Dados sobre países utilizadores:


Listar veículos do tipo
Morteiro autopropulsado



Veículos idênticos ou relacionados:


AML-60
Morteiro autopropulsado

AML-90
Veículo ligeiro de reconhecimento

M3 - VTT
Veículo Blindado Transporte Pessoal

 

Acontecimentos relacionados
Revolução dos «Cravos»

AML-60
Morteiro autopropulsado (Panhard-Auverland)
AML-60

Projeto: Panhard-Auverland
França
Dimensões
Comprimento
Comprimento máximo
Largura
Altura
Altura máxima
3.79
n/disponivel
1.97m
2.15M
Peso vazio
Peso / combate
Cap. Carga
Reboque
4.2t
4.65t
N/disponivel
N/disponivel
Motor / potência / capacidades
Motor
Potência
Vel. maxima
Terr. Irregular
Panhard 4HD
85cv
90 Km/h
35 Km/h
Tração
Tanque combustivel
Autonomia
Tripulação
Quatro rodas motrizes
156 Litros
533Km
3
60º
30º
1.1M
0.7M
0.3M

Armamento básico
- 1 x 60mm HS-60 (Calibre: 60mm - Alcance estimado de 0.03Km a 3.8Km)
Sistema de radar auxiliar:

País: Zimbabue
Designação Local:Eland-60
Qtd: Máx:49 - Qtd. em serviço:0
Situação: Retirado
Operacionalidade:
Os AML-60 foram fornecidos pela África do Sul ao governo rodesiano de Ian Smith entre 1967 e 1972. Foram utilizados para combater forças rebeldes baseadas na Zambia que depois da independência de Moçambique se transferiram também para aquele país.

Como morteiro autopropulsado a arma foi relativamente eficiente, dando grande mobilidade às forças rodesianas. Embora com poucas estradas, as características da Savana africana, como solo muitas vezes compacto tornava facilitava a operação destes veículos.

Os AML-60 foram fornecidos conjuntamente com veículos AML-90, armados com um canhão de 90mm.


Forum de discussão

O Panhard AML (Auto Metralhadora Ligeira) foi desenhado, para obedecer à especificação do exército francês e embora não seja um derivado, ele pretendeu também substituir as viaturas Panhard-178 (AMD-35) que tinham sido concebidas na França no inicio da década de 1930.

A sua produção começou em 1961 e foram produzidas mais de 3.000 unidades, em várias versões.

Várias configurações foram sendo desenvolvidas, tendo em consideração as necessidades que as forças francesas foram mostrando ter, especialmente na sequência da guerra na Argelia, onde este tipo de viatura era necessário.

O morteiro ligeiro auto-propulsado dava às forças de infantaria francesas uma grande capacidade sobre forças irregulares fracamente blindadas.
Ao dispôr de um morteiro, que está normalmente pronto para responder ao fogo inimigo, e sendo que se trata por excelência de uma arma eficiente contra a infantaria, este equipamento é bastante útil do ponto de vista táctico em inumeras situações.

Portugal esteve entre os países que perceberam as vantagens deste tipo de configuração, tendo feito encomendas de algumas dezenas de unidades para operação nos teatros de operações em África.

O morteiro de 60mm, que tanto podia ser utilizado para tiro indirecto como para tiro directo, era complementado por duas metralhadoras de calibre 7,62mm.


Principais versões do Panhard AML
AML-S530Versão Anti-aérea com torre de dois canhões de 20mm, utilizada por exemplo, pela Venezuela
HE60-12Morteiro de 60mm e metralhadora 12.7mm
HE-60-20Morteiro de 60mm e canhão de 20mm
HE-60-20-SERVALMorteiro de 60mm e torre anti-aérea Serval
AML HS-90 Versão equipada com um canhão de 90mm. Foram produzidas sub-versões do AML-90 com torres distintas.


As versões do AML fabricadas na África do Sul eram idênticas às francesas, mas utilizavam motorização local, fornecida pela General Motors.

Informação genérica:
Familia de viaturas ultra ligeiras (Auto Metralhadora Ligeira) de origem francesa, ao serviço em muitos países africanos, na França, na África do Sul e igualmente em Portugal nos anos 60 a 80.

Existem várias derivações deste veículo, entre as quais se contam:

AML-60 - Autometralhadora equipada com um morteiro de 60mm.

AML-90 - Autometralhadora equipada com uma torre armada com uma peça de 90mm de baixa pressão.

ELAND / 90 - A viatura AML foi igualmente fabricada na África do Sul onde o modelo mais conhecido é o ELAND, um AML-90 com uma torre de concepção belga, equipada com um canhão de baixa pressão que permite a sua utilização contra veículos blindados mais antigos e contra outro tipo de alvos menos blindados.

A última versão directamente derivada do AML foi a versão M3 que foi estudada na segunda metade dos anos 60, como viatura blindada de transporte de pessoal.

Muitos dos AML foram entregues pelos franceses a unidades militares de alguns países francofonos após terem sido retirados de serviço em França.



A capacidade da sua peça principal de 90mm parece um pouco estranha quando comparada com o peso do veículo que vazio se fica pelas 5 toneladas.

Na verdade o AML destinava-se à utilização nas colonias francesas de África, onde não deveria defrontar qualquer tipo de ameaça blindada e onde nos anos 50 e inicio dos anos 60 ainda não tinham chegado os sistemas do tipo LGF (Lança-Granada-Fioguete) de fabrico soviético como o RPG-2 e RPG-7.

O AML deveria ser utilizado para apoiar unidades ligeiras de infantaria motorizada em operações de contra-insurgência.

A capacidade do seu armamento, que podia defrontar em caso de necesidade mesmo a blindagem de carros de combate médios, desde que utilizando munição adequado do tipo «HESH» leva a que algumas vezes se considere a possibilidade de esta viatura poder ser utilizada contra carros pesados.

A sua pouca utilidade neste caso ficou provada por exemplo nos confrontos no sul de Angola, em que as viaturas ELAND sul africanas (versão fabricada sob licença) tivessem ordens para utilizar a sua alta mobilidade e velocidade para fugir caso tivessem que encontrar carros de combate como o T-54 o T-62.