Navios deste tipo:

San Giorgio
LPD - Plataforma aterragem/Doca
Kalaat Beni-Abbes
LPD - Plataforma aterragem/Doca

Listar navios do tipo
LPD - Plataforma aterragem/Doca


Argelia
LPD - Plataforma aterragem/Doca classe
Kalaat Beni-Abbes
(tipo San Giorgio)
San Giorgio

Dados principais Motores
Deslocamento standard: 6500 Ton
Deslocamento máx. : 8800 Ton.
Tipo de propulsão: Motor a Diesel
Comprimento: 142.9 M - Largura: 21.5M
Calado: 0 M.
2 x Motor a Diesel Wartsila 12V32 (16100cv/hp)
Tripulação / Guarnição: 150 Autonomia: 11265Km a 0 nós - Nr. Eixos: 2 - Velocidade Máxima: 20 nós

Canhões / armamento principal
1 x FMC-United Defense / BAE Systems 76mm Mk.75 (Calibre: 76mm/Alcance: 18.4Km)

Misseis
Sistema de lançamento SYLVER VLSAster-1516 x MBDA Aster-15 (Defesa antiaérea próxima)

Radares
- ALENIA-Marconi EMPAR / SPY-790 (Tipo «Phased array» - Al.med: 88Km)

Aeronaves embarcadas
- 3 x Agusta-Westland EH-101 Merlin


Forum de discussão

O navio de desembarque Kalaat Beni-Abbes, inicialmente designado «El Djazayer», é o primeiro navio deste tipo adquirido por uma marinha de um país árabe.
Trata-se de uma versão revista e mais sofisticada dos três navios da classe San Giorgio construidos para a marinha da Itália.

A encomenda foi colocada em 2012 e o custo do navio é estimado em 400 milhões de Euros.

O El Dajazayer estará equipado com sistemas electrónicos, sensores e armamentos que o distinguém claramente dos anteriores navios ao serviço da marinha italiana.

As diferenças começam pela instalação do sofisticado radar EMPAR, que também equipa as fragatas de defesa aérea italianas. Além dos radares, estará disponível um sistema de lançamento vertical de mísseis de defesa aérea Sylver-A50, que será equipado com mísseis ASTER-15, podendo no entanto acomodar o ASTER-30 de maior alcance.

O sistema de comunicações será fornecido pela Itália, que também fornecerá os sistemas de guerra electrónica instalados.

O navio argelino terá capacidade para transportar três lanchas de desembarque transportadas lateralmente, a que se somam mais três do tipo LCM e uma LCP (de maiores dimensões). Estes últimos dois tipos são transportados no interior do navio.




O Beni-Abes tem sido referido pela imprensa argelina como Porta-helicópteros, embora na realidade não se trate de um navio com essa capacidade, ainda que ele possa transportar 3 helicópteros EH-101 ou 5 helicopteros ligeiros.

Embora esteja equipado com sistemas de sensores sofisticados o El Djazayer parece estar principalmente vocacionado para operações de salvamento. A Argélia é um país onde já ocorreram catástrofes como terremotos na zona costeira e neste caso o sistema de estradas junto à costa (onde se encontra a maioria da população) pode entrar em colapso.
A posse de um meio deste tipo, que permite por exemplo disponibilizar um hospital com 40 camas para operações de emergência permite uma grande flexibilidade de utilização.

Em termos militares, para operações de transporte, o navio requer necessáriamente o apoio de outros navios para a sua defesa próxima, ainda que esteja equipado com meios para se defender.

O único potêncial inimigo da Argélia é Marrocos e em caso de conflito aberto, a utilização deste tipo de navios seria demasiado perigosa e provavelmente pouco útil, pelo que a sua aquisição também poderá ser interpretada como forma de afirmação política no norte de África.
Informação genérica:


O primeiro navio do tipo a ser encomendado foi o San Giorgio, em 26/Nov/1983 a que se seguiu a encomenda do San Marco em 5 de Março de 1984.

Estes navios estiveram entre os primeiros LPD europeus e foram uma forma de conjugar um custo relativamente reduzido com um casco eficiente.

A Itália configurou um dos navios para permitir a sua utilização em operações de salvamento para apoio a populações civis em zonas sinistradas.

Um terceiro navio foi posteriormente encomendado em 1 de Março de 1991.

Em 2012, os estaleiros italianos assinaram um contrato com a marinha da Argelia para a construção de um quarto navio do tipo,.


   
---