Navios deste tipo:

Hyuga
Porta helicopteros
Izumo
Porta helicopteros

Listar navios do tipo
Porta helicopteros


Japão
Porta helicopteros classe
Hyuga
(tipo Porta-helicópteros / Japão)
Porta-helicópteros / Japão

Dados principais Motores
Deslocamento standard: 13950 Ton
Deslocamento máx. : 18000 Ton.
Tipo de propulsão: COGAG - Turbina a gás e turbina a gás
Comprimento: 197 M - Largura: 33M
Calado: 7 M.
4 x Turbina a Gás GM-2500 (25000cv/hp)
Tripulação / Guarnição: 340 Autonomia: 12000Km a 18 nós - Nr. Eixos: 2 - Velocidade Máxima: 30 nós

Canhões / armamento principal
2 x Raytheon Systems 20mm Phalanx Mk 15 Block 1B (Calibre: 20mm/Alcance: 1.5Km)

Misseis
Sistema de lançamento Mk-41ESSM - RIM-162A16 x Raytheon Systems ESSM - RIM-162A (Defesa Anti-Aérea)


Forum de discussão

Entregue à marinha do Japão em 2009, o porta-helicópteros Hiyuga foi oficialmente designado contra-torpedeiro-porta-helicópteros, um eufemismo destinado a ultrapassar questões legais.

Na verdade, o Hyuga, é um porta-helicópteros, e ao contrário de outros navios do tipo de várias marinhas que também são porta-helicópteros ele tem uma característica extremamente importante que o permite diferenciar de outros navios: A velocidade.

Enquanto navios que podemos classificar como porta-helicópteros e que são também navios logísticos com capacidade de desembarque, o Hiyuga, pode acompanhar a uma velocidade superior a 30 nós, os navios mais rápidos de uma esquadra e pode mesmo acompanhar um grupo de porta-aviões norte-americano à sua velocidade máxima.

Embora conte com antenas planas do tipo Phased Array para alguns dos seus sensores, o navio não dispõe ao contrário do que foi afirmado por alguma imprensa do sistema de combate AEGIS. A ligação entre o Hyuga e os navios escoltadores da esquadra japonesa (esses sim equipados com o sistema de combate AEGIS) está no entanto assegurada.

O sistema de controlo dos mísseis anti-aéreos do Hyuga utiliza para a função o FCS-3 da Thales-Netherland que utiliza a tecnologia ICWI (Interrupted Continuous Wave Ilumination) e que será integrado juntamente com o radar de pesquisa aérea fabricado pela Mitsubishi Electronic Co.

Estas características, fazem do Hyuga o mais poderoso porta-helicópteros presentemente em operação e quase que o equipara a um porta-aviões ligeiro
Após o lançamento, a primeira unidade do que poderá ser uma classe de quatro navios foi a maior unidade militar da força naval de auto-defesa do Japão até ao lançamento do porta-helicopteros Izumo, com um deslocamento máximo de 27.000t.


Informação genérica:
Porta helicópteros japoneses.

Na fase inicial da II guerra mundial, o Japão era dono da mais poderosa força de porta-aviões do mundo e o poder do país, além da sua capacidade para desferir um claro golpe militar directamente contra território dos Estados Unidos baseou-se na capacidade militar dos seus porta-aviões.

A derrota japonesa relegou a marinha do Japão a uma força de defesa marítima, mas esse nome há muitas décadas que deixou de fazer qualquer sentido, já que desde a década de 1970 que a marinha do Japão é a segunda mais poderosa marinha de guerra do que se convencionou designar como ocidente (ainda que se trate de um país do extremo oriente).

Desde o ano 2000 que a marinha japonesa decidiu introduzir novos tipos de navios que são designados como «helicopter carrying destroyers» ou contra-torpedeiro porta-helicópteros. Este eufemismo é uma forma de disfarçar o que se trata na realidade de porta-helicópteros com todas as capacidades geralmente associadas a este tipo de navio.
A constituição japonesa não autoriza as forças armadas do país a operar armamento ofensivo e um porta-helicópteros seria considerado armamento ofensivo.

Os primeiros dois porta-helicópteros japoneses foram os dois Ise, com um deslocamento máximo de 18,000t que entraram ao serviço em 2009 e 2011. Em 2009 um novo lote de mais dois navio foi encomendado.

Os dois navios, cuja primeira unidade foi lançada à água em Agosto de 2013 são muito maiores que os anteriores e têm um deslocamento máximo de 27,000t o que os coloca ao nível de alguns dos maiores navios logísticos de países europeus como a Itália a França e a Espanha.


Na imagem artística acima as duas classes de navios.
Pode-se ver a diferença de tamanho entre os novos Izumo e os Hiuga lançados em 2009.
Na imagem são mostrados caças de descolagem vertical F-35B, no entanto a marinha japonesa afirmou durante o lançamento que os navios não estão preparados nem equipados para operar aeronaves de asa fixa.


   
---