Listar navios do tipo
Couraçado «Pré Dreadnought»


Império Russo
Couraçado «Pré Dreadnought» classe
Petropavlovsk

Dados principais Motores
Deslocamento standard: 11842 Ton
Deslocamento máx. : 13500 Ton.
Tipo de propulsão: Máquinas a vapor
Comprimento: 112.5 M - Largura: 21.3M
Calado: 7.77 M.
12 x Caldeiras (carvão) Vosper Thornycroft (0)
2 x Máquinas a vapor trip.exp. (11250cv/hp)
Tripulação / Guarnição: 632 Autonomia: 7000Km a 9 nós - Nr. Eixos: 2 - Velocidade Máxima: 16.5 nós

Canhões / armamento principal
4 x Obukhov metalurgy / Kirov 305mm L/40 M.1895 (ru) (Calibre: 305mm/Alcance: 20.3Km)


Forum de discussão

Esta classe de três navios russos, construidos no Báltico no final do século XIX eram como a maior parte dos navios russos da altura inspirados pela escola francesa e dispunham de torres principais de concepção francesa, armadas com canhões de 305mm, comuns nos navios russos da altura.

Os navios foram todos completados em 1899 e com o avolumar da crise entre Russia e Japão, todos eles foram enviados para o extremo oriente para reforçar a presença russa na base naval de Porto Artur, onde se encontravam quando a guerra entre os dois países começou em 1904.

Em 1904 o couraçado Petropavlovsk era o navio almirante da esquadra russa do oriente baseada em Porto Artur. O comandante da esquadra era o Almirante Stefan Makarov.

Numa missão de rotina em 13 de Abril de 1904 o Petropavlovsk embateu numa mina e a explosão daí resultante, provocou uma explosão nos paiois de polvora do navio. A enorme explosão da qual resultou a morte do próprio comandante da esquadra, afundou o navio rapidamente.

O Poltava, participou mais tarde na batalha do Mar Amarelo, sendo atingido por quatro projecteis japonses. O navio voltou para Porto Artur, que na altura já estava ao alcance dos canhões da artilharia japonesa que cercava a cidade. Até à rendição no final de 1904, o Poltava foi atingido por mais seis disparos de 280mm.
Como outros navios da esquadra, afundou em águas rasas e serviu como bateria flutuante. Mais tarde foi recuperado pelos japoneses e serviu na marinha daquele país como «Tango» até 1916, altura em que voltou a ser vendido à Rússia e reincorporado com o nome de «Tchesma». Como «Tchesma», o navio foi enviado para Murmansk no Mar Branco, onde serviu até 1923.

O terceiro navio, o Sevastopol, esteve presenta na batalha do Mar Amarelo, e voltou para Porto Artur com o resto da esquadra. Foi atingido sériamente por projecteis japoneses de 280mm e foi rebocado para fora do porto (onde estava fora do alcance dos canhões japoneses) protegido por uma rede anti-torpedo.
Os japoneses ainda tentaram afunda-lo, mas as redes anti-torpedo serviram de protecção.
Aquando da rendição de Porto Artur o navio foi rebocado para águas profundas e afundado.


Informação genérica:


   
---