Listar navios do tipo
Cruzador de batalha


Império Alemão
Cruzador de batalha classe
Derfflinger

Dados principais Motores
Deslocamento standard: 26180 Ton
Deslocamento máx. : 30700 Ton.
Tipo de propulsão: Turbina a vapor
Comprimento: 210.4 M - Largura: 29M
Calado: 9.5 M.
18 x Caldeiras (carvão) Schulz-Thornycroft (0)
4 x Turbina a vapor Parsons (63000cv/hp)
Tripulação / Guarnição: 1112 Autonomia: 10000Km a 14 nós - Nr. Eixos: 4 - Velocidade Máxima: 26.5 nós

Canhões / armamento principal
8 x Krupp 305mm SK L/50 (g) M.1910 (Calibre: 305mm/Alcance: 20.4Km)
12 x Krupp 150mm SK L/45 C13 m.1908 (Calibre: 150mm/Alcance: 18Km)


Forum de discussão

Esta classe de navios destinava-se a melhorar as características dos cruzadores de batalha da classe Seydlitz. A construção deste último tinha sido resultado de um logro por parte dos britânicos. Os Derfflinger começaram a ser desenhados em Outubro de 1910. Considerou-se desde logo que os navios tinham que estar armados com canhões de 305mm (12 polegadas) e não de 280mm (11 polegadas), por causa da blindagem dos novos couraçados britânicos.
Os alemães, também consideravam que os cruzadores de batalha deveriam poder entrar em combate com os seus parentes mais pesados.

Em vez de dez canhões de 280mm, foram por isso instalados oito canhões de 305mm. A pressão para reduzir o tempo de construção dos navios alemães também influenciou as soluções de blindagem aplicadas. Essa pressão foi por sua vez resultado da campanha da imprensa britânica que pedia mais oito couraçados, que deveriam servir para garantir a vantagem da Royal Navy, perante as supostas novas construções alemãs.

Os Derfflinger são quase unanimemente considerados os melhores cruzadores de batalha construídos até ao final da I guerra mundial.
Naturalmente que, embora se tratasse de navios bem construidos eles não tinham a blindagem característica dos couraçados e dependiam em muito da potência dos seus motores e da velocidade que podiam atingir.

Armados com oito canhões de 305mm eles estavam tão bem armados quanto a maioria dos couraçados, mas podiam atingir uma velocidade de 26,5 nós.
Já o seu cinturão principal contra torpedos era de apenas 12 polegadas (305mm)

O Derfflinger esteve presente na batalha de Dogger Bank, altura em que foi atingido por projecteis de 343mm (13,5 polegadas) sem grandes problemas.
O navio também esteve presente na famosa batalha de Jutlandia em 31 de Maio e 1 de Junho de 1916, onde entrou em combate com os cruzadores de batalha britânicos.
Nessa batalha o Derfflinger, juntamente com o Seydlitz afundou o cruzador de batalha britânico Queen Mary, tendo disparado onze salvas contra o navio inimigo.
Porém os navios britânicos conseguiram atingir pesadamente o Derfflinger com dez disparos de 380mm, um de 343mm e mais dez disparos de 305mm.
As torres à ré foram atingidas por disparos de 380mm do couraçado Revenge.
O navio voltou ao porto de Wilhemshaven gravemente atingido e com 3,000 toneladas de água dentro. Ele sofreu um total de 157 mortos e 26 feridos, o maior numero de baixas num navio não afundado. Foi depois transferido para Kiel e reparado até Novembro de 1917.
Depois do armistício o Derfflinger foi enviado para Scapa Flow em 1919. Em 21 de Junho desse ano foi afundado pela própria tripulação.

A sorte do Derfflinger não acompanhou o seu irmão gémeo o Lutzow. O navio também esteve na mesma batalha de Jutlandia, mas enfrentou a boa pontaria dos couraçados britânicos, que o atingiram com quatro projecteis de 380mm, doze de 343mm e oito de 305mm disparados pelo cruzador de batalha HMS Invincible que também acabaria afundado na troca de tiros. O golpe final foi desferido por torpedos e o Lutzow afundou em apenas dois minutos.


Hindenburg
Há publicações que separam o terceiro couraçado da classe Derfflinger considerando-o como uma classe à parte.
A configuração geral do Hindenburg era idêntica à dos Derfflinger, embora com diferenças mínimas.
O comprimento do Hindenburg era de 212,8m. A potência passou de 63,000 para 72,000cv o que permitiu aumentar a velocidade máxima para 27,5 nós.
O armamento, a sua configuração e disposição são quase idênticos, embora a bateria secundária do Hindenburg tivesse sido reforçada com mais dois canhões de 150mm, atingindo um total de 14.

Tendo entrado ao serviço em 1917, o Hindenburg não participou na batalha de Jutlândia e após essa batalha a marinha alemã não se envolveu em grandes combates navais.
Foi enviado para Scapa Flow com a esquadra alemã e foi afundado pela tripulação em 21 de Junho de 1919.

Foi retirado da água em 1930 e antes de ser desmantelado ainda foi examinado por uma comissão de peritos britânicos, interessados nas técnicas de construção utilizadas pelos alemães.

Cruzadores de batalha cancelados

Os três navios da classe Derfflinger deveriam ser complementados com outras duas classes de cruzadores de batalha, que nunca chegaram a entrar ao serviço.

A classe Mackensen seria constituida por quatro navios com um deslocamento de 36,000t armados com oito canhões de 350mm (um calibre único destes navios), uma potência de 90,000cv que levaria os navios a atingir 28nós. Três deles chegaram a ser lançados à água mas nunca foram completados. O quarto foi cancelado ainda durante a fase inicial da construção.

A classe Hersatz Yorck seria constituida por três navios com um deslocamento de 38,000t armados com oito canhões de 380mm e 12 canhões de 150mm. Teriam o mesmo sistema motriz dos Mackensen e atingiriam uma velocidade de 27,25 nós.
O primeiro navio começou a ser construido em 1916 mas a sua construção foi cancelada. Os restantes dois navios não chegaram a ter a sua construção iniciada.


Informação genérica:


   
---