Navios deste tipo:

Ohio
Submarino nuclear / misseis balísticos
Ohio / SSGN
Submarino nuclear / mísseis de cruzeiro

Listar navios do tipo
Submarino nuclear / misseis balísticos

Notícias relacionadas
NEW START ratificado pelo senado americano



Estados Unidos da América
Submarino nuclear / misseis balísticos classe
Ohio
(tipo Ohio)
Ohio

Dados principais Motores
Deslocamento standard: 16600 Ton
Deslocamento máx. : 18750 Ton.
Tipo de propulsão: Reactor nuclear
Comprimento: 170.7 M - Largura: 12.8M
Calado: 11.1 M.
1 x Reactor nuclear General Electric S8G (0)
2 x Turbina a vapor General Electric (60000cv/hp)
Tripulação / Guarnição: 155 Autonomia: 9999Km a 26 nós - Nr. Eixos: 1 - Velocidade Máxima: 29 nós

Misseis
Sistema de lançamento N/DTrident-II D5 «UGM-133A»24 x Lockeed Martin Trident-II D5 «UGM-133A» (Arma estratégica)


Forum de discussão

Os submarinos nucleares da classe Ohio, equipados com mísseis Trident-II são presentemente os navios de guerra com maior poder destrutivo existentes no mundo.
Um total de 24 unidades foi inicialmente projectado, mas o alto custo dos navios, levou a que o seu número fosse reduzido para 20 e posteriormente para 18.

Os Ohio foram uma resposta ao aumento de sofisticação dos submarinos soviéticos durante os anos 70 e à introdução de mísseis cada vez mais sofisticados naqueles navios.
Os Ohio deveriam servir de resposta ao lançamento pela União Soviética de submarinos de grandes dimensões como os Typhoon.

A dimensão dos submarinos desta classe é condicionada pela necessidade de acomodar um total de 24 silos para mísseis Trident. Isto elevou a dimensão dos navios para mais de 170 metros de comprimento, quase o mesmo comprimento dos submarinos Typhoon russos, ainda que estes últimos tenham uma boca (largura) que duplica a dos Ohio.
A «competição» mostrou ser marginalmente favoravel aos soviéticos, que podiam transportar 20 mísseis SS-N-20, cada um deles com uma carga total equivalente a 1000kt, enquanto que os Ohio podiam transportar 24 mísseis Trident-I, cada um deles com uma carga de aproximadamente 800kt.

Mas o programa Trident-II, veio alterar radicalmente a situação, pois o novo míssil tinha uma carga equivalente a 3600k, multiplicando por 4,5 o poder destruidor dos submarinos.

O fim da União Soviérita levou a que o numero de submarinos que foram entrando ao serviço fosse considerado mais que suficiente. Em 1999, as autoridades militares norte americanas anunciaram um programa de extensão de vida que devará prolongar a vida útili dos navios do tipo para 42 anos, mas no inicio do século XXI, a redução foi anunciada a redução do numero de navios de 18 para apenas 14, convertendo quatro dos navios da classe.
Assim, 22 dos 24 tubos destinados aos mísseis balísticos foram convertidos de forma a que cada um deles pudesse acomodar sete mísseis de cruzeiro Tomahawk.

Em teoria, cada um dos 24 mísseis Trident-II pode transportar 12 ogivas, o que se traduz num total de 288 ogivas [1].

Os navios deverão continuar ao serviço durante pelo menos mais 15 anos. Espera-se que a classe de navios seja substituida por uma outra ainda em estudo. Apenas 12 navios deverão ser construidos.


[1] - A título de comparação os gigantescos submarinos russos da classe Typhoon, podiam transportar um máximo de 200 ogivas nucleares de 200kt cada uma, enquanto os Ohio podiam transportar 192 ogivas de 475kt (mais 128%).
Estes limites são académicos, pois os tratados de não proliferação limitaram o numero de ogivas por míssil a 8 e os tratados de 2002 entre os Estados Unidos e a Federação Russa limitaram esse numero a apenas 4.
Informação genérica:
Oprojecto de navios da classe Ohio correspondeu à necessidade de um submarino que pudesse transportar os mísseis Trident desenvolvidos pelos Estados Unidos.

O primeiro navio da classe foi lançado em 7 de Abril de 1979 e dos iniciais 24 navios, o número foi sendo reduzido até ficar em 18 unidades.

O Ohio era o submarino nuclear mais silencioso em serviço durante os anos 80 e também o maior, ainda que rapidamente o título fosse tomado pelo gigantesco Typhoon da marinha soviética.

Os primeiros oito navios da classe foram inicialmente equipados com o míssil Trident-I (Trident C-4). A partir do nono o míssil instalado passou a ser o muito mais poderoso Trident-II (Trident D-5).

Por esta razão, em algumas publicações fala-se de classe Ohio para referir os primeiros oito navios e de classe Pennsylvania para referir os restantes dez navios.

Dos oito iniciais, os primeiros quatro foram efectivamente objecto de uma grande modificação, deixando de transportar mísseis balísticos, que foram substituidos por mísseis de cruzeiro não nucleares, que são designados por classe Ohio/SSGN..


   
---