Navios deste tipo:

Huascar
Navio blindado
Huascar (1879)
Navio blindado

Listar navios do tipo
Navio blindado


Peru
Navio blindado classe
Huascar
(tipo Huascar)
Huascar

Dados principais Motores
Deslocamento standard: 1300 Ton
Deslocamento máx. : 1745 Ton.
Tipo de propulsão: Máquinas a vapor
Comprimento: 59.4 M - Largura: 10.66M
Calado: 4.57 M.
4 x Caldeiras (carvão) n/d (0)
1 x Máquinas a vapor n/d (1650cv/hp)
Tripulação / Guarnição: 170 Autonomia: 3000Km a 6 nós - Nr. Eixos: 1 - Velocidade Máxima: 12.3 nós


Forum de discussão

O Huascar é um «monitor» blindado, um navio idêntico aos que tinham sido desenvolvidos como novidade absoluta durante a guerra civil americana.
Encomendado pelo Peru

O navio estava originalmente equipado com uma torre armada com dois canhões de 10 polegadas (254mm) de carregar pela boca e armava em Bergantim.
Além dessa torre, o navio possuia ainda dois canhões de 5 polegadas (127mm) e um canhão mais ligeiro de 3 polegadas (76mm).

O navio fora adquirido pelo Peru pelo preço de aproximadamente 80.000 libras estrelinas após um contrato assinado em 12 de Agosto de 1864, ainda não tinha terminado a guerra civil americana, mas já tinha sido demonstrada a utilidade prática dos navios blindados (durante aquele conflito).
O casco era em ferro com espessura de 15mm (a couraça lateral tinha 114.5mm, ou 4 polegadas e meia).

O armamento principal estava alojado numa torre cilindrica, mas com ângulo de tiro limitado pelos mastros, pela proa oceânica do navio que davam uma ângulo de tiro de 138 graus para cada um dos lados. Inicialmente a torre era movida manualmente por 16 homens e eram necessários 15 minutos para fazer uma rotação de 360 graus.

Quando foi entregue à marinha do Peru, este país encontrava-se juntamente com o Chile em guerra contra a Espanha, pelo que o navio aprisionou e posteriormente afundou um navio espanhol ainda antes de ter chegado ao Pacífico.

Em 1877 na sequência de um levantamento militar que tinha tido inicio no Peru o Huascar ficou de posse de uma das facções e chegou a atacar navios de uma companhia inglesa, o que levou a esquadra britânica do Pacífico a procura-lo.
No entanto, embora os britânicos tivessem tentado afundar o Huascar com torpedos, este conseguiu fugir ao ataque, transformando-se no primeiro navio da história a conseguir evadir-se de um ataque com torpedos, levando os britânicos a abandonar a perseguição.
Não conseguindo o apoio do resto da esquadra para a revolta, o navio acabou por se entregar às autoridades governamentais, tento estado desarmado durante alguns meses, altura em que as peças principais foram substituidas.

No entanto o incidente com a esquadra britânica permitiu dar ao navio uma aura de invencibilidade e poder, que não correspondiam à realidade.

Em 1879, com a declaração de guerra pelo Chile e com a ocupação de Antofagasta pelos chilenos, o Huascar voltou ao serviço ativo.

Para avançar sobre território peruano as tropas chilenas precisavam utilizar o mar, já que era impraticavel a progressão pelo deserto de Atacama.

Como resultado o Chile não podia movimentar as suas tropas sem controlar o mar e o Huascar, beneficiando da sua velocidade e poder de fogo manteve os navios de transporte chilenos nos portos, difucultando de sobremaneira as operações militares chilenas, em combates ocorridos em Maio, Julho e Agosto.

Em 21 de Maio, beneficiando das movimentações dos principais navios chilenos, os peruanos atacaram os dois navios chilenos que mantinham o bloqueio do porto de Iquique, O Huascar desferiu o golpe final na corveta chilena Esmeralda, onde morreu o comandante chileno Arturo Pratt, quando tentou tomar o Huascar liderando uma carga sobre o navio peruano após este ter esporado a corveta chilena. Durante os meses seguintes o Huascar, beneficiando da sua velocidade conseguiu desarticular parte do esforço de transporte chileno.

Porém, em 8 de Outubro de 1879 o Huascar defrontou os dois mais poderosos navios da esquadra chilena. A torre do navio foi atingida no sistema que permitia a sua rotação, tento por isso o armamento principal ficado desabilitado. O Huascar perdeu a capacidade para responder ao fogo chileno, já que os outros canhões também se avariaram.
Alegadamente a tripulação peruana tentou afundar o navio sem sucesso, o que resultou na sua captura pela marinha chilena. No confronto morreu o comandante do navio, Miguel Grau.

O navio seria recuperado e incorporado na marinha do Chile.


Informação genérica:
O monitor blindado Huascar, é um dos navios mais emblemáticos de toda a américa do sul, representando um periodo histórico que se seguiu às independências sul americanas e que resultou em conflitos fronteiriços durante a 2ª metade do século XIX.

O Huascar foi encomendado pela marinha peruana, juntamente com o cruzador Independencia e outros navios. O Huascar e o Independencia eram os navios mais operacionais da marinha peruana quando começou a guerra entre Chile e Peru, resultado da aliança entre Peru e Bolívia, paíse que controlava a região que hoje corresponde ao norte do Chile.

A dificuldade em transportar tropas pelo deserto de Atacama, levou a que o abastecimento tivesse que ser feito por barco, o que levou a que o controlo do mar fosse imprescindível.
O Chile contava com uma clara superioridade militar em terra, mas embora a sua marinha fosse superior, tinha que neutralizar os dois principais navios peruanos. Os dois tinham sido lançados em 1865 e eram considerados navios modernos.

À volta do Huascar a marinha peruana tinha criado uma aura de invencibilidade, porque o navio já se tinha rebelado em 1877 contra o governo e mesmo após várias tentativas (inclusivé de navios de guerra britânicos) para o controlar, ele tinha conseguido escapar incólume.

No entanto, quando a guerra com o Chile começou em fevereiro de 1879, as coisas não correram da melhor maneira, principalmente porque este país tinha encomendado também unidades navais poderosas, entre as quais se encontravam os couraçados de bateria central «Blanco Encalada» e «Almirante Cochrane», navios de 3651t de deslocamento e seis canhões de 8 polegadas. O Chile declarou oficialmente guerra ao Peru e à Bolivia em 5 de Abril desse ano, tendo a primeira ação de guerra sido o bloqueio do porto de Iquique.

Em 21 de Maio, durante o bloqueio de Iquique, o Huascar conseguiu afundar a fragata chilena Esmeralda, mas perdeu a fragata «Independencia» perante a ação da goleta «Covadonga», uma canhoneira chilena que levou o navio peruano a encalhar, tendo este posteriormente sido perdido. O Huascar continuou a complicar a vida aos chilenos, mas a 8 de outubro ocorre um combate definitivo em Angamos, no qual o navio se debateu contra os dois couraçados de bateria central chilenos.

A vitória chilena foi total, ainda mais que os chilenos conseguiram tomar posse do navio, que foi rebocado para um porto chileno para reparações.

Ao serviço da marinha do Chile

Tendo capturado o navio, os chilenos trataram de recupera-lo, e ainda o puderam utilizar na guerra contra o Peru.

Foram instaladas novas peças de artilharia de 203mm, um calibre comum a outros navios chilenos da altura.
O Huascar continuou ao serviço até 1896 e na década de 1930 foi transformado em navio-museu.


   
---