Navios deste tipo:

Caio Duilio
Couraçado rápido
Conte di Cavour
Couraçado rápido
Novorossiysk
Couraçado rápido

Listar navios do tipo
Couraçado rápido


Italia
Couraçado rápido classe
Caio Duilio
(tipo Cavour / Duilio)
Cavour / Duilio

Dados principais Motores
Deslocamento standard: 26334 Ton
Deslocamento máx. : 29342 Ton.
Tipo de propulsão: Turbina a vapor
Comprimento: 186.9 M - Largura: 28M
Calado: 8.9 M.
8 x Caldeiras (oleo) Yarrow (0)
4 x Turbinas acopladas Beluzzo (87415cv/hp)
Tripulação / Guarnição: 1485 Autonomia: 3000Km a 24 nós - Nr. Eixos: 2 - Velocidade Máxima: 27 nós

Canhões / armamento principal
10 x Ansaldo 320mm L/44 M1933 (i) (Calibre: 320mm/Alcance: 29Km)


Forum de discussão

Os dois couraçados da classe Caio Duilio foram completamente reconstruidos durante os anos 30 nos mesmos padrões dos dois navios da classe Conte di Cavour, no que foi o mais radical processo de conversão de couraçados do periodo que antecedeu a II Guerra Mundial.

A principal diferença entre os Caio Duilio e os seus quase gémeos, eram as baterias de armamento secundário.
Esta classe de navios dispunha de navios com armamento secundário de 135mm em vez do armamento secundário de 120mm nos Cavour.
Os canhões de 135mm estavam montados em torres triplas.

Embora aparentemente de menos importância o armamento de 135mm destes dois couraçados transformava-os em navios mais capazes em combate contra navios mais pequenos como contra-torpedeiros e cruzadores.

Como os Cavour, os Caio Duilio estavam armados com uma bateria de dez modernos canhões anti-aéreos de 90mm [1].

Embora exteriormente não fosse visivel, a protecção superior dos dois Caio Duilio também era ligeiramente diferente e os directores de tiro duplos acoplados eram idênticos aos dos couraçados modernos da classe Littorio.

Vida operacional
Os dois navios estavam no fim do processo de modernização quando começou a II Guerra Mundial e foram entregues à marinha italiana pouco depois do inicio do conflito. O Caio Duilio foi entregue ainda em Junho de 1940 enquanto o Andrea Doria foi recebido em Setembro.

O Caio Duilio começou logo a ser utilizado contra os navios de transporte britânicos no Mediterrâneo, embora sem sucesso de monta. O navio foi atingido em Novembro de 1940 durante o ataque britânico contra Taranto mas não chegou a afundar e foi posteriormente reparado.

Os dois navios estiveram operacionais entre Dezembro de 1941 e Janeiro de 1942. Em Fevereiro de 1942 os dois navios participaram numa acção contra navios britânicos que se dirigiam à ilha de Malta.

Em Março de 1942, os dois navios foram retirados de serviço, tendo-se rendido aos aliados em 1943.

Em 1944 eles foram novamente recuperados para permitir a sua utilização como navios de treino, mas acabaram por ser retirados de serviço ativo pouco tempo depois.
Os dois couraçados só foram efetivamente abatidos à marinha italiana em 1956, altura em que foram foram vendidos para sucata.




Notas
[1] - O mesmo modelo de canhão anti-aéreo que numa versão adaptada foi utilizado no caça tanques italiano M-41M.
Informação genérica:
Os navios couraçados italianos da classe Conte di Cavour e da classe Caio Duilio, lançados no inicio do século XX, antes do inicio da I Guerra Mundial, foram sujeitos ao mais radical programa de reconstrução de couraçados do periodo entre guerras. Apenas 40% da estrutura original foi mantida, tendo todo o resto sido substituido ou modificado.

As duas classes de navios, foram submetidas a modificações que os tornaram quase gémeos, ficando as diferenças limitadas às baterias de canhões secundários.

O armamento principal, constituido por canhoes de 305m reconvertidos para o calibre 320mm é igual nos quatro navios das duas classes, com dez canhões distribuidos por duas torres triplas e duas torres duplas.



Os navios da classe Caio Duilio / Julio Cesare: Na imagem podem-se se ver as diferenças antes da reconstrução e após a reconstrução


Acima, esquema demonstrativo da radical modificação a que foram submetidos os couraçados italianos entre as duas guerras


Ao serviço da União Soviética

Um dos navios sobreviventes, o Giulio Cesare, foi transferido para a União Soviética ao abrigo do acordo de armistício estabelecido com a Itália.
O navo foi entregue em 1949.


   
---