Dados sobre países utilizadores:


Listar veículos do tipo
Veículo Blindado Ligeiro

Veículos idênticos ou relacionados:


AMR-33
Veículo Blindado Ligeiro

AMD 35
Veículo Blindado Ligeiro

AMR-35
Veículo Blindado Ligeiro

AMC-35
Veículo Blindado Ligeiro

 

AMC-35
Veículo Blindado Ligeiro (Renault)
AMC-35

Projeto: Renault
França
Dimensões
Comprimento
Comprimento máximo
Largura
Altura
Altura máxima
4.57
n/disponivel
2.24m
2.34M
Peso vazio
Peso / combate
Cap. Carga
Reboque
12t
14.5t
N/disponivel
N/disponivel
Motor / potência / capacidades
Motor
Potência
Vel. maxima
Terr. Irregular
Renault
180cv
42 Km/h
20 Km/h
Tração
Tanque combustivel
Autonomia
Tripulação
Lagartas
300 Litros
161Km
3
31º
30º
N/disponivel
1.828M
0.609M

Armamento básico
- 1 x 47mm L/34 SA35 (Calibre: 47mm - Alcance estimado de 0.285Km a 1.5Km)
Sistema de radar auxiliar:


Forum de discussão

A viatura AMC-35 é a resposta da Renault para uma auto-metralhadora de combate, a mais poderosa das autometralhadoras que faziam parte da especificação francesa do inicio da década de 1930.

Tratava-se de veículos mais ligeiros mas com armamento capaz de combater contra outros blindados.

A Renault apresentou uma primeira proposta no final de 1933, mas os resultados não foram positivos, por causa do elevado peso e da reduzida potência do motor. Estes problemas foram sendo resolvidos e introduzido um motor mais potente, derivado do que equipava o tanque pesado Char-1bis.

Embora de reduzidas dimensões o AMC-35 (tratava-se de um tanque leve como os Renault R-35 ou Hotchkiss H-35 ainda que ligeiramente mais longo), possuia um armamento principal mais poderoso que os restantes tanques leves, que constava de uma peça de 47mm.

O exército francês nãoi ficou impressionado como AMC-35, principalmente quando se compara esta viatura com o S-35 da Somua, que foi escolhido como carro de combate médio do exército francês.

Torre com dois tripulantes
Talvez a mais distintiva característica desta viatura desenvolvida pela Renault, seja a inclusão de uma torre com lugar para dois tripulantes. Desta forma, o comandante estava mais liberto.
Porém a torre com dois tripulantes, ainda que mais sofisticada e moderna que as restantes torres de tanques franceses apresentava no entanto um outro problema:
O seu custo de produção era maior que o custo do resto do blindado, pelo que a torre representava 53% do preço total da viatura.

O alto custo da torre, levou os franceses a optar pelo S-35, bastante maior e mais protegido, ainda que estivesse equipado com uma torre de um só tripulante.

Venda à Bélgica
Foi iniciada a produção de várias dezenas de carros AMC-35 (quase 100 unidades), até que o exército decidiu optar definitivamente pelo modelo da Somua.
A Belgica colocou uma encomenda inical para 24 carros deste tipo, mas vários problemas (entre os quais questões políticas) levaram a que a encomenda ficasse pelos 12 exemplares. Os carros belgas começaram a ser fornecidos em 1937.

Informação genérica:
Autometralhadoras francesas.

Em 1931, as doutrinas determinadas pelos estrategas da cavalaria francesa decidiram introduzir nas forças, três tipos distintos de viaturas blindadas.

Estas viaturas foram designadas de autometralhadora e os três tipos foram os seguintes:


AMD
Um primeiro tipo foi designado de Autos-mitralleuses de Decouverte

Tratava-se de uma viatura de reconhecimento que deveria possuir capacidade para penetração profunda nas linhas do inimigo.
Também por isso a sua velocidade deveria ser elevada, não só para rapidamente poder desempenhar a sua missão, mas também para rapidamente quebrar o contato com o inimigo.

Este tipo de viatura poderia ter lagartas ou rodas, mas só foram desenvolvidas viaturas do tipo com rodas.


AMR
O outro tipo foi chamado de Autos-mitralleuses de reconnaissance e era basicamente uma viatura de reconhecimento para operações a curta distância.

Deveriam ter uma tripulação de doie homens e uma metralhadora de 7.5mm, O peso vazio deveria ser de até 3.000kg, enquanto que a velocidade máxima deveria rondar os 56km/h.

Dois veículos distintos foram encomendados para preencher os requisitos da cavalaria francesa, designados AMR-33 e AMR-35.


AMC
Um terceiro tipo de auto-metralhadora era designado «Auto-mitralleuses de Combat» e tratava-se de um veículo com uma blindagem mais pesada e melhor armamento.

Por esta razão o AMC-35 da Renault, é às vezes considerado um carro de combate leve, ao nível do H-35 da Hotchkiss ou do R-35 da Renault.