Navios deste tipo:

Aradu
Fragata
Almirante Brown
Contra torpedeiro
Espora
Corveta
Yavuz
Fragata
Vasco da Gama
Fragata
Barbaros
Fragata
Amatola
Fragata

Listar navios do tipo
Fragata


África do Sul
Fragata classe
Amatola
(tipo MEKO)
MEKO

Dados principais Motores
Deslocamento standard: 3200 Ton
Deslocamento máx. : 3600 Ton.
Tipo de propulsão: CODAG - Turbina a gás e motor a diesel
Comprimento: 121 M - Largura: 16.34M
Calado: 5.95 M.
2 x Motor a Diesel MTU 16V 1163 TB93 (16102cv/hp)
1 x Turbina a Gás General Electric LM-2500 (26820cv/hp)
1 x Hidrojacto Wartsila LJ210E (20MW)
Tripulação / Guarnição: 92 Autonomia: 14500Km a 16 nós - Nr. Eixos: 2 - Velocidade Máxima: 27 nós

Canhões / armamento principal
1 x Oto-Melara 76mm Super Rapid / Compact (Calibre: 76mm/Alcance: 16Km)
1 x Denel 35mm 35DPG (2x) (Calibre: 35mm/Alcance: 6Km)

Misseis
Sistema de lançamento Umkhonto-VLS-8Umkhonto-IR24 x Denel Umkhonto-IR (Defesa Anti-Aérea)
Sistema de lançamento MM40LEXOCET MM-40 Block II8 x MBDA EXOCET MM-40 Block II (Anti-navio)

Radares
- Thales Nederland MRR-3D-NG (Combinado Aerea/superficie - Al.med: 77Km)

Sonares
- Thales Nederland Kingklip / Pesquisa activa/passiva


Forum de discussão

Os quatro navios da classe AMATOLA, são os mais recentes produtos da familia MEKO, numa série de navios conhecidos como A-200.

Trata-se de navios construidos segundo os mesmos principios modulares a que obedecem todos os navios do tipo MEKO, os quais foram modificados de forma a permitir reduzir a sua assinatura de radar, transformando estes navios em corvetas/fragatas[1] com características «Stealth».

As quatro fragatas da África do Sul, são as mais modernos e potêncialmente mais poderosos navios de todo o continente africano e incorporam muitas das tecnologias mais actuais em termos de guerra no mar.

Hidro-travões
Uma das características mais interessantes das fragatas Amatola, é o seu sistema de hidrojactos fornecido pela Wartsila, que permite levar o navio da sua velocidade máxima até à imobilidade em menos de 400 metros. O sistema é reversível, e permite ao navio durante pequenos periodos atingir velocidades superiores.


A tripulação normal é de 92 elementos, podendo aumentar em 8 a 12 elementos com a incorporação do pessoal de voo e operação de helicóptero embarcado. Existe ainda provisão para mais 20, atingindo um máximo de 124.

Os navios foram entregues à África do Sul sem todos os seus armamentos, dado o sistema de mísseis anti-aéreos incorporar sistemas de fabrico sul africano e os canhões de 76mm terem sido removidos de patrulhas sul africanos entretanto desarmados.


Informação genérica:
Os navios da classe ou tipo MEKO são navios «modulares» que foram desenhados seguindo a ideia de que os navios da classe teriam todos a mesma estrutura e igualmente a possibilidade de lhes adicionar módulos segundo as características requeridas pelos clientes.

O projecto MEKO, divide-se por sua vez em várias séries,

MEKO-200 - A série de navios mais numerosa

MEKO-360 - A primeira série de navios, construidos para a marinha da Nigueria (1 unidade ) e da Argentina (4 unidades).

MEKO-140 - Considerados pelos estaleiros alemães como fragatas, estes navios foram construidos na Argentina (6 unidades) e são classificados como corvetas naquele país.

Embora seja um projecto dos anos 80, o conceito evoluiu e adaptou-se, tendo sido lançados novas séries, com o objectivo de acompanhar o evoluir da tecnologia e dos conceitos de construção naval.

O mais recente navio do tipo MEKO, é a fragata sul africana Amatola do tipo MEKO-A200


   
---