Navios deste tipo:

North Carolina
Couraçado rápido
South Dakota
Couraçado rápido
Iowa
Couraçado rápido

Listar navios do tipo
Couraçado rápido


Estados Unidos da América
Couraçado rápido classe
Iowa
(tipo North Carolina)
North Carolina

Dados principais Motores
Deslocamento standard: 48879 Ton
Deslocamento máx. : 58460 Ton.
Tipo de propulsão: Turbina a vapor
Comprimento: 270.4 M - Largura: 22M
Calado: 11 M.
12 x Caldeiras (oleo) Babcock & Wilcox ()
8 x Turbinas acopladas General Electric (200000cv/hp)
Tripulação / Guarnição: 1921 Autonomia: 0Km a 0 nós - Nr. Eixos: 4 - Velocidade Máxima: 33 nós

Canhões / armamento principal
9 x US Naval Gun Factory 406mm L/50 Mk VII (US) (Calibre: 406mm/Alcance: 37.72Km)


Forum de discussão

Os couraçados da classe Iowa, foram os maiores couraçados do mundo, a seguir aos dois couraçados / porta-aviões japoneses da classe Yamato.

Os navios desta classe, são versões aumentadas dos couraçados da classe South Dakota, com velocidade maior.
A marinha dos Estados Unidos, pretendia dispor de couraçados armados com canhões de 406mm (calibre que equipou todos os couraçados norte-americanos lançados à água depois da primeira guerra mundial) mas que fossem capazes de acompanhar os grupos de porta-aviões, com uma velocidade superior a 30 nós.

No entanto, para produzir navios com essas características, cedo se tornou evidente que esses navios teriam um deslocamento máximo que ultrapassaría em muito os limites estabelecidos pelo tratado de Washington, que proibia a construção de navios com deslocamento superior a 35.560 toneladas.

É por isso que os norte-americanos lançaram seis couraçados nos anos 30, com deslocamento e velocidade inferiores.

Mas em 1938, chegaram rumores de que o Japão se preparava para lançar couraçados rápidos munidos de grandes canhões, que alegadamente tinham um deslocamento de 47.000 toneladas. Esta notícia levou os Estados Unidos a responder e essa resposta veio na forma dos couraçados da classe Iowa.

Este tipo de navio, era um «South Dakota» aumentado, com melhor protecção e um conjunto motriz capaz de fazer o navio atingir uma velocidade de 33 nós, o que transformava os Iowa nos super-couraçados mais rápidos do mundo. Os primeiros quatro navios foram encomendados em 1938 e em 1940 foram acrescentados mais dois à encomenda, num programa naval de emergência.

Muito mais longos que os couraçados anteriores por causa dos espaço ocupado pelas caldeiras e turbinas, os Iowa tinham espaço para a solocação de uma poderosa bateria secundária de armamentos anti-aéreo que incluía 60 canhões de 40mm (mais tarde esse numero foi aumentado para 76). No BB-64 e BB-65 esse numero foi ainda mais aumentado, para 80.
Estavam ainda disponíveis 20 canhões de 127mm (5 polegadas) de duplo emprego, tanto utilizáveis contra navios como contra aeronaves.


Notas adicionais:
- O New Jersey e o Wiscosin tinham turbinas Westinghouse e não G.E.
- Os equipamentos referidos dizem respeito à última modernização dos navios.

Couraçados Iowa e Wiscosin:
Como resultado de uma apreciação por parte do Congresso dos Estados Unidos, que temia a perda de capacidade de fogo da marinha, foi determinado que embora os couraçados Iowa e Wiscosin possam servir para museu, as suas capacidades de combate não podem ser alteradas e a possibilidade de os navios serem reactivados não deve ser posta em causa por nenhuma alteração necessária para a sua transformação em museu.


Informação genérica:
Embora se trate de navios bastante diferentes, estas as três classes de são parte de um conjunto de dez couraçados construidos imediatamente antes da II Guerra Mundial, os quais partilham várias características em comum.


Sendo agrupados na mesma família e obedecendo a conceitos similares, os navios tinham no entanto dimensões bastante diferentes. Nesta imagem podemos comparar os navio da série South Dakota com os Iowa.
Quando terminou a I guerra mundial, os Estados Unidos tinham uma esquadra com couraçados relativamente modernos, na sua maioria lançados à água durante o conflito. Isto deixou a marinha norte-americana com os cinco couraçados da classe Califórnia-Colorado, os quais aimda estavam em fase final de construção para entregua à marinha dos Estados Unidos já depois do fim do conflito.

Os Norte-Americanos eram co-signatários do tratado de Washington de limitação de construção de grandes navios e um dos acordos firmados entre as principais potências navais foi uma moratória de novas construções, que era especialmente favorável aos próprios americanos, pois tinham acabado de lançar à água cinco couraçados completamente novos.

No entanto, os Estados Unidos, como os restantes países com grandes marinhas não deixaram de planear os navios que iriam substituir os couraçados do período da I guerra.

Os navios norte-americanos pós período da I guerra mundial dividem-se em três classes distintas:

Classe North Carolina
Constituída por dois navios, foi a classe que influenciou as restantes construções de couraçados norte-americanos. Com um deslocamento de 38.000 toneladas standard e 45.110 toneladas com carga máxima, eles foram lançados relativamente tarde, porque os Estados Unidos preferiram esperar para ver que tipo de opções outras marinhas tomariam.
A opção japonesa por couraçados com canhões de 406mm, levou a que os Estados Unidos também optassem por esse calibre.

Classe South Dakota
Constituída por quatro navios, caracteriza-se por um aumento da blindagem lateral e das torres, embora o peso maior da blindagem tivesse reduzido a velocidade máxima dos navios. Com pouco mais de 207m de comprimento os South Dakota são os mais curtos dos couraçados norte-americanos desenvolvidos na década de 1930.

Classe Iowa
Constituída por seis navios, dos quais apenas quatro foram construidos é a mais famosa e conhecida classe de couraçados dos Estados Unidos. Tem uma base, tecnologia e armamentos idênticos aos anteriores, mas conta com maior blindagem, mas acima de tudo com muito mais potência nas suas turbinas, o que lhe permitiu atingir uma velocidade em testes de 35 nós e uma velocidade mantida de 33 nós.




O MASTODONTE NÃO CONSTRUIDO

Um quarto tipo de navio com as mesmas características foi concebido no final dos anos 30, com o objetivo de garantir à América um absoluto controlo marítimo sobre as suas zonas de interesse. A classe Montana no entanto, nunca seria construida.

Classe Montana

Desenhados durante os anos 30, os cinco couraçados da classe Montana viram a sua construção autorizada em 1940, ainda antes de os Estados Unidos entrarem na guerra.

Embora seguissem as linhas básicas dos Iowa, os Montana dispunham de quatro torres triplas com três peças de 406mm.
Estas peças de artilharia são consideradas as melhores em operação durante a II guerra mundial e estiveram no serviço ativo até à década de 1980.

A dimensão dos Montana seria maior que a dos Iowa, pelo que ao mesmo tempo que os navios foram aprovados, foram iniciados estudos para modificar o Canal do Panamá, para permitir a passagem destes navios.

Considerando o poder de fogo dos seus 12 canhões principais e a sua velocidade (Os Montana atingiriam apenas 28 nós, menos que os Iowa) estes cinco couraçados seriam os mais poderosos navios do mundo. A «bordada» de 12 canhões de 406mm dos Montana era superior à de 9 canhões de 460mm dos couraçados japoneses Yamato.
A somar a isso os canhões americanos dispunham de controlo de tiro assistido por radar, o que não acontecia nos navios japoneses.

Como aconteceu com outros modelos de navios britânicos, alemães e soviéticos, também os Montana foram cancelados após a entrada dos Estados Unidos na guerra, porque se considerou que os navios não seriam construidos em tempo útil.
A sua velocidade inferior também jogou contra, dado eles não poderam acompanhar os porta-aviões, que se tinham tornado no nucleo dos grupos de batalha.

Quando os cinco Montana foram cancelados, foram igualmente cancelados os trabalhos no canal do Panamá.
Em sua substituição foram encomendados mais dois couraçados da classe Iowa, que também não chegariam a ser terminados, porque a guerra terminou antes de terem sido completados.

Modelo do Montana construido em 1941:


O navio teria um deslocamento carregado, de 70 500t, um cinturão anti-torpedo de 409mm e a blindagem das torres seria de 571mm na face frontal e de 477mm a 533mm nas laterais.

Os motores desenvolviam 172,000cv, contra 200,000cv dos Iowa. A sua velocidade máxima de 28 nós era idêntica à dos Yamato japoneses.


   
---