Navios deste tipo:

Majestic
Couraçado «Pré Dreadnought»
Canopus
Couraçado «Pré Dreadnought»
King Edward VII
Couraçado «Pré Dreadnought»
Formidable (1898)
Couraçado «Pré Dreadnought»
Swiftsure (1903)
Couraçado «Pré Dreadnought»
Duncan
Couraçado «Pré Dreadnought»
Lord Nelson
Couraçado «Pré Dreadnought»

Listar navios do tipo
Couraçado «Pré Dreadnought»


Reino Unido
Couraçado «Pré Dreadnought» classe
King Edward VII
(tipo 1st class Battleships)
1st class Battleships

Dados principais Motores
Deslocamento standard: 15585 Ton
Deslocamento máx. : 17009 Ton.
Tipo de propulsão: Máquinas a vapor
Comprimento: 129.4 M - Largura: 23.77M
Calado: 7.72 M.
12 x Caldeiras (carvão) Babcock & Wilcox [1] (0)
4 x Máquinas a vapor Trip.Exp. (0)
Tripulação / Guarnição: 777 Autonomia: 13000Km a 12 nós - Nr. Eixos: 2 - Velocidade Máxima: 18.5 nós

Canhões / armamento principal
4 x Vickers Defence 305mm/40 Mk.9 Mod.1898 (UK) (Calibre: 305mm/Alcance: 24.2Km)


Forum de discussão

Embora baseados nos navios do tipo «Majestic», os couraçados desta classe constituiram uma resposta da Royal Navy às marinhas que estavam a desenvolver navios com baterias secundárias mais poderosas, nomeadamente os Estados Unidos, que tinham lançado uma classe de navios com uma bateria secundária de 203mm (8 polegadas).

Com este objectivo em mente, os engenheiros navais britânicos decidiram partir do desenho básico dos couraçados do tipo «Majestic» e passar a incluir uma bateria secundária de maior calibre.

Na prática, o que foi instalado foi uma bateria intermédia, com quatro torres, cada uma delas armada com uma peça de 234mm (9,2 polegadas). As torres foram colocadas nos bordos do navio, e aquele arranjo levou a um aumento de peso considerável que teve que ser compensado, com a redução da protecção nas extremidades do navio.

Entre os problemas encontrados durante a vida operacional dos navios, estava um que voltaria a ser repetido mais tarde e que residia no facto de o navio normalmente utilizar a sua bateria principal ou em alternativa as peças secundárias.
Quando ambos os canhões disparavam, isto levava a que fossem disparados simultaneamente os canhões de 152mm e os de 234mm.
Ora no inicio do século XX, o calculo de tiro dependia da observação visual e os observadores não conseguiam distinguir os disparos dos dois calibres, o que levava a que fosse dadas informações de tiro incorrectas.

Como plataformas, e como resultado de serem mais pesados nos bordos, os navios deste tipo eram geralmente vistoso como plataformas de tiro estáveis, mas em termos de facilidade de navegação a mesma coisa não acontecia.
Os navios foram considerados dificeis. Eles podiam manobrar com facilidade, mas mante-los numa formação em linha reta era algo complicado, por causa do tipo de leme utilizado. O peso, também levou a que em mar picado os navios «fizessem» muita água.

Este último problema, não ajudou quando em Janeiro de 1916 o primeiro navio da classe foi atingido por uma mina, tendo afundado algumas horas depois.

Um segundo navio do tipo foi perdido durante a guerra, quando se dirigia para Gibraltar escoltado por dois contra-torpedeiros. O HMS Britannia foi atingido pelo terceiro de três torpedos disparados contra ele pelo submarino alemão UB-50 em 9 de Novembro de 1918. O torpedo atingiu o paiol onde se encontrava a cordite, o que levou a uma explosão que condenou o navio.
Foi o último couraçado perdido em combate durante a I guerra mundial. O numero de vítimas mortais ficou limitado a 40, como resultado da explosão inicial já que o navio demorou três horas a afundar.


Imagem do afundamento do couraçado King Edward VII em 6 de Janeiro de 1916, após ter embatido numa mina alemã, às 10:47 desse dia.

Os navios do tipo foram enviados para serviço tanto no Atlântico como no Mediterrâneo.


[1] - Os navios receberam diferentes tipos e arranjo de numero de caldeiras. A configuração referida foi utilizada apenas por quatro dos oito navios da classe.
Informação genérica:
No final do século XIX, a Grã Bretanha afirmou-se de forma clara como a grande potência naval do mundo. Essa afirmação tinha ficado implícita após a vitória sobre os franceses na batalha de Trafalgar no inicio do século, e com a derrota de Napoleão a Royal Navy ascendeu a uma posição de supremacia naval clara.

No final do século, na década de 1890 o poder naval britânico era incontestado, mas começava-se a desenhar haver alguma contestação nomeadamente na Rússia e principalmente na Alemanha, após a unificação alemã.

Nessa altura, e após a construção dos primeiros navios couraçados, os britânicos desenvolveram um tipo de navio que se transformou num «standard» da construção naval para navios couraçados, que eram vistos como os reis dos mares.

Couraçados de Primeira Classe

Após o lançamento desta classe inicial de navios, os britânicos lançaram uma série de derivaçlões que são normalmente consideradas classes distintas, embora basicamente a configuração seja idêntica, com uma bateria principal de quatro peças de 305mm (12 polegadas) a que se somava uma bateria secundária de 12 peças de 152mm (6 polegadas).

Os arranjos do armamento secundário variaram, a blindagem lateral e a motorização sofreram alterações, mas a configuração permaneceu basicamente a mesma em várias das classes. Isto levou a que a maior parte dos navios sejam à primeira vista muito parecidos.

Classe Majestic
A primeira classe de navios deste tipo, cuja configuração serviu de base para vários navios britânicos e também japoneses.

Classe Canopus
Em grande parte idênticos aos navios do tipo Majestic, os Canopus

Classe Formidable
A primeira derivação dos navios Majestic, constituida por duas sub séries (London e Formidable)

Classe Duncan
Construida também como uma derivação da classe Majestic, os Duncan têm igualmente características que derivam dos Canopus.

Classe King Edward VII
A última classe de navios construida nos moldes dos Majestic, que foi construida em numeros significativos. Caracteriza-se pela utilização de uma bateria intermédia de peças de 233mm e um menor numero de peças de 152mm.

Classe Lord Nelson
Apenas dois navios desta classe foram construidos e trata-se claramente de uma classe de transição. Embora armada com a mesma bateria de quatro peças de 305mm, os dois Lord Nelso foram armados com dez peças de 233mm, tendo-se removido o armamento de 152mm.


Couraçados de primeira classe da Marinha Imperial do Japão
Além de navios para a marinha britânica, também foram construidos navios com características idênticas para a marinha do Japão, que tiveram oportunidade de entrar em combate contra os navios russos, durante a guerra russo-japonesa de 1904 - 1905.

Classe Swiftsure
Os dois navios da classe Swiftsure são idênticos aos navios couraçados de 1ª classe, mas receberam um armamento bastante inferior (256mm) dado terem sido concebidos a pedido da marinha chilena, tendo posteriormente sido comprados pela Royal Navy.


   
---