Dados sobre países utilizadores:


Listar veículos do tipo
Carro de combate médio



Veículos idênticos ou relacionados:


Mark II Medium Tank
Carro de combate médio

Type-89B «Yi-Go» / «Chi-Ro»
Carro de combate médio

 

Mark II Medium Tank
Carro de combate médio (Vickers)
Mark II Medium Tank

Projeto: Vickers
Reino Unido
Dimensões
Comprimento
Comprimento máximo
Largura
Altura
Altura máxima
5.34
n/disponivel
2.78m
2.69M
Peso vazio
Peso / combate
Cap. Carga
Reboque
11.8t
13.2t
N/disponivel
N/disponivel
Motor / potência / capacidades
Motor
Potência
Vel. maxima
Terr. Irregular
Armstrong Siddeley V8
90cv
24 Km/h
10 Km/h
Tração
Tanque combustivel
Autonomia
Tripulação
Lagartas
N/disponível
192Km
5
40º
25º
1M
1.98M
0.5M

Armamento básico
- 1 x 57mm Mk.2 L/40 (QF-6 pdr) (Calibre: 57mm - Alcance estimado de 0.5Km a 6.75Km)
Sistema de radar auxiliar:


Forum de discussão

Desenvolvido a partir do Vickers Medium Tank Mark I, o Vickers Medium Tank Mk. II foi apresentado em 1925 e transformou-se no «tanque médio» por excelência do exército britânico.

Foram produzidas várias derivações e protótipos ainda que mantendo características base idênticas.
A blindagem era relativamente fina e atingia um máximo de 8mm.

O armamento principal era constituido por uma peça de 3 libras, e o calibre era equivalente a 57mm. Tratava-se basicamente do mesmo armamento que fora utilizado nos tanques pesados britânicos da I guerra mundial.

Um total de 100 exemplares da versão Mk.II foram fornecidos ao exército britânico a partir de 1925.
Por volta de 1930 foi lançada a versão Mk.IIA, da qual foram encomendados mais 20 exemplares. Nesta versão foram removidas as várias metralhadoras instaladas na torre e substituidas por uma única metralhadora coaxial.
Em 1928, a partir do Mark.IIA foi desenvolvida uma versão tropical para utilizar no Egipto, da qual foram produzidos cinco exemplares.
Até 44 Mark.II mais antigos foram convertidos para o padrão Mk.IIA em 1932.

Estes carros de combate estiveram ao serviço até 1938 / 1939. Porém, após a queda da França em 1940, os Mark.II que tinham sido retirados de serviço voltaram por um curto periodo ao serviço activo, por absoluta falta de viaturas blindadas.
Alguns foram enviados para o médio oriente enquanto que outros acabaram os seus dias semi-enterrados em construções defensivas no sul de Inglaterra quando se esperava uma invasão alemã em 1940.

Um tota de 160 exemplares desta viatura foram produzidos.

Informação genérica:
Desde a década de 1920 que a Vickers desenvolveu vários projectos para possíveis viaturas blindadas para o exército britânico, ainda que este último não tivesse demonstrado especial interesse por uma arma que tinha permitido dar o golpe final na Alemanha durante a I guerra mundial.

Curiosamente, os tanques médios na Grã Bretanha de 1921 começaram por ser designados «tanques leves». A razão prendia-se com o facto de os maiores tanques britânicos da I guerra mundial terem um peso superior a 30t.
Por isso, um tanque com um peso de 8,500kg por isso era considerado leve pelos britânicos.

O Vickers Medium Tank, foi inicialmente designado «Vickers Light Tank» e era uma viatura relativamente pesada para os padrões de praticamente todos os outros países do mundo.
O seu desenvolvimento começou ainda em 1921 quando os britânicos abandonaram definitivamente o conceito do tanque romboide que desenvolveram durante a I guerra mundial.

E normalmente esquecido que os britânicos continuaram à frente de todos os outros países em termos tecnicos e o Vickers Medium Tank é uma demonstração disso mesmo.
A viatura desde o Mark I, tem praticamente todas as características dos carros de combate que viriam a ser desenvolvidos pelos outros países.

Foram produzidos cerca de 200 tanques médios durante a década de 1920, mas os responsáveis políticos britânicos e muitos dos militares responsáveis não desenvolveram uma doutrina adequada para a utilização dos tanques.

O resultado, foi que embora a industria britânica tivesse desenvolvido as melhores viaturas blindadas no periodo que se seguiu à I guerra mundial, não havia na realidade doutrinas adequadas à sua utilização. A falta de doutrinas por seu lado acabou influenciando negativamente o desenvolvimento da industria.

O «Vickers Medium Tank» ainda estava ao serviço em 1938 e mesmo naquela altura, ainda continuava a ter características que só então estavam a ser incorporadas nos carros de combate.

As dificuldades em vender viaturas no mercado britânico levaram à concepção de viaturas para exportação.
De entre essas destaca-se o «Medium Tank model C» que foi vendido para o Japão, país que posteriormente concebeu uma viatura blindada baseada no modelo britânico.

Também os soviéticos compraram viaturas medias da Vickers, mas optaram por desenvolver as suas principais famílias de veículos com base em viaturas americanas.

No entanto mesmo os soviéticos chegaram a utilizar ideias da Vickers, como foi o caso dos carro de combate A1E1 «Independent» e A-6, que inspiraram os carros soviéticos de torres multiplas, como foi o caso do T-28 e do T-35.