Dados sobre países utilizadores:


Listar veículos do tipo
Veículo ligeiro de reconhecimento

Veículos idênticos ou relacionados:


BA-20M
Veículo ligeiro de reconhecimento

BA- 3 / BA-6
Veículo ligeiro de reconhecimento

BA-10
Veículo ligeiro de reconhecimento

Ba-64B
Viatura táctica Ligeira

 

Acontecimentos relacionados
Batalha de Khalkhin Gol

BA- 3 / BA-6
Veículo ligeiro de reconhecimento (Soviet State Factories)
BA- 3 / BA-6

Projeto: Soviet State Factories
União Soviética
Dimensões
Comprimento
Comprimento máximo
Largura
Altura
Altura máxima
4.9
n/disponivel
2.07m
2.36M
Peso vazio
Peso / combate
Cap. Carga
Reboque
4.8t
5.12t
N/disponivel
N/disponivel
Motor / potência / capacidades
Motor
Potência
Vel. maxima
Terr. Irregular
GAZ Mod.A 3285cc
40cv
43 Km/h
10 Km/h
Tração
Tanque combustivel
Autonomia
Tripulação
Seis rodas motrizes
65 Litros
200Km
4
20º
20º
0.8M
0.6M
0M

Armamento básico
- 1 x 45mm L/46 20K Mod33/38 A/T (Calibre: 45mm - Alcance estimado de 0.5Km a 1.5Km)
- 2 x 7.62 DT Degtiarev (Calibre: 7.62mm - Alcance estimado de 0.8Km a 0.8Km)
Sistema de radar auxiliar:

País: União Soviética
Designação Local:BA-6
Qtd: Máx:386 - Qtd. em serviço:0
Situação: Retirado
Operacionalidade:
Pensado inicialmente como forma de debelar qualquer intento subversivo dentro do território da União Soviética, o BA-6 foi utilizado contra os japoneses em Kalkin Gol, onde deu boa conta de si.

Mas em 1940, durante os ataques à Finlandia, o BA-6, juntamente com outros veículos russos não provaram em combate.

Não só a sua fraca blindagem como a sua altura os tornava alvos fáceis. O sistema de lagartas amoviveis também demonstrou não ter grande utilidade. Os BA-3 possuiam esse sistema, mas ele era tão pouco utilizado que os posteriores BA-6 (e os BA-10 ligeiramente mais potentes) apenas foram utilizados onde era possível seguir estradas sem recorrer às lagartas de borracha.

Eles chegaram a ser utilizados aquando da invasão alemã, e continuaram a ser produzidos durante algum tempo, por absoluta necessidade de equipar de qualquer forma as unidades do exército vermelho.

Ele foi substituido também como veículo de reconhecimento pelos tanques leves da seérita T50/T60


Forum de discussão

Os BA-3 e BA-6 foram parte de uma família de veículos automóveis blindados que foi desenvolvido nos anos 30 na URSS. A sua evolução foi paralela com a de viaturas do mesmo tipo em países do ocidente.

Uma das exigências dos comandos soviéticos durante os anos 30, era o de viaturas blindadas com grande mobilidade. A sua função era a de apoio a forças de infantaria e reconhecimento.
A conhecida desconfiança do líder soviético José Estaline, levou a que também fosse prevista a possibilidade de utilização destas viaturas para esmagar eventuais revoltas contra o regime.

Ele era uma versão «emagrecida» do anterior BA-3 (que pesava 6 toneladas) ligeiramente menos blindado. A suspensão era mais eficiente, e foi alterada principalmente nas rodas traseiras (quatro rodas em rodado duplo). Tanto o BA-3 como o BA-6 podiam ser adaptados para utilizar lagartas nas rodas traseiras, transformando-se num veículo «meia lagarta», mas o BA-3 estava preparado para transportar as lagartas, enquanto que o BA-6 não.
A razão prende-se com a dificuldade em aplicar o sistema, que levou a que as tripulações raramente utilizassem esse acessório, pelo que nos modelos posteriores não foi mais considerada essa possibilidade.

Externamente, a única alteração de nota, era o facto de o BA-6 não ter porta na traseira, que era característica do BA-3.

BA-6
O veículo blindado ligeiro BA-6


Armado com a mesma torre que equipava o tanque leve T-26 e o tanque médio BT-5/BT-7 ele era para os anos 30 um veículo que embora ligeiro, estava extremamente bem armado.

O BA-6 foi utilizado na guerra civil de Espanha, participou nos conflitos contra o Japão, em Kalkin Gol, na guerra contra a Finlandia em 1940 e ainda participoui nos estágios iniciais do conflito contra a Alemanha em 1941.

Era porém cada vez mais evidente, que não só o seu canhão de 45mm era cada vez menos eficiente contra os tanques alemães, como a sua pouca blindagem o tornavam alvo facil de qualquer arma, mesmo os pequenos canhões de 20mm.

Este veículo esteve em produção entre 1936 e 1938.

Informação genérica:
Desde que a União Soviética foi criada, que os dirigentes do país entenderam a necessidade de criar meios blindados que pudessem fazer pender a balança de qualquer combate a seu favor.

Ao contrário das tácticas dos países ocidentais que foram influenciadas pela guerra de trincheiras, com movimentos blindados limitados, os soviéticos tiveram que considerar a enorme dimensão do país, e a necessidade de as suas unidades blindadas percorrerem grandes distâncias.

Esta necessidade era também partilhada pelos meios civis, o que levou a URSS a iniciar um programa de motorização durante os anos 20, que começou a dar frutos durante o inicio dos anos 30.

A industria americana FORD, instalou na cidade russa de Gorky uma industria automovel para começar a produzir o modelo de camião americano Ford-AA.
Esse modelo teve um derivado, o FORD-AAA que foi utilizado como base para a produção de viaturas blindadas sobre rodas, que permitissem juntar ao poder de fogo, a rapidez de movimentos.


Surge assim o «Broneavtomobil», automovel blindado em russo, e é uma das soluções dos soviéticos para os problemas que se levantavam.

A primeira solução foi conhecida como BA-I e foi uma solução apresentada pela fábrica Izhorskij, pelo que os primeiros veículos eram conhecidos como Bai, ou BA-I.

Os primeiros BA-I estavam equipados com uma torre equipada com um canhão de 37mm e podem ser considerados como experimentais.

Eles basearam-se no chassis num veículo comercial de transporte GAZ-AAA, de origem americana (Ford Timken), para colocarem em cima uma blindagem e uma torre equipada com um canhão capaz de perfurar blindagem.

BA-6 base
A versão russa do Ford Timken, veículo do final dos anos 20, que serviu de base para a construção da familia de automoveis blindados «BA»


Embora a família de veículos seja maior, destacam-se três veículos básicos, todos eles exteriormente idênticos:
O BA-3, BA-6 e BA-10.

As diferenças entre os vários veículos não eram significativas. Ao contrário do BA3, o BA-6 e o BA-10 tinham a possibilidade de transportar «lagartas» que podiam ser colocadas no rodado duplo traseiro, para aumentar a capacidade do veículo fora de estrada.

O BA-10 tinha um motor mais potente que os seus antecessores, com 85cv em vez de 40cv.

Foram produzidos 160 BA-3.



Automóveis blindados de reconhecimento

BA-20

Embora bastante diferente, mas baseado no mesmo conceito de automovel blindado, dos veículos 4x6, foi igualmente desenvolvido um veículo mais simples, apenas com quatro rodas e equipado apenas com metralhadoras.

BA-64

Seguindo o mesmo conceito de viatura ligeira blindada, embora com uma base mecânica completamente distinta foi desenvolvido o blindado ligeiro Ba-64, que servia basicamente a mesma função, tendo no entanto como base o jipe Ba-67, um derivado de um modelo norte-americano.