Listar navios do tipo
Cruzador protegido


Reino Unido
Cruzador protegido classe
Minotaur

Dados principais Motores
Deslocamento standard: 13000 Ton
Deslocamento máx. : 14600 Ton.
Tipo de propulsão: Máquinas a vapor
Comprimento: 158.19 M - Largura: 22.7M
Calado: 7.9 M.
24 x Caldeiras (carvão) Yarrow (0)
4 x Máquinas a vapor Trip.Exp (27000cv/hp)
Tripulação / Guarnição: 755 Autonomia: 0Km a 0 nós - Nr. Eixos: 2 - Velocidade Máxima: 23 nós

Canhões / armamento principal
4 x Royal Ordnance Factories 234mm L/50 Mk XI (UK) (Calibre: 234mm/Alcance: 11.9Km)


Forum de discussão

A importância dos três navios da classe Minotaur decorre de eles terem sido na prática os últimos e também os maiores cruzadores blindados da Royal Navy. As suas dimensões e deslocamento aproximam-nos dos couraçados, mas naturalmente a sua protecção não lhes permitia entrar em combate com esse tipo de navio.

Eles tiveram como base os navios da classe Warrior, mas segundo os seus criticos, a colocação de um armamento demasiado poderoso. Os navios dispunham de uma bateria de quatro peças de 234mm, e de uma bateria intermédia com dez peças de 190,5mm (contra apenas quatro na classe Warrior) a que se somavam uma bateria secundária de 16 peças de 12 libras (76mm).
Os Minotaur tinham de facto uma blindagem lateral máxima (cinturão) de 152mm, idêntica à dos anteriores cruzadores blindados, mas a blindagem era menos extensa, o que também reduziu a protecção dos navio em termos gerais.
Pior era a blindagem superior, pois não se esperava que estes navios fossem atingidos a grandes distâncias porque a sua velocidade os tornava alvos dificeis. Por isso a blindagem na coberta ficou-se pelos 12,7mm (meia polegada).

O aumento de peso para acomodar o armamento mais pesado e manter a velocidade foi compensado com um aumento de 19 para 24 caldeiras, o que elevou a potência dos navios para 27,000cv (por comparação os couraçados Dreadnought tinham uma potência de 23,000cv).

Quando apareceram os navios do tipo Dreadnought em 1905/1906, que atingiam uma velocidade aproximada, os Minotaur, bem como os restantes cruzadores protegidos ficavam em clara desvantagem, o que levou a que não fossem construidos mais navios deste tipo.

Em combate

O mais importante dos três navios foi o HMS Defence. O navio foi enviado para o Mediterrâneo. Ali, quando começou a I Guerra o navio participou na tentativa de destruir o cruzador de batalha alemão Goeben, que acabou escapando para a Turquia.
Pouco depois foi enviado para encontrar a esquadra do almirante alemão Graf Von Spee, que tinha partido da base alemã de Tsingtao com destino à Europa. Como não chegou a tempo de impedir a vitória alemã na batalha de Coronel recebeu ordens para seguir para a África do Sul. O navio foi posteriormente chamado para a esquadra metropolitana britânica na Europa.
O Defence foi o navio almirante que liderou o primeiro esquadrão de cruzadores, juntamente com os cruzadores Warrior, Duke of Edimburgh e BlackPrince.

Durante a batalha de Jutlandia, em 31 de Maio de 1916, o primeiro esquadrão de cruzadores ficou colocado entre os cruzadores de batalha britânicos e os couraçados alemães. O navio dirigia-se a alta velocidade para atacar um cruzador alemão danificado, quando ficou ao alcance de vários cruzadores de batalha alemães.
O navio foi atingido várias vezes, sendo atingido na área onde se encontrava o sistema de transporte de munições para os canhões de 190,5mm nos bordos dos navios. A explosão das munições selou o destino do navio. Seguiam a bordo 903 homens, não se tendo salvo nenhum.


Da mesma maneira que os pre Dreadnought foram substituidos pelos Dreadnought, também os cruzadores protegidos foram substituidos por um novo tipo de navio, que ficou conhecido como cruzador de batalha.

Os cruzadores blindados, eram navios mais rápidos que os couraçados pre Dreadnought mas muito menos protegidos. Eles deveriam actuar onde a velocidade mais reduzida dos couraçados maiores não lhes permitisse perseguir uma força inimiga.
Informação genérica:


   
---