Navios deste tipo:

Comandante João Belo
Fragata
Uruguay
Fragata

Listar navios do tipo
Fragata

Notícias relacionadas
Fragatas João Belo, perdem comprador



Uruguai
Fragata classe
Uruguay
(tipo Commandant Riviere)
Commandant Riviere

Dados principais Motores
Deslocamento standard: 1750 Ton
Deslocamento máx. : 2250 Ton.
Tipo de propulsão: Motor a Diesel
Comprimento: 102.7 M - Largura: 11.7M
Calado: 4.3 M.
4 x Motor a Diesel SEMT Pielstick 12 PC (16000cv/hp)
Tripulação / Guarnição: 159 Autonomia: 13500Km a 15 nós - Nr. Eixos: 2 - Velocidade Máxima: 25 nós

Canhões / armamento principal
2 x DCN - Naval 100mm Creusot-Loire m.53 (Calibre: 100mm/Alcance: 17Km)

Torpedos
- 6 x DCN - Naval ECAN-L3 - sistema de lançamento: lançadores Mk.32 (3)

Radares
- RACAL-DECCA TM-1226 (Navegação - Al.med: 27Km)
- Thomson-CSF / Thales DRBV 22A (Pesquisa aérea - Al.med: 67Km)

Sonares
- Thomson-CSF / Thales DUBA-3A / Pesquisa activa/ataque


Forum de discussão

Os três primeiros navios da classe Uruguay, são navios que serviram inicialmente na marinha francesa.

Todos os navios de origem francesa foram entregues originalmente à marinha francesa entre Março e Dezembro de 1962, enquanto que os dois navios portugueses foram entregues à marinha de guerra portuguesa em 1968.

A fragata General Artigas, foi desactivada em 27 de Abril de 2005.

Em 2008, o Uruguai adquiriu a Portugal as duas fragatas da classe João Belo, de um total de quatro adquiridas por aquele país no final dos anos 60.

A diferença essencial entre os navios de origem portuguesa e os de origem francesa, reside na superior capacidade antisubmarina dos navios portugueses, equipados com um sonar mais moderno, idêntico ao que está instalado nas fragatas da classe Meko-200 (Vasco da Gama). No entanto, segundo os dados disponíveis, os navios transferidos para o Uruguai, não contarão com sonares.

Negociações, ou contactos mais ou menos informais entre o Uruguai e Portugal já tinham sido efectuadas no inicio dos anos 90, na altura em que as fragatas portuguesas foram submetidas a uma modernização.

Embora a marinha do Uruguai, tivesse interesse em adquirir um ou dois navios de uma classe mais moderna, eventualmente a classe Kortenaer alemã (classe Bremen), as fragatas portuguesas deverão, pelo menos em principio, servir durante alguns anos até que a marinha do Uruguai adquira navios com maiores capacidades.

A entrada em serviço dos navios portugueses implicou a retirada dos navios anteriormente ao serviço.


Informação genérica:
Os navios do tipo Comandant Riviére são navios relativamente baratos e simples de construir que foram configurados pelos franceses para servir nas suas possessões ultramarinas.
Eses foram construidos com base nas antigas classes Le Corse (1702t) e Le Normand.

É o tipo de navio que não participa em combates com outros navios de guerra de primeira linha, e que funciona como navio de policiamento naval pesado.

Esta função secundária no entanto não impediu a França de modernizar as suas fragatas ao longo dos anos acrescentando-lhes capacidade para disparar mísseis, que inicialmente não tinham.

Além da França, Portugal também adquiriu quatro navios desta classe.

Parte dos navios franceses foram vendidos ao Uruguai, quando a classe foi retirada de serviço em França.

Posteriormente, também os dois últimos navios portugueses foram colocados à disposição do Uruguai, para incorporação na marinha daquele país em 2008.


   
---