Navios deste tipo:

River
Patrulha oceanico
Amazonas
Patrulha oceanico
Khareef
Corveta

Listar navios do tipo
Corveta


Oman
Corveta classe
Khareef
(tipo River)
River

Dados principais Motores
Deslocamento standard: 0 Ton
Deslocamento máx. : 2660 Ton.
Tipo de propulsão: Motor a Diesel
Comprimento: 99 M - Largura: 0M
Calado: 0 M.
2 x Motor a Diesel MTU (0)
Tripulação / Guarnição: 0 Autonomia: 0Km a 0 nós - Nr. Eixos: 0 - Velocidade Máxima: 28 nós

Canhões / armamento principal
1 x Oto-Melara 76mm Super Rapid / Compact (Calibre: 76mm/Alcance: 16Km)

Misseis
Sistema de lançamento MM40LEXOCET MM-40 Block III8 x MBDA EXOCET MM-40 Block III (Anti-navio)


Forum de discussão

Constituida por três navios, classificados como patrulhas oceânicos, os três «Khareef» são na realidade corvetas (ou pequenas fragatas), com um tipo de armamento que as diferencia claramente do típico navio de patrulha.

Embora os Khareef sejam na prática derivados dos patrulhas oceânicos da classe River, os navios estão equipados com sistemas electrónicos e armamentos que os colocam numa classe à parte, podendo na realidade ser designados de corvetas.

O armamento mais importante dos navios são os seus oito mísseis anti-navio Exocet MM40 Block III, juntamente com os mísseis anti-aéreos VL-MICA, lançados a partir de um lançador vertical, que têm capacidade para atacar aeronaves a baixa altitude e também para engajar mísseis anti-navio de pequeno porte.

O navio também está equipado com uma peça de artilharia de tiro rápido de 76mm que também pode operar como sistema anti-aéreo aproximado.

Pode ser permanentemente transportado um helicóptero no hangar.

As três corvetas da classe Khareef, não vão em principio substituir as duas corvetas da clase Qahir, que foram incorporadas ao serviço em 1996, e passam agora a ser os mais poderosos navios da marinha do Omã.

As marinhas do golfo pérsico têm vindo a aumentar as suas capacidades, principalmente por causa do aumento das capacidades militares da marinha iraniana e da componente naval da guarda revolucionária iraniana.

Países como a Arábia Saudita (com fragatas francesas), o Bahreim (com uma fragata da classe Pery) e os Emirados (corvetas Baynunah) têm vindo a aumentar consideravelmente a sua capacidade militar no golfo.

O Omã, tem problemas adicionais, por possuir uma costa marítima no oceano Índico, o que implica a necessidade de possuir navios de maiores dimensões.


Informação genérica:
Os navios da classe River foram desenhados na Grã Bretanha como substitutos dos navios de patrulha da classe Island (parte deles transferidos para a marinha do Bangladesh) entraram ao serviço em 2003.

Trata-se de navios com capacidades bastante superiores aos anteriores Island e por isso possuem características que foram introduzidas como resultado dos pedidos da marinha britânica.

Os River deslocam 1600t contra 1200t dos anteriores Island e possuem uma velocidade máxima mais elevada atingindo os 20 nós, que é uma velocidade normal para os dias de hoje, mas superior aos 16 nós que os patrulhas anteriores conseguiam atingir.

Espaço para crescimento

Apenas três navios da classe River foram construidos, mas desde o inicio que o projeto previa a possibilidade de modificações para aumentar a capacidade militar dos navios.
Com base nos River, foram posteriormente desenhados outros projetos que resultaram em navios com características específicas e conforme os pedidos de várias marinhas.

Classe Clyde - Reino Unido
A Royal Navy foi a primeira marinha a encomendar uma versão aumentada dos navios da classe River, no que se viria a transformar na classe Tyde, de apenas um navio. O Tyde, encomendado em 2005 e entregue em 2006 tinha um deslocamento de 1850t e um canhão de 30mm como armamento principal.

Classe Port of Spain - Trinidad e Tobago
Com base na classe Tyde, foi desenvolvida em 2007 uma classe de navios para a marinha de Trinidad e Tobago, constituida por três navios equivalentes ao Clyde, mas que além do canhão de 30mm estariam equipadas com mais dois canhões de 25mm.
A marinha de Trinidad e Tobago cancelou a compra e os navios foram posteriormente vendidos.

Classe Amazonas - Brasil
O Brasil comprou os três navios da classe Trinidad e Tobago, que passaram a chamar-se classe Amazonas. Juntamente com os três navios a marinha brasileira adquiriu o direito de montar em estaleiros brasileiros outros cinco navios do tipo.

Classe Kabri - Tailandia
Em 2009 a marinha da Tailândia encomendou um navio do tipo, que foi designado Kabri. Trata-se de um Clyde ligeiramente maior, com um deslocamento de aproximadamente 2000t. O Kabri está muito melhor armado e conta com uma peça de tiro rápido Oto Melara de 76mm, juntamente com duas peças de 30mm MSI.

Classe Khareef - Omã
Em 2010 a marinha do Omã encomendou três navios que também foram baseados na classe River, embora estes tenham sido alvo de uma modificação muito grande. Embora a marinha do Omã classifique os navios como patrulhas oceânicos, os três Khareef estão equipados com radares 3D e com mísseis anti-aéreos, o que coloca os navios numa classe próxima a corvetas ou mesmo a pequenas fragatas.


   
---