Navios deste tipo:

Sheffield
Contra torpedeiro
Hercules
Contra torpedeiro
Sheffield b-III
Contra torpedeiro

Listar navios do tipo
Contra torpedeiro

Acontecimentos relacionados
Batalha da Baía de San Carlos



Reino Unido
Contra torpedeiro classe
Sheffield
(tipo Type 42)
Type 42

Dados principais Motores
Deslocamento standard: 3500 Ton
Deslocamento máx. : 4100 Ton.
Tipo de propulsão: COGOG (Combinada Gás ou Gás)
Comprimento: 119.5 M - Largura: 14.3M
Calado: 5.8 M.
4 x Gerador electrico (0)
2 x Turbina a Gás Rolls Royce Tyne RM1C (9700cv/hp)
2 x Turbina a Gás Rolls Royce Olympus TM3B (50000cv/hp)
Tripulação / Guarnição: 253 Autonomia: 7200Km a 18 nós - Nr. Eixos: 2 - Velocidade Máxima: 29 nós

Canhões / armamento principal
1 x Vickers Defence 114mm Vickers Mk 8 mod.0 (Calibre: 114mm/Alcance: 22Km)

Misseis
Sistema de lançamento GWS-30 launcherSea Dart Mod.022 x BAE Systems - Naval ships Sea Dart Mod.0 (Defesa Anti-Aérea)


Forum de discussão

A classe Shefield de contra-torpedeiros divide-se em três sub-séries. As primeiras duas são idênticas em termos de características básicas e dimensões do casco, diferindo em questões mínimas. As duas classes foram sendo modernizadas nos mesmos moldes.

Entre 1987 e 1989, também por causa das lições das Malvinas, foram removidos os canhões de 30mm e instalados sistemas CIWS-Phalanx.

Os quatro navios mais antigos da primeira série de seis (dois dos quais foram destruidos nas Malvinas) já não estão ao serviço, restando apenas operacionais os navios dos lotes II que foram sendo modernizados ao longo dos anos.



O HMS Sheffield, o primeiro navio da classe, foi atingido por um míssil Exocet disparado por uma aeronave Super Etendard argentina. Embora reltivamente longe da costa, a sul da Malvina Ocidental os Super Etendard estavam preparados para reabastecimento em voo, pelo que puderam aproximar-se a uma distância suficiente para lançar os seus mísseis.

Nos momentos críticos que antecederam o impacto, o HMS Sheffield, estava a estabelecer comunicações via satélite com Londres. Para estabelecer estas comunicações, o radar de longo alcance não podia funcionar, pelo que os responsáveis pelo radar do Sheffield, não se aperceberam da aproximação do míssil.

O outro navio que acompanhava o Sheffield apercebeu-se da situação, mas a mensagem de emergência que foi enviada não foi correctamente interpretada.

O navio foi atingido a 4 de Maio de 1982 e sofreu danos tão graves se afundou a 10 de Maio, enquanto estava a ser rebocado. A sua tripulação foi evacuada para outros navios, nomeadamente para o porta-aviões Hermes.


Informação genérica:
Os navios do tipo 42, fazem parte de uma classe de navios britânicos que é constituida por três lotes «batch» diferentes.

Eles foram inicialmente desenhados para substituir a prevista aquisição de grandes contra-torpedeiros do tipo 82, com um deslocamento superior a 6.000 toneladas que deveriam operar junto com porta-aviões.

Como no final dos anos 60 a Grã Bretanha tinha decidido deixar de operar grandes porta-aviões, tornou-se necessário um navio mais pequeno que servisse a função de defesa de área.

Essa capacidade de defesa baseava-se na instalação dos lançadores duplos GWS-30 para o lançamento de mísseis Sea-Dart.


Existiu um quarto lote, constituido pelos dois navios argentinos deste tipo, vendidos para aquele país sul americano nos anos 70.


   
---