Dados sobre países utilizadores:


Listar veículos do tipo
Viatura táctica Ligeira



Veículos idênticos ou relacionados:


Land Rover Mk.I
Viatura táctica Ligeira

Land Rover series II-A
Viatura táctica Ligeira

Land Rover series III
Viatura táctica Ligeira

Land Rover Defender 90
Viatura táctica Ligeira

 

Land Rover series II-A
Viatura táctica Ligeira (Leyland)
Land Rover series II-A

Projeto: Leyland
Reino Unido
Dimensões
Comprimento
Comprimento máximo
Largura
Altura
Altura máxima
3.61
n/disponivel
1.63m
2.05M
Peso vazio
Peso / combate
Cap. Carga
Reboque
1315kg
2.02t
700Kg
N/disponivel
Motor / potência / capacidades
Motor
Potência
Vel. maxima
Terr. Irregular
Land Rover 2286cc
77cv
104 Km/h
48 Km/h
Tração
Tanque combustivel
Autonomia
Tripulação
Quatro rodas motrizes
N/disponível
579Km
1
N/disponivel
0M
0M

Sistema de radar auxiliar:


Forum de discussão

O sucesso da primeira série do Land Rover estava garantido, mas a concorrência, nomeadamente do Gipsy da Austin, não permitia que o modelo se mantivesse igual durante muito tempo.

Os técnicos da Rover estudaram por isso várias modificações no veículo que somadas resultaram na versão II.

A mais evidente resulta do aumento da largura do veículo, que passou a mostrar uma curvatura na linha de cintura. Também foram introduzidas embaladeiras, pelo que as portas ficam a um nível mais elevado. A tampa do motor também foi modificada apresentando bordos curvos.
A alteração na largura implicou novas portas e novas dobradiças.

Do ponto de vista mecânico, foi introduzido um novo motor com 77cv de potência, embora nos modelos iniciais ainda fosse utilizado o motor anterior, para esgotar o stock que existia.

A série II esteve em produção apenas durante dois anos, entre 1958 e 1961 com 63519 veículos produzidos, até que foi introduzida a série IIA em Setembro de 1961.

Série II A
A nova série esteve em produção entre Setembro de 1961 e Setembro de 1971. Esses foram sem dúvida os anos de ouro do Land Rover.
O motor manteve-se com o 2286cc de 77cv e foram introduzidas pequenas modificações mecânicas e estéticas com arranjos diferentes de luzes de mudança de direção e faróis minimos.
Em Abril de 1966 saiu da fábrica o Land Rover nº 500.000.
No entanto o sucesso de vendas não se refletiu na saúde financeira da Rover, pelo que em 1966 a empresa foi englobada no grupo British Leyland.

As modificações continuaram, com a modificação da posição dos farois que foram colocados nos paineis sobre as rodas (para-lamas) para responder a exigências da legislação.

Informação genérica:
Em 1948, menos de dois anos após o fim da II guerra mundial, a Grã Bretanha debatia-se com uma séria crise económica, resultado do tremendo esforço feito pelo país durante o conflito.
Com o fim das encomendas militares, muitas empresas lutavam pela sobrevivência, não só porque não havia mercado para produtos militares, mas também porque tinham até dificuldade em obter crédito para adquirir matérias primas.

Com este problema em mente, o principal responsável da fábrica Rover, Maurice Wilks, pensou na possibilidade de desenvolver uma versão para utilização civil, do jipe americano da Willys.

No inicio o que viria a ser o Land Rover, foi feito para utilizar peças do Jeep norte-americano. O veículo seria pensado para uma sériae de funções, podendo ser utilizado como trator para puxar implementos agricolas até viatura de transporte dos protudos até ao mercado para venda, ao mesmo tempo que podia servir para transportar uma família de três a cinco pessoas.