Navios deste tipo:

P400
Patrulha costeiro
Ba Oumar
Patrulha costeiro
Al Bushra
Patrulha costeiro
Macaé
Patrulha costeiro

Listar navios do tipo
Patrulha costeiro


Oman
Patrulha costeiro classe
Al Bushra
(tipo P400)
P400

Dados principais Motores
Deslocamento standard: 420 Ton
Deslocamento máx. : 475 Ton.
Tipo de propulsão: Motor a Diesel
Comprimento: 54.5 M - Largura: 8M
Calado: 2.7 M.
2 x Motor a Diesel MTU 16V 538 TB93 (8000cv/hp)
Tripulação / Guarnição: 43 Autonomia: 4300Km a 15 nós - Nr. Eixos: 2 - Velocidade Máxima: 23 nós

Canhões / armamento principal
1 x FMC-United Defense / BAE Systems 76mm Mk.75 (Calibre: 76mm/Alcance: 18.4Km)

Radares
- Kelvin Hughes KH-1007 (F) (Navegação - Al.med: 37Km)


Forum de discussão

Baseados na classe francesa P400 os patrulhas da classe Al Busra da marinha do Sultanato de Omã são os melhor armados de todos os navios do tipo que já entraram ao serviço.

Inicialmente os navios foram equipados com canhões Bofors de 40mm mas posteriormente foram modificados. Eles também diferem dos seus congéneres franceses na motorização, que nestes patrulhas é constituida por motores MTU alemães, que têm menor autonomia.

Os navios foram modificados localmente a partir de 1998, altura em que receberam como armamento principal uma peça de 76mm Oto-Melara. Tratava-se de armamento que tinham ficado disponível na marinha omaní depois da retirada de serviço dos patrulhas da classe Al Wafi. Os canhões de 20mm GAM-B01 também não foram instalados nos estaleiros franceses, tendo sido colocados posteriormente.

Também esteve prevista a possibilidade de instalação de um sonar e lançadores de torpedos, mas esses armamentos nunca chegaram a ser colocados.

Por estarem melhor armados que os seus congeneres franceses, estes navios têm uma tripulação superior.


Informação genérica:
Lançado no inicio dos anos 80 o tipo P400 constitui uma classe de patrulhas de dimensões médias que na França se destinaram a substituir a classe «Patra», navios que por sua vez foram transferidos para a Gendarmerie francesa.

Os navios são desginados pelo fabricante como «classe Vigilante» e são embarcações construidas com casco de aço com uma estrutura que originalmente se destinava a servir como lancha rápida com capacidade para lançar mísseis.
Essa capacidade, ainda que não presente pode ser implementada.

A primeira série construida para a França, inicialmente tinha duas chaminés laterais para exaustão de gases junto à linha de água. Isto deveria tornar os navios mais dificeis de detectar por dispositivos detectores de calor. No entanto os orificios para a saída dos gases acabaram por permitir a entrada de água. A solução foi a substituição dos orificios por duas chaminés.

Os modelos construidos posteriormente para marinhas de outros países, já não incluiram a estrutura preparada para as duas saídas laterais dos gases de escape e por isso concentraram essa saída numa posiçao central, com uma chaminé convencional.

Os navios foram colocados ao serviço da marinha da França e o projecto serviu de base para outros navios de dimensões idênticas e com funções similares.

Foram concebidas várias derivações, a saber:

BR-42 : 250t
CL-52 : 400t
CL-54 : 440t
CL-65 : 800t
CL-79 : 1400t

Os navios do tipo P400 acabaram sendo muito mais robustos que o que estava inicialmente previsto e por isso puderam ser utilizados para operações em regiões remotas.

Navios do tipo foram adquiridos pelo Gabão e pelo sultanato de Omã.

O Brasil começou a construir uma classe derivada do modelo CL54, com um deslocamento ligeiramente superior e destinada à patrulha costeira das águas brasileiras.


   
---