Navios deste tipo:

Alvaro de Bazan
Fragata de defesa aérea
Zeven Provincien
Fragata de defesa aérea
Sachsen F124
Fragata de defesa aérea
Nansen
Fragata

Listar navios do tipo
Fragata


Noruega
Fragata classe
Nansen
(tipo NFR-90)
NFR-90

Dados principais Motores
Deslocamento standard: 4900 Ton
Deslocamento máx. : 5290 Ton.
Tipo de propulsão: CODAG - Turbina a gás e motor a diesel
Comprimento: 137.25 M - Largura: 16.8M
Calado: 4.9 M.
2 x Motor a Diesel MTU (6000cv/hp)
1 x Turbina a Gás General Electric LM 2500 (28830cv/hp)
Tripulação / Guarnição: 120 Autonomia: 7200Km a 16 nós - Nr. Eixos: 2 - Velocidade Máxima: 26 nós

Canhões / armamento principal
1 x Oto-Melara 76mm Super Rapid / Compact (Calibre: 76mm/Alcance: 16Km)

Misseis
Sistema de lançamento Mk-41NSM8 x Kongsberg NSM (Anti-navio)
Sistema de lançamento Mk-41ESSM - RIM-162A32 x Raytheon Systems ESSM - RIM-162A (Defesa Anti-Aérea)

Torpedos
- 4 x ALENIA-Marconi Stingray - sistema de lançamento: lançadores N/D

Radares
- Raytheon Systems AN/SPG-62 (Director de tiro - Al.med: Km)
- Lockeed Martin AN/SPY-1F (Tipo «Phased array» - Al.med: 143Km)

Outros sistemas electrónicos
- Lockeed Martin AEGIS (Sistema de gestão de dados combate)


Forum de discussão

A classe Frijtof Nansen de fragatas norueguesas, é até ao momento o mais pequeno navio a receber os radares AN/SPY-1 que são os principais sensores do sistema de combate AEGIS.
Elas foram adquiridas pela Noruega para substituir uma classe de cinco navios construidos nos anos 60 e que estavam completamente obsoletos.

O projecto de definição do tipo de navio começou em 1997 e a empresa espanhola IZAR (actual Navantia) juntamente com a Lockeed Martin foram escolhidos como principais fornecedores da plataforma e dos sistemas de sensores e de combate.

No entanto, embora armados com um sofisticado sistema de radares, a função principal dos navios é a de luta anti-submarina. O sistema AEGIS utilizado pelas fragatas é hibrido. A parte norte-americana do sistema trata apenas da defesa anti-aérea enquanto que a luta contra alvos de superfície e alvos anti-submarinos é efectuada por sistemas adicionais desenvolvidos integrados pela empresa norueguesa Kongsberg.
A fragata ao contrário dos outros navios congéneres está armada com mísseis anti-navio de concepção norueguesa NSM.

Esta característica hibrida, que implicou um elevadíssimo custo para um sistema de defesa anti-aérea que nestes navios é secundário, esteve na origem de fortes criticas aos navios e à sua aquisição pelo governo do país.

O custo das Nansen acabou por não ser muito menor que o custo de navios com características muito superiores como as próprias fragatas F-100. A construção dos navios em Espanha, foi uma forma de tentar evitar os altos custos de mão de obra norueguesa, mas mesmo assim cada uma das cinco fragatas Nansen, ficou por um preço de cerca de 600 milhões de Dólares americanos.


Informação genérica:
No final de 1988, vários países da NATO acordaram iniciar um programa de estudo de um «conceito» de navio, que poderia ser utilizado por várias marinhas europeias, com o objectivo de uniformizar navios e sistemas e reduzir custos.
Os países que fizeram parte do programa foram: Canadá, França, Alemanha, Itália, Holanda, Espanha Reino Unido e Estados Unidos.

NATO Frigate Replacement - NFR-90

Acima: Imagem artística do projecto NFR-90


Os estudos para a definição inicial do projecto começaram em 25 de Janeiro de 1989, prevendo-se um desenho básico para Maio desse ano e a definição do sistema básico de mísseis até ao final desse ano.

Analisados os requisitos de cada uma das marinhas, concluiu-se sobre a pouca viabilidade da ideia, embora dos países iniciais, três tenham decidido seguir um caminho muito próximo.

A Espanha a Alemanha e a Holanda basearam-se nos estudos do NFR-80 para construir os seus navios de defesa aérea. Os três países assinaram em 1993 um protocolo de cooperação entre os estaleiros Bazan, Royal Schelde e Blohm+Voss para o desenvolvimento de um projecto comum de casco.

F-100 «Alvaro de Bazan»
As fragatas espanholas da classe Alvaro de Bazan, são as que mais se distanciaram do projecto original, pois no final dos anos 90 a marinha espanhola decidiu que utilizaria o sistema de combate AEGIS para os seus navios, o que levou a um redesenho radical da superestrutura, de forma a acomodar os radares Spy-1. As fragatas F-100 ultrapassaram bastante o deslocamento que se previa para esses navios, exactamente por causa da necessidade de acomodar o sistema de origem americana.

Aparentemente os primeiros quatro navios constituem uma classe única, e um quinto está em construção, possuindo novos sistemas, o que em principio deverá implicar a sua classificação como nova classe. Dentro do mesmo tipo de navio.

LCF - «De Zeven Provincien»
A classe holandesa de navios derivados do projecto de cooperação entre Espanha Holanda e Alemanha, conduziu também a fragatas de defesa aérea, com modificações «Stealth» e com um radar de origem europeia, ligado a um sistema de combate SEWACO igualmente de origem holandesa.

F-124 «Sachsen»
A Alemanha, que também prosseguiu com os projectos que se seguiram ao NFR-90, optou por construir os seus navios de defesa aérea com base no desenho das fragatas F-123

F-310 «Nansen»
O projecto de fragatas Nansen, foi concebido tendo como base as fragatas F-100. Como utiliza o sistema AEGIS, mas com antenas do radar SPY-1F mais pequenas o navio não precisou ser aumentado e é nestes navios que se nota mais a similaridade com o projecto NFR-90.


   
---