Dados sobre países utilizadores:


Listar veículos do tipo
Caça-tanques



Veículos idênticos ou relacionados:


PzKpfw-V Ausf.G «Panther»
Carro de combate pesado

PanzerJager V «JagdPanther»
Caça-tanques

 

PanzerJager V «JagdPanther»
Caça-tanques (Daimler-Benz)
PanzerJager V «JagdPanther»

Projeto: Daimler-Benz
Alemanha
Dimensões
Comprimento
Comprimento máximo
Largura
Altura
Altura máxima
6.93
9.65m
3.27m
2.72M
Peso vazio
Peso / combate
Cap. Carga
Reboque
42t
46t
N/disponivel
N/disponivel
Motor / potência / capacidades
Motor
Potência
Vel. maxima
Terr. Irregular
Maybach HL 230 P30 V12 (23,1L)
600cv
55 Km/h
25 Km/h
Tração
Tanque combustivel
Autonomia
Tripulação
Lagartas
700 Litros
140Km
5
30º
40º
1.55M
2.45M
0.9M

Armamento básico
- 1 x 88mm KwK Mod.43 L/71 (Calibre: 88mm - Alcance estimado de 1.8Km a 3.5Km)
Sistema de radar auxiliar:

País: III Reich / Alemanha
Designação Local:SdKfz 173
Qtd: Máx:382 - Qtd. em serviço:0
Situação: Retirado
Operacionalidade:
O exército alemão começou a receber o JagdPanther logo no inicio de 1944, mas as fábricas oinde os veículos deveriam ser produzidos foram fortemente atacadas durante 1944, pelo que a produção deste blindado foi fortemente afectada.

JagdPanzer V
Jagdpanzer V na França em 1944 pouco antes do dia D: Ele conseguia destruir qualquer tanque ocidental, antes que este pudesse estar a uma distância que lhe permitisse disparar


Embora fosse essencialmente utilizado na frente leste, ele foi igualmente posto ao serviço na frente ocidental, especialmente durante a ofensiva nas Ardenas no final de 1944 onde rapidamente se tornou um dos mais temidos carros de combate alemães. A sua blindagem frontal, embora não fosse das mais espessas (80mm) era tão inclinada que era equivalente a uma blindagem de 140mm, o que o tornava invulneravel perante a maioria dos canhões anti-tanque ocidentais, quendo numa confrontação frente a frente.


Forum de discussão

O Panzerjager-V, mais conhecido como JagdPanther ou «Pantera de caça», ao contrário de outros veículos da classe dos «caça-tanques» que eram adaptações de cascos já existentes, foi pensado desde o inicio para ser um veículo caça-tanques.

Embora baseado no chassis do tanque PzKpfw V Panther, o Jagdpanther foi completamente redesenhado para acomodar a tripulação as munições e um canhão anti-tanque de 88mm, derivado do famoso canhão antiaéreo alemão de 88mm.

Ele foi provavelmente o mais eficiente de todos os veículos blindados produzidos pela Alemanha durante a II Guerra Mundial, embora fosse relativamente caro de produzir.

O seu desenvolvimento começou no verão de 1943 depois da derrota alemã na batalha de Kursk, com o objectivo de colocar o canhão de 88mm de 71 calibres no casco do novo tanque Panther.

A necessidade de carros de combate que se superiorizassem claramente aos tanques russos que começavam a aparecer em numeros cada vez maiores foi uma das razões para o desenvolvimento não só do Jagdpanther como de todos os outros veículos caça-tanques alemães, numa altura em que depois da derrota de Kursk, se tornara evidente que a Alemanha tinha perdido a iniciativa na guerra e passado a assumir uma posição defensiva.

São conhecidas essencialmente duas versões deste veículo. Uma primeira versão com o canhão perfeitamente integrado no casco e uma segunda versão com uma «moldura» aparafusada ao casdo em que todo o canhão se podia remover com facilidade.



Embora tenha sido desenvolvido pela Daimler Benz, o Jagdpanther viu a sua produção ser transferida para a empresa Muhlenbau-Industrie AG / MIAG que se responsabilizou pela produção. No entanto a fábrica da MIAG foi devastada por um bombardeamento em 15 de Outubro de 1944, o que veio prejudicar ainda mais a produção dos veículos.

A fábrica deveria atingir um ritmo de produção de 150 Jagdpanther por mês, mas durante o anos de 1944, foram produzidos apenas 226 e o numero mais alto (72 veículos num só mês) foi atingido apenas em Janeiro de 1945, apenas alguns meses antes do final da guerra. A produção nesses últimos meses era afectada não só pelos bombardeamentos, mas especialmente pela falta de materias primas para a produção.

Informação genérica:

A necessidade de desenvolver um novo carro de combate médio para bater o T-34 russo, levou ao desenvolvimento do Panther durante 1942 e o último trimestre de 1943.
O carro de combate foi apresentado pela primeira vez em Janeiro de 1943 e participou na batalha de Kursk, ainda que com resultados sofríveis.

Mas a construção do Panther implicou o desenho de um novo chassis e uma nova estrutura que podia ser utilizada para outras funções, que não apenas a de carro de combate principal.

Por isso, com base no chassis do Panther foram desenvolvidos outros veículos de combate que partilharam o mesmo chassis e parte dos componentes mecânicos.

Entre as viaturas que utilizaram o mesmo chassis do Panther, a principal e mais conhecida de todas é o caça-tanques Panzerjager-5 ou «JagdPanther», armado com o mesmo canhão de 88mm que equipava o tanque pesado Tiger-B, (mais conhecido como Tiger-II ou King Tiger).

O Jagdpanther, foi concebido para utilizar os mesmos componentes do «Panther» mas não foi uma adaptação daquele.
Na realidade o desenvolvimento do caça-tanques foi paralelo ao desenvolvimento do tanque, o que explica que as duas viaturas tenham entrado ao serviço quase na mesma altura.

Ambos os veículos partilhavam da mesma qualidade técnica, velocidade e proteção relativamente elevada.
Se o Panther foi sem grandes dúvidas o melhor carro de combate da fase final da II guerra mundial, o Jagdpanther foi também o melhor caça-tanques.

O sucesso da plataforma levou a que se considerasse a sua modernização e melhoramento, com o aumento do poder de fogo. Isto seria conseguido com a instalação de uma nova torre, armada com o canhão de 88mm que equipava o tanque pesado Tiger-II.
O desenvolvimento desta arma implicava no entanto vários estudos e a necessidade de tempo que os alemães definitivamente não tinham. O fim da guerra, impediu a continuação do desenvolvimento deste veículo.

O que realmente chegou a ser desenvolvido e entrou em acção, foi a viatura de recuperação «Bergepanther», um antepassado das modernas viaturas blindadas de recuperação.
Aquela viatura tinha-se tornado indispensável, pois os camiões de meia lagarta não tinham suficiente potência para rebocar um tanque Panther.

Outros veículos com base no chassis do Panther foram igualmente projectados sem que tenham chegado a ser produzidos, de entre os quais se destaca a versão de defesa anti-aérea que dispunha de uma torre equipada com dois canhões de 40mm.

Panzerjagger
O veículo alemão do tipo caça-tanques, é uma evolução dos veículos do tipo «canhão de assalto».

Ao contrário dos tanques tradicionais típicos da arma blindada, (com uma torre e um canhão que dispara projecteis a alta velocidade destinados a perfurar a blindagem), os veículos blindados equipados com um canhão no casco (com quase nenhuma capacidade de deriva) eram vistos como inadequados pelos especialistas em blindados.

O general Guderian (ao lado), o maior especialista alemão em blindados, não gostou da ideia co «canhão de assalto», mas os custos do equipamento (mais reduzidos que os de um tanque) e a predilecção de Hitler pelo conceito condicionaram, a evolução deste tipo de armamento.

Muito por influência de Hitler, mas também como resultado da necessidade de peças anti-carro móveis na frente leste, o canhão de assalto vai ser modificado, recebendo armamento adequado para ataque contra tanques em substituição da peça de artilharia adequada para atacar infantaria. Nascerá assim o caçador de tanques ou Panzerjagger.

O facto de esse tipo de solução ser muito mais económica que o tanque convencional também levou a que cada vez maiores quantidades destes veículos fossem construídas.
O Chassis utilizado para este tipo de veículo, foi inicialmenteo o chassis do Pz.IV, e posteriormente também o tanque «Panther», foi adaptado para a aplicação deste conceito, no que resultou no mais eficiente caça-tanques da guerra.

O canhão sem deriva foi igualmente aplicado em chassis pesados, como os do tanque «Tiger-I» e «Tiger-II» e em chassis mais leves como o do tanque 38(t), de que resultou o blindado «Hetzer».

Embora eficiente contra os tanques russos, por causa do potente armamento que levava instalado, o principal problema dos caça-tanques residia no facto de para disparar, todo o veículo ter que ser apontado para o alvo.

Conceito eminentemente defensivo

Os vários tipo de «Panzerjagger» ou caça-tanques têm um armamento principal mais poderoso que os tanques convencionais de chassis equivalente, mas ao contrário do que o nome «caça tanques» pode indicar, ele não se destinava a procurar tanques inimigos para os destruir.
Na verdade o «caça tanques», é uma arma eminentemente defensiva, com função anti-tanque.

A doutrina que preside à utilização desta arma implica que o caça-tanques deveria aguardar a aproximação do inimigo para o destruir desde uma posição oculta e segura, aproveitando ao mesmo tempo a vantagem táctica dada por um canhão de maior alcance.

Os caça-tanques deveriam posicionar-se em grupos, ocultos nos flancos de uma área por onde se esperasse o avanço dos blindados inimigos, estabelecendo um corredor defensivo.
Eles poderiam ser utilizados em conjunção com os tanques, como apoio para o avanço. De posições fixas, eles aproveitariam a vantagem do calibre, para destruir alvos inimigos, apoiando o avanço dos tanques. Depois de tomada uma posição, os caça tanques voltariam a avançar para novas posições fixas de onde repeteriam a operação.

Caso os tanques tivessem que retirar, a área de retirada seria sempre por um caminho pré definido, onde os caça-tanques estivessem em posição, nos flancos, para atacar o inimigo que viria em perseguição dos tanques.

Grandes quantidades de tanques Sherman, T-34, KV-1 e IS-2 foram destruídos por armas deste tipo, especialmente na fase final da II guerra mundial, conflito durante o qual, as industrias norte-americana e soviética, demonstraram no entanto capacidade para fabricar carros de combate a um ritmo mais elevado que aquele a que eles eram destruídos pelos alemães.