Navios deste tipo:

Karel Doorman
Fragata
Alm. Blanco Encalada
Fragata
Leopold I
Fragata
Bartolomeu Dias
Fragata

Listar navios do tipo
Fragata

Notícias relacionadas
Portugal: Fragatas confirmadas
Portugal: Estado da frota preocupa comandos da marinha
Transferência da fragata Bartolomeu Dias



Portugal
Fragata classe
Bartolomeu Dias
(tipo Classe-M)
Classe-M

Dados principais Motores
Deslocamento standard: 3000 Ton
Deslocamento máx. : 3320 Ton.
Tipo de propulsão: CODOG - Turbina a gás ou motor a Diesel
Comprimento: 122.3 M - Largura: 14.4M
Calado: 4.3 M.
2 x Motor a Diesel Rolls Royce 12 SW 280 (8000cv/hp)
2 x Turbina a Gás Rolls Royce Spey-SM1 C (48000cv/hp)
Tripulação / Guarnição: 156 Autonomia: 9000Km a 18 nós - Nr. Eixos: 2 - Velocidade Máxima: 30 nós

Canhões / armamento principal
1 x Oto-Melara 76mm Super Rapid / Compact (Calibre: 76mm/Alcance: 16Km)
1 x Thales Nederland 30mm SGE-30 «Goalkeeper» (Calibre: 30mm/Alcance: 3.5Km)

Misseis
Sistema de lançamento Mk.48 Mod.1/16cRIM-7M Seasparrow16 x Raytheon Systems RIM-7M Seasparrow (Defesa antiaérea próxima)
Sistema de lançamento Mk.141Harpoon RGM 84D8 x Boeing Harpoon RGM 84D (Anti-navio)

Torpedos

Radares
- RACAL-DECCA TM-1226 (Navegação - Al.med: 27Km)
- Thales Nederland STIR-180 (Director de tiro - Al.med: 97Km)
- Thales Nederland LW-08 (Pesquisa aérea - Al.med: 162Km)
- Thales Nederland SMART-S (3D) (Combinado Aerea/superficie - Al.med: 70Km)

Sonares
- Thales Nederland PHS-36 / Pesquisa activa/ataque

Outros sistemas electrónicos
- Thales Nederland SEWACO Mk.VII (Sistema de gestão de dados combate)
- EADS Mk 36 SRBOC (Contramedidas electronicas)
- EDO Corp. APECS-II/AR700 (Contramedidas electronicas)
- Argon - ST AN/SLQ-25 (Engodo anti-torpedo)
- Thales Nederland VESTA-Helo (OHTS - Sistema de pontaria para lá do horizonte)

Aeronaves embarcadas
- 1 x Agusta-Westland Navy Lynx HAS-8


Forum de discussão

A aquisição por parte da marinha portuguesa das fragatas Bartolomeu Dias, foi tornada oficial em Novembro de 2006. Trata-se de duas fragatas da classe M, de origem holandesa, os navios «Van Nees» e «Van Galen».

Os dois navios da classe vieram substituir as quatro antigas fragatas da classe João Belo, construidas durante os anos 60, das quais as últimas duas foram vendidas ao Uruguai.

O primeiro navio foi transferido para a Marinha Portuguesa em Janeiro de 2009 e o seguinte tem a sua transferência pevista para finais do mesmo ano. Os navios não foram submetidos a qualquer modificação de monta sendo feitas algumas modificações apenas resultado da necessidade de os adaptar a métodos e hábitos da marinha portuguesa, bem como aos seus sistemas de comunicação.

Após a sua incorporação as duas fragatas são os dois mais poderosos meios de superfície da marinha portuguesa. A sua principal vantagem relativamente aos navios da classe Vasco da Gama é a capacidade antiaérea, embora não sejam navios especializados nessa função.
No entanto, tratando-se de navios da mesma geração das fragatas da class Vasco da Gama, as Bartolomeu Dias estão condicionadas pelas opções de armamento e sistemas tomadas pelos seus anteriores proprietários. Em alguns casos, como é o caso do sistema de comunicações, os navios holandeses podem ser considerados inferiores aos navios já ao serviço na marinha portuguesa.

A aquisição destas duas fragatas que em termos de geração, coloca a marinha portuguesa com cinco navios idênticos, cria um problema no futuro com a sua substituição, pois a vida útil terminará mais ou menos ao mesmo tempo que o tempo de vida útil das fragatas da classe Vasco da Gama.

Calcula-se que sem modificações nos seus sensores e sistemas de mísseis, a partir de 2020, o valor militar tanto das fragatas Vasco da Gama como das Bartolomeu Dias seja apenas residual.

A incorporação dos dois navios, aumentou em 60% a capacidade militar da marinha portuguesa em termos de navios de superficie. Embora substituindo quatro navios por dois, a marinha passou a contar com unidades relativamente modernas, mas que por isso também são bastante mais custosas de manter com a operacionalidade exigida a navios de uma marinha da NATO.


Informação genérica:
Os navios do tipo Karel Doorman, representam mais uma derivação da classe Kortenaer, e o seu aspecto exterior é muito parecido com aquela classe também de origem holandesa.

São as primeiras fragatas europeias a integrar características Stealth, ou seja, características que reduzem a «assinatura» dos navios nos radares.

Relativamente modernas e sofisticadas as fragatas do tipo Karel Doorman foram na marinha da Holanda, vitimas dos cortes nos gastos militares.

Dos oito navios que foram incorporados, apenas dois serão mantidos na marinha holandesa. Os restantes seis foram ou serão transferidos para outras marinhas. Em sua substituição entraram em serviço as fragatas (na realidade contratorpedeiros) de defesa aérea do tipo LCF.

As Karel Doorman continuam no entanto ao serviço em outras marinhas.

Dois navios foram transferidos para a marinha do Chile.
Outros dois foram transferidos para a marinha da Bélgica, continuando na prática a operar conjuntamente com a marinha holandesa por causa dos acordos entre as duas marinhas.
Os restantes dois navios foram negociados com Portugal, que os colocará ao serviço em substituição das fragatas da classe Comandante João Belo (Tipo Com. Riviere)


   
---