama média. Trata-se de uma versão alongada da viatura 4x4 «Gazela» .
A versão inicial do Leopardo poderia transportar até 2t, podendo ser utilizada para transporte militar, com três lugares na cabine mais 12 lugares na área de carga, quando devidamente configurada.
Ele é grosso modo um derivado dos veículos americanos da família M35.

No entanto, uma segunda versão também designada Leopardo aparenta ter sido inspirada na viatura orte-americana M44.

A viatura foi apresentada com várias opções, de entre as quais :
Transporte de pessoal (M10)
Transporte de carga geral (M11)
Ambulância (M13)
Oficina (M14)
Auto-tanque (M16)

A viatura podia transportar carga de 2t em estrada ou 1t em todo o terreno, podendo rebocar 3t. Já a versão Mk.III podia transportar 3t em todo o terreno e 6t em estrada.

Notas:
[1] - Além do motor a Diesel de 135cv, estava disponível um motor Chrysler M318 a gasolina com potência de 212cv e velocidade máxima de 120km/h.

Informação genérica:
A empresa portuguesa BRAVIA, ficou conhecida por ter desenvolvido uma versão portuguesa da viatura 4x4 da Cadilac-Gage, que ficou conhecida como Chaimite, mas a empresa também tentou entrar no mercado das viaturas de transporte táctico.

Três modelos foram desenvolvidos com esse objectivo, com um quarto a não atingir a fase de protótipo:

Bravia «Gazela»
Viatura 4x4 para transporte de 500kg, destinada a substituir viaturas como os jiopes de origem americana

Bravia «Leopardo»
Viatura de seis eixos baseada no «Gazela», da qual foram projectadas várias sub-séries.

Bravia «Pantera»
Versão média pesada, também com tração 6x6, mas capacidade de transporte na ordem das 6 t em todo o terreno e 12t em estrada.
O Pantera é idêntico ao Leopardo 6x6, mas é mais resistente, tem mais capacidade de carga e os dois eixos traseiros têm rodado duplo.

Bravia «Elefante»
Este veículo ficou apenas no estágio de projecto e nunca foi construido um protótipo. Com um peso vazio de 13,6t e capacidade para transportar 15,8t em estrada.

Blindados com base neste chassis :

Bravia «Tigre»
Com base no modelo Pantera 6x6, chegou a ser projectada uma viatura blindada de transporte de pessoal, que seria conhecida como «Tigre Mk.II». Tratava-se basicamente de um camião blindado que nunca passou da fase de ideia projecto.

Aparentemente existiram planos para um Tigre Mk.III.
Esta viatura poderia ser produzido a partir do Bravia «Leopardo Mk.III» ou do «Pantera». Tratava-se no entanto de um projecto mais sofisticado e mais próximo do que seria um Chaimite 6x6.

Problemas
Resultado de uma iniciativa privada e do empreendedorismo de uma pessoa, a BRAVIA foi olhada com alguma desconfiança pelos responsáveis do governo português nos anos 60 e até 25 de Abril de 1974.

O projecto da viatura Chaimite, do mesmo fabricante foi visto inicialmente com alguma desconfiança, dado a viatura ser mais barata que outros produtos importados mas não dar garantias absolutas aos militares que, envolvidos num conflito não podiam dar-se ao luxo de adquirir viaturas que resultassem inviáveis.

O desenvolvimento da familia de viaturas tácticas seguiu a mesma filosofia, dadas as dificuldades em meios de transportes que o exército português teve na fase inicial e intermédia do conflito africano.

A linha de viaturas pesadas da BRAVIA também entraria em conflito com as viaturas montadas em Portugal pela MDF [1], com consideravel percentagem de incorporação nacional.
Apenas as viaturas mais ligeiras «Leopardo» na configuração 6x6 chegaram a ser construidas, tendo um pequeno lote de pré-produção chegado a ser avaliado pelos militares.
Aparentemente, parte das viaturas foram posteriormente devolvidas pelo exército, tendo recebido uma carroçaria nova para utilização por unidades de bombeiros.
O aspecto exterior das viaturas Leopardo após receberem a nova carroçaria era no entanto muito diferente do aspecto exterior da versão militar.



MDF - Metalurgica Duarte Ferreira (Tramagal, Abrantes). Fabricante da viatura táctica BERLIET-Tramagal