Navios deste tipo:

Independence
Porta aviões ligeiro
Saipan
Porta aviões ligeiro
Lafayette 1951
Porta aviões ligeiro
Dedalo
Porta aviões ligeiro

Listar navios do tipo
Porta aviões ligeiro


França
Porta aviões ligeiro classe
Lafayette 1951
(tipo Independence /Saipan)
Independence /Saipan

Dados principais Motores
Deslocamento standard: 11000 Ton
Deslocamento máx. : 15800 Ton.
Tipo de propulsão: Turbina a vapor
Comprimento: 189.7 M - Largura: 31.7M
Calado: 7.2 M.
4 x Caldeiras (oleo) Babcock & Wilcox (0)
4 x Turbinas acopladas General Electric (100000cv/hp)
Tripulação / Guarnição: 1400 Autonomia: 20000Km a 15 nós - Nr. Eixos: 4 - Velocidade Máxima: 31 nós

Aeronaves embarcadas
- 0 x Grumman F6F-3 «Hellcat»


Forum de discussão

Quando terminou a II guerra mundial a marinha francesa estava reduzida a um número relativamente pequeno de embarcações e muitas delas a precisar de modernização.
Como era impossível à França responder a todas as necessidades pelos seus próprios meios e também por causa da guerra na Indochina [1] a opção que restou foi encontrar meios de projectar força utilizando os excedentes dos países aliados.

A França adquiriu porta-aviões de escolta aos Estados Unidos, um porta-aviões ligeiro à Grã Bretanha e dois porta-aviões ligeiros aos Estados Unidos.

Ainda que inadequados e limitados à utiilzação de caças a hélice, numa altura em que as aeronaves a jato já se haviam imposto os porta-aviões ligeiros continuavam a ter utilidada na indochina, onde não havia qualquer oposição naval e onde não havia uma força aérea com capacidade para atacar as aeronaves francesas.

Inicialmente, os navios adquiridos por empréstimo aos Estados Unidos foram equipados com caças Avenger


Abaixo, caças F4U «Corsair» a bordo de um porta-aviões francês nas costas da Indochina em meados da década de 1950. Por esta altura o Corsair era uma aeronave obsoleta, mas na Indochina não havia aeronaves de combate modernas para combater os franceses.


Os F-4U foram utilizados para apoiar as forças francesas no terreno, nomeadamente na malograda batalha de Dien Bien Phu, que marcou o fim da presença francesa na Indochina.


[1] - A guerra na Indochina começou em 1950 e terminou em 1954, após a batalha de Dien Ben Phu.
Informação genérica:
A urgência norte-americana em evitar ficar sem novos porta-aviões quando a guerra se aproximava levou o governo dos Estados Unidos a pressionar a marinha para que desenvolvesse uma classe de porta-aviões ligeiros aproveitando o casco de cruzadores.

A marinha não acho boa ideia mas o inicio da guerra no pacífico e a falta de outras opções favoreceu o programa.

Os resultados não foram dos melhores.
Em primeiro lugar o programa de construção de porta-aviões de esquadra foi muito acelerado, pelo que o ritmo de construção destes acabou sendo superior.
Em segundo lugar, os receios da marinha relativamente às prestações de navios originalmente construidos para serem cruzadores ligeiros foram confirmados.

Na imagem acima o USS Cowpens CVL-25 em alto mar, demonstrando o problema de instabilidade dos navios da classe Independence.


Os navios eram demasiado pequenos e acanhados e comportavam-se mal em mar aberto com condições meteorologicas difíceis.

A classe Saipan pelo contrário, difere da classe Independence porque ao invés de serem construidos com base em projetos de cruzadores, eles utilizaram apenas o casco alongado mas foram completamente redesenhados e construidos propositadamente para a função.

Três navios da classe Independence foram colocados ao serviço das marinhas da França (Lafayette e Bois Belleau) e da Espanha (Dedalo).




Os dois navios da classe Saipan só entraram ao serviço depois do fim do conflito, mas eram de melhor qualidade, mais equilibrados e adequados para as funções que lhe tinham sido destinadas.
Mantiveram-se ao serviço até 1970.



Na foto seguinte, imagem do desmanche do porta-aviões Dedalo, o último navio do tipo.
Notar que se pode identificar o deck original de cruzador e a dimensão do hangar e da altura da pista.


   
---