Navios deste tipo:

Fletcher
Contra torpedeiro
Lepanto (1957)
Contra torpedeiro
Pará (1959)
Contra torpedeiro
Brown (1961)
Contra torpedeiro

Listar navios do tipo
Contra torpedeiro


Espanha
Contra torpedeiro classe
Lepanto (1957)
(tipo Fletcher)
Fletcher

Dados principais Motores
Deslocamento standard: 2050 Ton
Deslocamento máx. : 2500 Ton.
Tipo de propulsão: Turbina a vapor
Comprimento: 114.8 M - Largura: 12M
Calado: 3.8 M.
4 x Caldeiras (oleo) Babcock & Wilcox (0)
2 x Turbina a vapor General Electric (60000cv/hp)
Tripulação / Guarnição: 290 Autonomia: 8600Km a 15 nós - Nr. Eixos: 2 - Velocidade Máxima: 36 nós


Forum de discussão

Desde 1945 e até 1953, a Espanha esteve praticamente isolada do resto do mundo, com os países do bloco comunista a reconhecerem o governo da República Espanhola e com os governos ocidentais a hostilizarem o regime de Francisco Franco.
Aquele regime espanhol era visto como basicamente um sistema nazista com outro nome, cujas estruturas eram em grande medida uma cópia daquelas que tinham sustentado o regime de Adolf Hitler. No entanto as necessidades da guerra fria, e o confronto entre blocos levaram a que o presidente norte-americano Eisenhower, que chegou ao poder em 20 de Janeiro de 1953 fizesse «vista grossa» aos desmandos e crimes do regime de Franco, com o objectivo de obter facilidades em território da Espanha.

É por isso a partir de 1953, que o isolamento internacional da Espanha franquista vai terminar e do ponto de vista militar isso torna-se perfeitamente evidente.

O fornecimento pelos Estados Unidos das cinco unidades da classe Valdez, contra-torpedeiros utilizados pelos norte-americanos durante a II guerra mundial demonstram e marcam o inicio da cooperação com a marinha espanhola, que se prolongará por décadas.

Os cinco navios da classe Almirante Valdez, são navios da classe Fletcher, cedidos à marinha da Espanha e têm características idênticas, ainda que ao longo do seu periodo de vida operacional tenham sido submetidos a várias modificações.

Apenas um dos navios, o Alm.Ferrandiz (D22) manteve as cinco torres cada uma delas armada com uma peça de 127mm (5 polegadas). Os restantes navios viram a torre central ser removida e substituida por um sistema de tubos para o lançamento de torpedos.

Os navios, que foram fornecidos à Espanha a título de empréstimo, acabaram por ser comprados em 1971, tendo estado ao serviço até ao final dos anos 80. A sua saída de serviço coincidiu com a entrada ao serviço das fragatas espanholas da classe Perry.


Informação genérica:
A mais numerosa classe de navios construida durante a II guerra mundial [1], a classe Fletcher continuou ao serviço na marinha dos Estados Unidos em alguns casos até ao final dos anos 60. Depois de ter servido na marinha norte-americana, uma parte da frota foi cedida a marinhas de países aliados.

Embora em termos numéricos a classe seja muito significativa ela não foi escolhida para grande numero de modernizações. A razão que explica isto reside no facto de haver muitos navios de outras classes um pouco mais modernas (igualmente lançadas durante a II Guerra Mundial), como as classes Allen Sumner e Gearing que eram mais adequadas a modernizações.

Isto levou a que muitas unidades fossem disponibilizadas para venda e cedência gratuita a marinhas estrangeiras e muitos navios continuaram no serviço activo durante cerca de quarenta anos.

Classe Pará
Navios cedidos ou vendidos à marinha do Brasil.


[1] - A classe Gearing teve 105 unidades encomendadas mas 11 foram canceladas por causa do fim da guerra. Algumas publicações consideram conjuntamente as classes Gearing e Allen M.Sumner. Neste caso se estas duas classes forem consideradas como uma só, teriam sido construidas 159 unidades, o que ultrapassa as 98 unidades da classe Fletcher.


   
---