Navios deste tipo:

P400
Patrulha costeiro
Ba Oumar
Patrulha costeiro
Al Bushra
Patrulha costeiro
Macaé
Patrulha costeiro

Listar navios do tipo
Patrulha costeiro


França
Patrulha costeiro classe
P400
(tipo P400)
P400

Dados principais Motores
Deslocamento standard: 406 Ton
Deslocamento máx. : 454 Ton.
Tipo de propulsão: Motor a Diesel
Comprimento: 54.5 M - Largura: 8M
Calado: 2.5 M.
2 x Motor a Diesel SEMT-Pielstick 16PA4 V200 (8000)
Tripulação / Guarnição: 24 Autonomia: 7500Km a 15 nós - Nr. Eixos: 2 - Velocidade Máxima: 24.5 nós

Canhões / armamento principal
1 x Bofors / BAE Systems 40mm /L70 Mod.1958 (1 x) (Calibre: 40mm/Alcance: 12Km)

Radares
- RACAL-DECCA TM-1226 (Navegação - Al.med: 27Km)


Forum de discussão

Classe de patrulhas franceses que foram concomendados no inicio dos anos 80, para substituir uma classe de navios mais pequenos que foram transferidos para operações policiais.-
Os primeiros seis navios apresentaram problemas com os motores que foram sendo resolvidos, ainda que várias fontes apontem para a não resolução de todos os problemas encontrados.

Os navios demostraram ser uma forma mais baratas de resolver o problema da necessidade de patrulhamento das águas das colonias francesas do Pacífico, do Índico e da Guiana Francesa. Todos os navios foram submetidos a modernizações após ao ano 2002.

Os navios são mais baratos de operar que os navios da classe Floreal pois possuem uma tripulação de apenas 24 militares, mas embora não possam substituir os «Floreal» eles constituem um eficaz complemento. Em caso de necessidade, existe provisão e espaço para aumentar a guarnição e equipar os navios com sistemas de lançamento de mísseis em substituição dos canhões de 20mm e podem ser instalados mísseis anti-navio Exocet.

Os navios foram construidos para estar até 15 dias no mar e têm instalação para até 45 pessoas.


Informação genérica:
Lançado no inicio dos anos 80 o tipo P400 constitui uma classe de patrulhas de dimensões médias que na França se destinaram a substituir a classe «Patra», navios que por sua vez foram transferidos para a Gendarmerie francesa.

Os navios são desginados pelo fabricante como «classe Vigilante» e são embarcações construidas com casco de aço com uma estrutura que originalmente se destinava a servir como lancha rápida com capacidade para lançar mísseis.
Essa capacidade, ainda que não presente pode ser implementada.

A primeira série construida para a França, inicialmente tinha duas chaminés laterais para exaustão de gases junto à linha de água. Isto deveria tornar os navios mais dificeis de detectar por dispositivos detectores de calor. No entanto os orificios para a saída dos gases acabaram por permitir a entrada de água. A solução foi a substituição dos orificios por duas chaminés.

Os modelos construidos posteriormente para marinhas de outros países, já não incluiram a estrutura preparada para as duas saídas laterais dos gases de escape e por isso concentraram essa saída numa posiçao central, com uma chaminé convencional.

Os navios foram colocados ao serviço da marinha da França e o projecto serviu de base para outros navios de dimensões idênticas e com funções similares.

Foram concebidas várias derivações, a saber:

BR-42 : 250t
CL-52 : 400t
CL-54 : 440t
CL-65 : 800t
CL-79 : 1400t

Os navios do tipo P400 acabaram sendo muito mais robustos que o que estava inicialmente previsto e por isso puderam ser utilizados para operações em regiões remotas.

Navios do tipo foram adquiridos pelo Gabão e pelo sultanato de Omã.

O Brasil começou a construir uma classe derivada do modelo CL54, com um deslocamento ligeiramente superior e destinada à patrulha costeira das águas brasileiras.


   
---