Dados sobre países utilizadores:


Listar veículos do tipo
Veículo ligeiro de reconhecimento

 

501 AM-GNR
Veículo ligeiro de reconhecimento (FIAT)
501 AM-GNR

Projeto: FIAT
Italia
Dimensões
Comprimento
Comprimento máximo
Largura
Altura
Altura máxima
3.9
n/disponivel
1.48m
1.82M
Peso vazio
Peso / combate
Cap. Carga
Reboque
1500kg
2t
N/disponivel
N/disponivel
Motor / potência / capacidades
Motor
Potência
Vel. maxima
Terr. Irregular
FIAT - 1460cc
30cv
50 Km/h
10 Km/h
Tração
Tanque combustivel
Autonomia
Tripulação
Duas rodas motrizes
N/disponível
0Km
2
N/disponivel
0M
0M

Sistema de radar auxiliar:


Forum de discussão

Em 1926, o governo português organizou uma comissão para analizar a motorização do exército português. A comissão era comandada pelo Maj.de Art. Fernando da Mota Marques.

Esta comissão viajou por vários países europeus e visitou as instalações de vários fabricantes. A comissão terá proposto a alguns fabricantes, algumas modificações dos seus modelos, mas aparentemente nenhuma das negociações chegou a bom porto.

Paralelamente e ainda em 1926, oficiais da GNR desenvolvem uma solução local, com base em viaturas FIAT da linha/modelo 501.

Para todos os efeitos, estas três viaturas modificadas em Portugal, foram as primeiras viaturas blindadas de uma força militar portuguesa de que há registo.

Na imagem abaixo o FIAT 501 modelo 1919. As viaturas que foram convertidas, eram viaturas ao serviço da GNR e não foram compradas novas para se proceder à alteração.
A conversão incluiu a remoção da grelha frontal e da capota do motor que era constituida por peças soldadas. A suspensão típica do modelo 501 da FIAT foi mantida.

É previsível que as prestações da viatura modificada, fossem bastante inferiores às do modelo FIAT que lhes deu origem.


Na realidade, para as funções em que previsivelmente seriam utilizadas (manutenção da ordem pública) as viaturas eram suficientes, ainda que considerando a extremamente limitada rede de estradas da altura, os veículos estivessem restringidos à região de Lisboa. Porem, a GNR tinha que desempenhas serviços em áreas fora das cidades, pelo que a utilidade destas viaturas era reduzida nessas condições, em áreas em que praticamente não exisstiam mais que caminhos de cabras.

Reconhecendo isto, a GNR recebeu alguns anos mais tardes viaturas muito mais capazes e adequadas para utilização mesmo em meios rurais.

Informação genérica:
-