Dados sobre países utilizadores:


Listar veículos do tipo
Carro de combate médio



Veículos idênticos ou relacionados:


T-44/85
Carro de combate médio

T-54
Carro de combate médio

T-55
Carro de combate médio

Type-59-II / WZ-120
Carro de combate médio

Type-62 / WZ-132
Carro de combate leve

Type-69 / WZ-121
Carro de combate médio

 

T-44/85
Carro de combate médio (Soviet State Factories)
T-44/85

Projeto: Soviet State Factories
União Soviética
Dimensões
Comprimento
Comprimento máximo
Largura
Altura
Altura máxima
6.05
7.65m
3.25m
2.455M
Peso vazio
Peso / combate
Cap. Carga
Reboque
30.5t
31.9t
N/disponivel
N/disponivel
Motor / potência / capacidades
Motor
Potência
Vel. maxima
Terr. Irregular
V-44
520cv
50 Km/h
26 Km/h
Tração
Tanque combustivel
Autonomia
Tripulação
Lagartas
N/disponível
200Km
4
32º
40º
1.3M
2.5M
1M

Armamento básico
- 1 x 85mm/50 ZIS S-53 (Calibre: 85mm - Alcance estimado de 1.5Km a 2.5Km)
Sistema de radar auxiliar:


Forum de discussão

Contrariamente ao que é comummente aceite, quando a Alemanha invadiu a União Soviética em Junho de 1941, o carro de combate T-34 não tinha realmente provado junto dos responsáveis militares do país.

No final de 1940, ainda os primeiros modelos do T-34 estavam a sair da fábrica em 1940 e já tinha sido tomada a decisão de desenvolver uma nova viatura. O principal problema apontado ao T-34 era a reduzida dimensão da torre e o espaço extremamente acanhado no interior, resultado da instalação do sistema de suspensão «Christie» herdado dos tanques rápidos da família BT (BT-2, BT-5, BT-7).

O projeto de modernização do T-34 foi batizado de T-34M (de T-34 modernizado).
Tratava-se basicamente de uma tentativa de modernizar o T-34, dando-lhe melhor proteção, uma torre muito mais espaçosa, dimensões mais generosas, e um sistema de suspensão por barras de torção, em vez das molas utilizadas pelo T-34 que ocupavam muito espaço. A viatura também era capaz de transportar mais munição para a arma principal. Todo o conjunto seria mais pesado e por isso utilizaria um motor de 600cv colocado transversalmente.

Desenvolvimento adiado

A necessidade de produção do T-34 e o inicio da guerra, após 22 de Junho de 1941, levou a que todo o trabalho fosse cancelado, já que as fábricas tinham que manter cotas de produção de tanques para armar as unidades na frente, ao mesmo tempo que tinham que substituir a redução de produção resultado da perda de fábricas nas zonas conquistadas pelos alemães.

Na imagem, comparação à escala do T-44 com o Panther alemão. No projecto, o T-44 teria características idênticas ao carro alemão, com um peso 40% inferior.
Bater o Panzer V «Panther»

Logo a seguir à batalha de Kursk, os soviéticos iniciaram uma corrida contra o tempo para conseguir desenvolver viaturas blindadas que conseguissem combater em igualdade de circunstâncias com o carro de combate Panther alemão.

Embora os soviéticos tivessem ganho em Kursk, a superioridade dos tanques alemães que foram lançados na batalha deixou os militares soviéticos muito apreensivos, pelo que o antigo projecto de modernização do T-34 foi um dos caminhos que decidiram seguir. O projecto T-34M foi renomeado T-44.

Vários problemas se levantavam. O primeiro era a fraca qualidade da peça principal de 76mm que mostrara ser cada vez menos eficiente contra os novos tanques alemães. O segundo era a cada vez mais óbvia deficiencia da blindagem do T-34, quando os alemães estavam já a utilizar artilharia anti-tanque de 75mm e 88mm.
O novo projeto do T-34M/T-44 foi apresentado logo em Novembro de 1943, tendo o primeiro protótipo ficado pronto em Janeiro de 1944.

Com a retomada de Karkov, na Ucrânia central, foi decidido reconstruir naquela localização a fábrica de tanques nr.75 e a equipa de desenvolvimento do T-44 foi transferida para ali.

De imediato, tentou-se adaptar uma peça principal de 85mm ao novo tanque. Este procedimento também estava a ser testado no T-34, para o qual estava a ser considerada a adaptação da mesma torre que tinha sido prevista para o T-44.

Durante o ano de 1944 foram produzidos vários protótipos que foram testados, mas com resultados pouco animadores. Um novo sistema de transmissão foi instalado e modificações foram introduzidas ao nivel da suspensão, corrigindo um dos problemas do T-34, as volumosas molas, que foram substituídas por um sistema de barras de torção. As modificações do sistema de suspensão foram apenas parciais, pelo que em conjunção com os problemas de transmissão, fizeram com que o T-44 nunca fosse considerado plenamente operacional.

Problemas genéricos com o desenho das rodas, transmissão e suspensão faziam com que após 20 minutos em operação o tanque ganhasse mais 1.000kg por causa da enorme acumulação de terra e lama.
A acumulação de detritos levava a muitas avarias e panes de motor, do sistema electrico e do sistema de transmissão.
O carro de combate mostrava sinais de grande desgaste após 6.000km. A partir daí, era imprescindível a substituição de grande parte de componentes de alto custo do sistema de transmissão.

Desanimadores foram também os testes feitos à versão T-44/122, em que se colocou uma peça de 122mm (idêntica à do tanque JS-2) na torre.
O carro de combate, que tinha sido pensado para substituir o T-34, não tinha como acomodar de forma eficiente uma arma de grandes dimensões, que utilizava munição com carga e projectil separados. O T-44/122 podia disparar duas vezes por minuto (três vezes se a guarnição fosse experiente).

Uma versão armada com uma peça de 100mm também mostrou não ter futuro, pois a sua potência era demasiada para a estrutura do T-44, como aliás o era para a do T-34.

Por estas razões apenas a versão equipada com uma peça principal de 85mm entrou em produção, como um eventual substituto do T-34/85.
Ainda que a sua operação fosse mais cara e alguns problemas não fossem resolvidos, o T-44/85 tinha melhor blindagem, era mais rápido, mais baixo, mais veloz e mais fácil de fabricar que o T-34/85.

No entanto, com o fim da II guerra mundial e com o aparecimento de novos tanques ocidentais, como o M26 Patton americano (armado com uma peça de 90mm) ou o Centurion britânico (armado com uma peça de 76mm de alta velocidade e posteriormente de 84mm), tornou-se óbvio que os futuros carros soviéticos precisavam responder à altura e isso só seria possível com o desenvolvimento de um carro de combate armado com uma arma mais poderosa.

O T-44/85 continuou em produção até quase ao final da década de 1940.
A estrutura do T-44 foi no entanto aproveitada para desenvolver com base no mesmo casco, o tanque T-54.
Até ao final da II guerra mundial, no inicio de Maio de 1945, entre 150 e 200 exemplares do T-44/85 tinham sido produzidos nas fábricas soviéticas, mas o modelo nunca entrou em combate. Até ao fim de 1945, mais 965 foram produzidos, tendo a produção final ficado em 1.823 exemplares, quando em 1947 a linha de montagem foi encerrada.


Notas:
Rotação da torre: 21 segundos
Blindagem máxima/torre 140mm
Blindagem máxima/casco: 90mm
Blindagem mínima: 15mm
Consumo: 250 L / 100km

Informação genérica:
A família de veículos T-54 / T-55 / T-62 é uma família de carros de combate de origem soviética, inspirada originalmente no tanque T-34 e no tanque KV.

Quando no final da II Guerra Mundial a Alemanha colocou ao serviço carros de combate mais pesados, a União Soviética respondeu, equipando os seus caça-tanques com canhões de 100mm. As experiências com o tanque T-34/100 não tiveram sucesso, pelo que as experiências continuaram com o projecto que haveria de conduzir ao T-54 e T-55. Pode-se afirmar que a junção dos dois conceitos, de tanque pesado KV armado com uma canhão de 100mm por um lado e da suspensão do T-34, resultaram no T-54.

O T-54 não foi no entanto pensado para ser o carro de combate mais poderoso no exército soviético, que continuou na sua doutrina a dar grande importância aos carros de combate mais pesados, como foi o caso dos carros pesados IS-1 até ao T-10.

Na foto, O carro de combate T-54 original. Notar o diferente formato da torre.


O T-54 converteu-se posteriormente em T-55, que tem modificações mínimas ao nível da torre e do canhão principal.
Mais tarde, foi concebido o T-62, que é essencialmente um T-55 ligeiramente maior, que se distingue principalmente pelo canhão de 115mm, em substituição do canhão de 100mm que caracteriza o T-55.

O T-55 foi fabricado na antiga União Soviética, mas também foi fabricado na China, onde foi conhecido como Type-59 e na Roménia.

Na China o T-55 deo posteriormente origem a outros veículos derivados.

A partir dos anos 60 o T-55 começou a ser relegado para funções secundárias na Europa, sendo sucedido pelo T-62, ao mesmo tempo que as unidades mais modernas da URSS recebiam o tanque T-64 e posteriormente o T-72.

A quantidade de tanques T-55 ao serviço em variadíssimos exércitos do mundo levaram a que mesmo depois da a sua produção ter terminado várias empresas desenvolvessem modernizações e upgrades.

A mais conhecida modificação «semi-oficial» do tanque T-55, é conhecida como T-55AM2, mas várias outras versões e derivações mais modernas deste tanque são oferecidas ainda hoje por várias industrias militares desde a Eslovénia à Ucrânia.