Navios deste tipo:

Gorch Fock (1933)
Navio escola
Eagle
Navio escola
Guanabara
Navio escola
Gorch Fock II
Navio escola
Sagres III
Navio escola

Listar navios do tipo
Navio escola


Portugal
Navio escola classe
Sagres III
(tipo Gorch Fock)
Gorch Fock

Dados principais Motores
Deslocamento standard: 1725 Ton
Deslocamento máx. : 1940 Ton.
Tipo de propulsão: Aparelho vélico
Comprimento: 90 M - Largura: 12M
Calado: 5.2 M.
2 x Motor a Diesel MTU 12V 183 TE92 (750cv/hp)
Tripulação / Guarnição: 162 Autonomia: 10000Km a 7 nós - Nr. Eixos: 1 - Velocidade Máxima: 10.5 nós


Forum de discussão

O navio foi lançado como Albert Leo Schlageter, transferido para os Estados Unidos, que rapidamente o transferiram para o Brasil como Guanabara.
O Sagres III foi incorporado na marinha portuguesa em 1962 após ter sido comprado à marinha brasileira. Ele substituiu o anterior Sagres II, que estava ao serviço como navio escola desde 1924[1].

Sendo um navio com o casco em aço, o novo Sagres era bastante mais resistente que o navio anterior com o m,esmo nome. Ele foi construido tendo em vista a estabilidade, O seu casco em aço e a sua pesada quilha, permitem alegadamente que o navio não se possa virar, ainda que atinja uma inclinação de 90 graus.

O navio está aparelhado com até 24 velas (10 quadradas e 14 latinas) e pode atingir uma velocidade de até 17 nós em boas condições de vento.
Entre 1987 e 1982 a Sagres foi submetida a várias modernizações, que passaram pela substituição dos seus motores MAN por dois MTU. As acomodações internas também foram melhoradas, foi incluido ar condicionado e uma grua hidraulica. O equipamento de navegação também foi modernizado, com a incorporação de dois radares de navegação. Um Raccal-Decca e um Kelvin-Hughes KH-1500.

Os motores do navio podem permitir-lhe deslocar-se por até 10,000km a uma velocidade reduzida, embora com vento o navio possa atingir velocidades superiores.

Funções
O navio-escola Sagres, como outros navios do tipo, tem duas funções: A formação e a representação do país exteriormente. Ele é facilmente distinguivel entre todos os navios do tipo, pela utilização de velas marcadas com a cruz da ordem militar de Cristo, a mesma que era comum nos navios portugueses da época dos descobrimentos.


Ao serviço da Alemanha
A II guerra, teve inicio no próprio ano em que o navio ficou pronto e ele não teve utilização como navio-escola, mas sim como navio de treino no porto ou como depósito. A função dos navios foi radicalmente alterada e especialmente importante quando na fase final da guerra se tornou imperativo utilizar todo o navio que flutuasse, para evacuar tropas do III Reich que se encontravam isoladas nas costas do mar Báltico, após o grande avanço soviético de 1944. O navio foi assim utilizado para transporte de refugiados e evacuação militar.
Não havendo confirmação factual, há afirmações transmitidas à guarnição do navio enquanto ele esteve ao serviço no Brasil que relatam que o armamento anti-aéreo instalado a bordo terá sido responsável por abater três aviões russos, transformando o actual navio-escola Sagres, no único veleiro do mundo a ter abatido aeronaves em situação de guerra.
Durante essas operações de evacuação o navio embateu numa mina soviética a 14 de Novembro de 1944, sendo rebocado para Swinemunde e posteriormente para um estaleiro próximo de Bremerhaven, onde se encontrava quando os aliados chegaram.

[1] - A título de curiosidade, o anterior Sagres-II foi posteriormente vendido para a Alemanha onde se encontra ainda hoje como navio museu na cidade de Hamburgo (ver Sagres-II).


Informação genérica:
A classe Gorch Fock, foi uma classe de quatro navios veleiros em qua a primeira unidade foi lançada em 1933 e a última no final dos anos 30. Os quatro navios foram todos lançados antes do inicio da II guerra mundial, pelo III reich alemão, mas a quarta unidade não seria completada.
Os navios foram apreendidos após o final da guerra. Dois deles foram para os Estados Unidos e o terceiro para a União Soviética.
Eles foram construidos para instrução, com a configuração de barca de 3 mastros.

Gorch Fock - Transferido para a União Soviética e passou a chamar-se «Tovarich».
Horst Vessel - Foi entregue à Guarda Costeira norte americana onde recebeu o nome «Eagle»
Albert Leo Schlageter - foi transferido pelos americanos para o Brasil, onde recebeu o nome de «Guanabara» em 1948, ficando ao serviço durante os anos 50. O navio foi posteriormente transferido para a marinha portuguesa, onde foi rebaptizado «Sagres».

Mircea - Construido para a marinha da Romenia, é o único verdadeiro «gémeo» do Gorch Fock original.

Na realidade, o Gorch Fock e o Mircea, são cerca de sete metros (casco) mais curtos que o Horst Wessel «USCG Eagle» e que o Albert Leo Schageter «NRP Sagres III».

Gorch Fock II - Depois da II Guerra Mundial, a marinha da República Federal Alemã não possuia navio escola e optou por construir um navio, utilizando basicamente o mesmo desenho, pelo. O navio voltou a ser designado Gorch Fock embora seja derivado da versão longa e não da versão curta original.

Um estaleiro espanhol, produziu cópias destes navios para algumas marinhas sul americanas.


   
---