Navios deste tipo:

Dhow
Navios da antiguidade
Ghanga / Baghala
Navios da renascença
Caravela portuguesa «Caravelão»
Navios da renascença
Caravela redonda
Navios da renascença
Caravela de Guerra «de Armada»
Navios da renascença

Listar navios do tipo
Navios da antiguidade


Muçulmanos
Navios da antiguidade classe
Dhow
(tipo Caravela / Dhow)
Caravela / Dhow

Dados principais Motores
Deslocamento standard: 60 Ton
Deslocamento máx. : 120 Ton.
Tipo de propulsão: Aparelho vélico
Comprimento: 0 M - Largura: 0M
Calado: 0 M.
Tripulação / Guarnição: 20 Autonomia: 2500Km a 8 nós - Nr. Eixos: 0 - Velocidade Máxima: 10 nós

Canhões / armamento principal
2 x Varios Falcão / Falconete (Calibre: 20mm/Alcance: 1.5Km)


Forum de discussão

O Dhow, é um navio cujas origens remontam até à antiguidade e um dos primeiros povos a utilizar este tipo de navio foram os Nabateus que o terão utilizado no Mar Vermelho e no Mediterrâneo.

Há relatos da utilização de navios similares desde os tempos das galeras de romanos e egípcios (periodo de Marco António e Cleopatra), em que se afirma que as galeras romanas ou egípcias podiam facilmente destruir estes navios, mas que no caso de haver vento eles eram demasiado rápidos e ágeis para poderem ser atingidos por navios esipcios ou romanos

A enorme vantagem dos Dhows e posteriormente das Caravelas que foram utilizados como navios de transporte, de pesca mas também de guerra estava na manobrabilidade e não na sua capacidade de transportar armamento.

O Bahteel, ou Batél, é um tipo de Dhow adequado para operações militares. Tem maior calado e maior dimensão, pelo que eram aproximadamente equivalentes a caravelões, embora a sua construção não se adequasse à utilização de artilharia, sendo que a sua principal arma era o arco com flecha em chamas, destinado a incendiar o adversário. No máximo, estes navios poderiam utilizar já bem dentro do século XVI, de dois a quatro falconetes.

Quando os portugueses chegaram ao Índico no entanto e enquanto não foi estabelecido um claro dominio português, navios deste tipo armados, continuavam a ter capacidade para desafiar os navios portugueses de menor calado.


Informação genérica:
As origens da Caravela são normalmente associadas ao navios ligeiros utilizados no mediterrâneo, especialmente os navios de origem árabe que utilizavam vela triangular.

As origens mais remotas no mediterrâneo encontram-se nas embarcações de um povo árabe, conhecido como «Nabateus» que habitavam na costa do Mediterrâneo oriental e do Mar Vermelho. Estes árabes, utilizavam os tradicionais «Dhows»[1] da peninsula arábica, em várias versões, entre as quais se encontravam navios de vela triangular com um pequeno castelo de popa.

O Dhow e a chamada Caravela latina, partilham a vela triangular e a grande manobrabilidade como principal característica.

A estrutura do navio e forma de construção é no entanto diferente consoante se trate de construção mediterrânica, atlântica ou índica.

A enorme vantagem dos Dhows e das Caravelas que foram utilizados como navios de transporte, de pesca mas também de guerra estava na manobrabilidade e não na sua capacidade de transportar armamento.



[1]Designação para quase todo o tipo de embarcação árabe que no entanto é contestada, dado não só terem existido os navios de grande porte (ver Ghanga e Baghala) como ainda vários outros tipos de navios com diferentes denominações e configurações. Não se tratava no entanto de navios com capacidade militar.


   
---