Navios deste tipo:

Admiral Kuznetsov
Porta aviões
Liaoning
Porta aviões

Listar navios do tipo
Porta aviões


Russia
Porta aviões classe
Admiral Kuznetsov
(tipo Kuznetsov)
Kuznetsov

Dados principais Motores
Deslocamento standard: 45900 Ton
Deslocamento máx. : 58500 Ton.
Tipo de propulsão: Turbina a vapor
Comprimento: 304.5 M - Largura: 70M
Calado: 10.5 M.
8 x Caldeiras (oleo) Nikolayev (0)
4 x Turbina a vapor Nikolayev (200000cv/hp)
Tripulação / Guarnição: 2626 Autonomia: 15000Km a 18 nós - Nr. Eixos: 4 - Velocidade Máxima: 30 nós

Canhões / armamento principal
6 x Vympel 30mm AK-630 (Calibre: 30mm/Alcance: 4Km)

Misseis
Sistema de lançamento Klinok LauncherSA-N-9 «Klinok» / 9M330192 x Soviet State Factories SA-N-9 «Klinok» / 9M330 (Defesa Anti-Aérea)
Sistema de lançamento N/DSS-N-19 / 3K45 «Shipwreck / Granit»12 x Chelomey SS-N-19 / 3K45 «Shipwreck / Granit» (Anti-navio)

Radares
- NIIP-Tikomirov Mars-Passat «Sky Watch» (Tipo «Phased array» - Al.med: 232Km)
- NIIP-Tikomirov MR710 Fregat «Top Plate» (Combinado Aerea/superficie - Al.med: 157Km)
- Topaz MR-320M «Strut Pair» (Combinado Aerea/superficie - Al.med: 131Km)

Aeronaves embarcadas
- 24 x Kamov Ka-27PL / Ka-28 «Helix A»
- 18 x UAC-KnAAPO Sukhoi Su-33 / Su-27K


Forum de discussão

O Admiral Kuznetsov foi o primeiro dos navios de uma classe que deveria totalizar três navios e que estava previsto darem à União Soviética pela primeira vez capacidade para contestar o domínio dos mares por parte dos Estados Unidos.

Ao contrário dos cruzadores porta-aviões do tipo Kiev, que eram um misto de cruzador lança-mísseis com porta-aviões o Kuznetsov pode operar aeronaves de maiores dimensões e mais pesadas, o que permite transportar mais armamentos.

O projecto dos Kuznetsov foi sendo modificado à medida que surgiam problemas que não podiam ser resolvidos.
Entre as soluções adoptadas, está a colocação de uma rampa integrada à proa do navio, que permite às aeronaves descolar utilizando os seus próprios meios, dado que o Kuznetsov não tem catapultas.

O problema com esta solução, é que as aeronaves têm que utilizar uma área muito maior na coberta de voo e o resultado é a redução do número de aeronaves que é viável operar neste tipo de navio.
Embora com um deslocamento de quase 60.000 toneladas, o Admiral Kuznetsov tem uma capacidade próxima do porta-aviões francês Charles DeGaulle com cerca de 40.000 toneladas de deslocamento máximo.

Este navio é único e não parecem existir planos claros para a construção de outras unidades deste tipo ou com as mesmas características. A doutrina militar russa, não parece passar pelo controlo dos mares, assumindo-se como uma doutrina defensiva.

A entrada ao serviço do navio coincidiu com o colapso da União Soviética. Os estaleiros onde foi construído estão na Ucrânia, país que vendeu o segundo navio deste tipo à China.

Se inicialmente o Kuznetsov foi pensado para contestar o domínio dos mares pela NATO, hoje é perfeitamente claro que a Rússia não tem os meios e a capacidade para voltar a tentar faze-lo no futuro.



O Kuznetsov está baseado no mar do norte. Por causa das condições de clima, o navio efetua viagens durante o inverno russo, normalmente ao mediterrâneo e mesmo ao oceano índico.
Informação genérica:
Ainda os porta-aviões da classe Kiev estavam em construção, e já os responsáveis da marinha soviética tinham começado a pensar no futuro dos grandes navios de superfície da URSS.

Com os Kiev, a marinha da URSS não podia de facto competir com os grandes porta-aviões dos Estados Unidos, nem mesmo com os porta-aviões franceses da classe Clemanceau. Construídos com uma pista relativamente pequena e pensados para aviões de descolagem vertical que eram pouco potentes como aeronaves de combate os Kiev eram vistos como navios de transição.

A nova classe de navios deveria ser muito mais poderosa. Não seria apenas um cruzador-porta.aviões que substituía a falta de aeronaves com os seus grandes mísseis anti-aéreos, mas sim um porta-aviões de descolagem convencional, capaz de colocar no ar aeronaves mais capazes e com efectiva capacidade militar.

O projecto começou inicialmente por ser um super porta-aviões conhecido como classe Leonid Brejnev. Esse tipo de navio, deveria ser parecido com os grandes porta-aviões norte-americanos, movido a energia nuclear e com catapultas para projectar aeronaves no ar a um ritmo elevado.

Mas nos anos 70/80, a engenharia soviética não conseguiu produzir catapultas que permitissem o lançamento de aeronaves de grandes dimensões. A somar a isso esteve a decisão dos responsáveis soviéticos de não optar pela instalação de propulsão nuclear, para evitar os problemas de desenvolvimento que afligiram os cruzadores de batalha da classe Kirov.
Receando que os seus dois mais poderosos navio se transformassem em elefantes brancos os almirantes optaram por um sistema motriz convencional com caldeiras e turbinas a vapor.

O resultado dos cortes ao projecto Leonidas Brejnev foram os navios do tipo Kuznetsov. Dos dois navios propostos, apenas um foi entregue à marinha soviética em 1990, pouco tempo antes do país desaparecer.
O navio passou para a marinha da Federação Russa e só ficou realmente operacional cinco anos depois. O segundo navio, o Varyag acabou sendo cancelado. Continuou nos estaleiros ucranianos e sem capacidade para terminar o navio o governo da Ucrânia vendeu o casco do navio à China.

A aquisição do Varyag pela China foi envolvida numa nuvem de duvidas e ainda hoje não é certo que mecanismos foram utilizados para comprar o navio, que inicialmente deveria ser utilizado como casino flutuante numa zona de jogo.
Aparentemente o governo da China tomou posse do navio e iniciou um processo de modernização que aparenta ter como objectivo transformar o Varyag, rebaptizado provisóriamente Hsi Lang e posteriormente Liaoning, no primeiro porta-aviões chinês.


   
---