Navios deste tipo:

Delta-I
Submarino nuclear / misseis balísticos
Delta-II
Submarino nuclear / misseis balísticos
Delta-III
Submarino nuclear / misseis balísticos
Delta-IV
Submarino nuclear / misseis balísticos
Kalmar / Delta-III
Submarino nuclear / misseis balísticos
Delfin / Delta IV
Submarino nuclear / misseis balísticos

Listar navios do tipo
Submarino nuclear / misseis balísticos


União Soviética
Submarino nuclear / misseis balísticos classe
Delta-III
(tipo Delta)
Delta

Dados principais Motores
Deslocamento standard: 8940 Ton
Deslocamento máx. : 11450 Ton.
Tipo de propulsão: Reactor nuclear
Comprimento: 155.1 M - Largura: 12M
Calado: 10.2 M.
Profundidade: 300 M
Numero de tubos: 6
2 x Reactor nuclear 160MW (0)
2 x Turbina a vapor - (37400cv/hp)
Tripulação / Guarnição: 132 Autonomia: 9999Km a 0 nós - Nr. Eixos: 2 - Velocidade Máxima: 25 nós

Misseis
Sistema de lançamento N/DSS-N-18 «Stingray» / RM50 «Volna» Mod.316 x Soviet State Factories SS-N-18 «Stingray» / RM50 «Volna» Mod.3 (Arma estratégica)


Forum de discussão

Designados como Projecto-667 (Kalmar) os Delta-III são aparentemente idênticos aos Delta-II.

Eles são na prática uma continuação da classe Delta-II, pois exteriormente eles têm as mesmas dimensões e transportam o mesmo numero de mísseis.

O desenvolvimento e costrução dos Delta-II foi cancelado quando o novo míssil SS-18 ficou disponível.

O aparecimento deste novo míssil levou ao desenvolvimento de um submarino praticamente igual, mas com capacidade para transportar os novos sistemas.

Oficialmente todos os Delta-III foram transferidos para a marinha da Rússia, ainda que apenas oito unidades tenham estado efectivamente ao serviço.


Informação genérica:
Os «Delta» são o resultado da corrida aos armamentos entre a União Soviética e os Estados Unidos, que aumentou especialmente com o desenvolvimento de novos sistemas submarinos soviéticos durante os anos 60.

Os Delta podem ser vistos como versões melhoradas e aumentadas dos submarinos da classe Yankee, ma scom capacidade para transportar os muito mais poderosos mísseis SS-N-8.
A enorme dimensão desses mísseis balísticos colocou um problema complexo aos projectistas soviéticos.

A solução encontrada foi muito pouco elegante, mas funcional. Os soviéticos utilizaram como base os cascos dos Yankee, cortado imediatamente a seguir à vela, incorporando uma secção bastante destinada a incorporar os tubos de lançamento de mísseis. A solução, que nos Yankee não era tão evidente, por estes transportarem mísseis de menores dimensões, resultou na distintiva corcunda que caracteriza este tipo de submarinos.

Notar que os navios desta classe foram transferidos da marinha da União Soviética para a marinha russa. Embora se trate dos mesmos navios, considera-se que o país a que pertencem é diferente, pelo que existem classes duplicadas.
Designamos as classes após transferidas para a marinha russa pelo nome do projecto, dado na marinha russa grande parte dos navios terem passado a receber nomes em substituição dos numeros.


   
---