Navios deste tipo:

New Mexico
Couraçado «Super-Dreadnought»
Tennessee
Couraçado «Super-Dreadnought»

Listar navios do tipo
Couraçado «Super-Dreadnought»


Estados Unidos da América
Couraçado «Super-Dreadnought» classe
Tennessee
(tipo New Mexico / California)
New Mexico / California

Dados principais Motores
Deslocamento standard: 33121 Ton
Deslocamento máx. : 35773 Ton.
Tipo de propulsão: Turbinas a vapor / electropropulsor
Comprimento: 190.4 M - Largura: 29.7M
Calado: 10.7 M.
8 x Caldeiras (oleo) Bureau Extress/Babcock & Wilco (0)
6 x Turbinas a vapor / electropropulsor Curtis Westinghouse (28500cv/hp)
Tripulação / Guarnição: 1480 Autonomia: 22000Km a 14 nós - Nr. Eixos: 4 - Velocidade Máxima: 21 nós

Canhões / armamento principal
12 x US Naval Gun Factory 356mm/50 Mk7/Mk-11 (US) (Calibre: 356mm/Alcance: 39Km)


Forum de discussão

Os couraçados da classe Tennessee [a], são quase idênticos aos três navios da classe New Mexico, sendo as principais modificações o nivelamento do casco que permitiu uma acomodação mais racional das baterias secundárias. Esta foi uma das modificações introduzidas pela marinha dos Estados Unidos no seguimento das lições ensinadas pela batalha de Jutlandia entre as marinhas britânica e alemã.

Os ensinamentos de Jutlandia, aconselharam os engenheiros navais norte americanos a aumentar a elevação dos canhões das torres principais, porque era evidente que as batalhas entre couraçados se estavam a dar a distâncias cada vez maiores.

Os canhões dos dois navios podiam ser elevados a até 30º enquanto que os canhões principais dos navios das classes anteriores podiam ser elevados até 15º

Outra curiosidade consiste no diferente sistema de propulsão cujos méritos estavam na altura a ser discutidos na marinha dos Estados Un idos. Por esta razão os navios foram equipados com um sistema de propulsão turbo-eléctrico, com turbo alternadores que por sua vez alimentavam motores electricos que moviam o navio. Este sistema tinha vantagens, embora não aguentasse altas velocidades, pelo que não foi utilizado nas classes seguintes de navios mais rápidos.

Por serem dos navios mais modernos da esquadra americana no periodo entre guerras, estes navios não sofreram grandes modificações, e é assim que se encontram quando os Estados Unidos entraram na guerra.

Pearl Harbour
Os dois navios desta classe estavam presentes em Pearl Harbour aquando do ataque japonês em Dezembro de 1941.
O couraçado Tennessee foi atingido por duas bombas mas de resto não sofreu grandes estragos.
Já o California foi sériamente danificado, sendo atingido por dois torpedos e três bombas. Afundou em águas rasas e foi reerguido em Março de 1942 e rebocado para os estaleiros de Puget Sound em Seattle, na costa leste dos Estados Unidos para reparação.

Os dois navios da classe, como não tinham sido submetidos ao processo de modernização de outros couraçados mais antigos, foram então submetidos a uma reconstrução com consideráveis modificações.

Os navios receberam maior protecção contra torpedos e a configuração do seu convés, estudada depois de 1916 acabou por facilitar a instalação de uma poderosa bateria secundária constituida por oito torres duplas de canhões de 127mm (L/38) 56 canhões de 40mm e 48 canhões de 20mm.

A ponte de comando e a superestrura dos navios também foi completamente reconstruida, com uma configuração copiada dos novos couraçados americanos da classe South Dakota.

O Tennessee, cujos danos tinham sido menores foi reincorporado em 1943 e enviado para a campanha das ilhas Aleutas.
O California, mais danificado, demorou mais tempo em reparações e só voltou ao serviço em Janeiro de 1944.

Os dois navios foram utilizados no apoio aos desembarques nas ilhas do Pacífico ao longo de 1944 e participaram na batalha do Estreito de Surigao em Outubro de 1944. Por terem sido reformados há menos tempo, eram de entre os navios norte-americanos mais antigos os que tinham o melhor equiamento de radar para dirigir o tiro dos seus canhões. Eles atacaram o couraçado japonês Fuso com grande precisão a cerca de 20km de distância.

Já em 1945, o California foi atingido por um Kamikaze, o mesmo acontecendo com o Tennesse em Abril desse mesmo ano, mas os navios continuaram ao serviço.

No final da guerra foram imediatamente colocados na reserva e foram vendidos os dois para sucata em 1959.


[a] - Algumas publicações designam estes navios como classe California. No entanto, como se costuma dar a uma classe de navios o nome do primeiro a ser lançado, o Tennessee (BB 43) antecedeu o California (BB-44).




Informação genérica:
Os navios da classe New Mexico e Tennessee, poderiam ser considerados como parte da mesma classe, não fossem as conclusões a que os epecialistas chegaram após se conhecerem os contornos da batalha de Jutlandia em 1916.

Os navios são basicamente idênticos, com a mesma configuração compacta com apenas quatro torres triplas, armadas com canhões de 356mm.

Mas a principal diferença entre os dois navios e o que explica a razão de serem considerados pertencentes a classes diferentes foi a modificação efectuada a meia nau, que permitiu a colocação de armamento secundário numa posição mais elevada.

As conclusões de Jutlandia, implicavam que o armamento secundário dos couraçados do tipo «Dreadnought» e «Super Dreadnought» instalado em casamatas nos bordos dos navios, era completamente ineficaz.
Por esta razão, os dois navios da classe Tennessee foram modificados para permitir a colocação dos canhões secundários em torres colocadas em posições mais elevadas, abandonando a configuração em casamata.

Os New Mexico não incorporaram esta característica desde o inicio e só aquando da sua reconstrução se fizeram modificações para remover a artilharia secundária das laterais do navio, colocando-a numa posição mais elevada.


   
---